Sugestões para oferecer ou para ler...


quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008

COISAS ESTRANHAS SOBRE MIM....

A minha querida amiga e conterrânea aqui de Sagres, a Benó do blog Atelier da Benó deixou-me uma brincadeira no seu cantinho (que já lhe havia sido enviado por uma amiga do Brasil) e eu prontifiquei-me a responder: consiste em contar coisas estranhas que possamos ter e/ou fazer.
* adoro faróis, tenho montes deles em casa e gosto muito de ir passear a sítios onde hajam faróis (e em Sagres temos um dos faróis mais bonitos do mundo - o Cabo de S. Vicente) mas tenho pavor de me aproximar de faróis de noite - faz-me impressão, não sei dizer porquê, por isso só vou para perto de faróis com a luz do dia

* adoro ler e quando pego num livro, mesmo que este seja uma seca (ou até mesmo um mau livro) sou teimosa e leio-o sempre até ao fim, nem que para isso leve meses (e nunca leio dois livros ao mesmo tempo)

* só faço a depilação quando está quarto minguante (não me perguntem porquê... é mania mesmo)

* se, sem querer, deixo cair um pedaço de pão e já não fica bom para comer, nunca o jogo para o lixo sem primeiro dar um beijinho ao pão

* não consigo usar collants (ou como diria a minha filha "meias altas") nem que esteja muito frio, juro que já tentei mas fico toda arrepiada e tenho que desistir

Agora passo esta brincadeira para 5 amigas, para que elas contem o que fazem ou têem de estranho:

Anna
Belinha Gulosa
Natércia
Marizé
Winnie

Mostrem agora as vossas esquisitices meninas.. eu já mostrei as minhas... lol!

quarta-feira, 30 de Janeiro de 2008

QUICHE DOS RESTOS

Um dia destes voltei a dar por mim com restos e restinhos dentro do meu frigorífico: uma caixinha com camarão cozido, meio frasco de grão de bico, um pedacito pequenino de chouriça...
Para completar o quadro perguntei à Risonha Júnior "O que é que queres que a mãe faça para o jantar?"
Resposta dela: "Pode ser uma pizza ou uma quiche!" (responde quase sempre o mesmo, variando apenas às vezes para bolonhesa ou carbonara... lol)
Fiz-lhe a vontade... e preparei uma quiche com os restos:



Forrei uma tarteira com massa folhada, tendo picado o fundo com um garfo (estendi bem a massa e guardei as aparas da massa).
No fundo coloquei o miolo de camarão e rodelas de chouriça. Em cima dispus o grão de bico e polvilhei com salsa picada, colocando ainda 4 delícias do mar partidas em pedacinhos.
Bati 3 ovos com um pacote de natas, temperei com sal, pimenta e alho em pó e deitei por cima do recheio da quiche, polvilhando com um pouco de queijo ralado.
Com as aparas de massa que tinha reservado fiz uma "espécie" de flôr, só para dar um ar mais requintado à refeição. Levei ao forno por meia hora e.......... depois foi só desfrutar desta fantástica refeição.

E agora digam lá que a minha quiche não ficou linda? Alguém quer uma fatia???

terça-feira, 29 de Janeiro de 2008

SOUFFLÉ DE PEIXE COM QUEIJO

O que fazer quando temos em casa dois medalhões de pescada, que por si só não dão para nada, nem sequer para fazer uma refeição????
"Inventa Risonha, põe a cabeça a funcionar, que a cabeça não se fez apenas para usar boné!"
Vamos experimentar a fazer um soufflé? Com sorte pode ser que não abata nem fique murcho na hora de servir...
Então vamos precisar:

250gr de peixe sem pele nem espinhas
2,5dl de leite
200gr de margarina
4 colheres de sopa de farinha
2 ovos
2 claras
100 gr de queijo ralado
sal e pimenta q.b.





Cozer o peixe em 4 colheres de sopa de leite (retiradas dos 2,5dl) durante 3 minutos. Escorrer o leite e reservar junto ao outro. Desfiar bem o peixe.
Levar ao lume um tacho com a margarina a derreter, juntar a farinha e deixar cozer 2 minutos, mexendo bem. Adicionar o leite pouco a pouco e deixar levantar fervura sem parar de mexer, temperando com sal.
Reduzir o lume e deixar engrossar durante 3 minutos. Retirar do lume e juntar as gemas, batendo bem com uma vara de arames.
Misturar o peixe com o queijo, temperar com pimenta e adicionar ao molho.
Untar uma forma de soufflé e ligar o forno a 190º.
Bater as claras em castelo bem firme com uma pitada de sal. Com uma colher envolver apenas um pouco das claras ao preparado. Depois de bem envolvido juntar as restantes claras, envolvendo com cuidado, mexendo sempre de baixo para cima.
Deitar na forma e levar ao forno por 35 minutos.
Retirar do forno e servir de imediato acompanhado de uma salada de tomate e alface.

Nota: e não é que o meu soufflé não abateu? Ficou delicioso, o meu Risonho gostou muito... vai ser um prato a repetir muitas vezes, com toda a certeza.

domingo, 27 de Janeiro de 2008

MARCHA PASSEIO DE SAGRES...


Hoje tivemos mais uma manhã dedicada ao desporto no nosso concelho: a Marcha Passeio de Sagres "Travessia dos Descobrimentos".
Desta vez fui sózinha, os restantes membros da minha equipa (mamã Risonha e Risonha Júnior) tinham compromissos religiosos (a Risonha Júnior anda na catequese e no último domingo do mês é a missa dedicada às crianças, logo ela teve que comparecer e a avó fez-lhe companhia).
Mas lá por estar sózinha não me atrapalhei, ainda para mais que hoje "jogava em casa"... lol!

Acreditem se quiserem, mas, embora viva em Sagres há mais de 12 anos e pensasse que conhecia Sagres de uma ponta à outra, passei por locais que nunca tinha passado.
Desfrutem das imagens que fotografei especialmente para vocês que me visitam....

Tivemos a sorte de apanhar um dia magnífico, sem vento e com uma temperatura muito agradável. Como sempre contamos com a presença da organizadora (e minha grande amiga) Cristina Peres, que deve ser das pessoas mais divertidas que eu conheço...
Com isto tudo nem perguntei quantos quilómetros percorremos, mas penso que devem ter sido entre 8 e 10. E continuo a dizer que o azul do nosso mar não tem igual...
Espero que tenham gostado das imagens que registei.
Próxima Marcha Passeio = 24 de Fevereiro em Quarteira... lá estaremos!

sábado, 26 de Janeiro de 2008

MACARRÃO RÁPIDO PARA DIAS DE PREGUIÇA...

Ontem quando cheguei a casa apetecia-me tudo menos cozinhar... é que não me apetecia nada.
Em primeiro lugar tinha ido almoçar fora com as minhas colegas, para celebrar o aniversário de uma delas, tínhamos almoçado uma magnífica açorda de marisco e eu ainda tinha o estômago cheio.
Em segundo lugar, à tarde, na hora do lanche, a colega aniversariante apareceu com um bolo delcioso para cantarmos os parabéns.... lá foi mais uma fatia de bolo e um copo de champanhe.
E em terceiro lugar... porque estava deprimida e não me apetecia cozinhar... juro que não me apetecia... nem sei porque é que estava deprimida (deve ser do tempo, está sueste e eu com o sueste fico estranha) mas o que é certo é que a minha gente tinha que jantar, certo?
Para o Sr. Risonho ia fazer bacalhau à brás, que é uma coisa que nem dá muito trabalho. Mas, e para a Risonha Júnior? Ela detesta bacalhau.... mas a míuda tinha que jantar, não é?

Olhem, tentanto afastar a preguiça ao máximo, o que me saíu foi isto que passo a apresentar, e que acho que é uma óptima sugestão para o desafio da quinzena que a Valentina lançou lá no Colher de Tacho.

Num recipiente próprio para microondas coloquei cerca de 250gr de macarrão, água, um fio de azeite e um pouco de sal, e levei ao microondas por 10 minutos, mexendo a meio do tempo.
Entretanto cortei em tiras fiambre de porco e fiambre de frango e aproveitei também um pouco de milho doce que tinha no frigorífico.
Juntei os fiambres e o milho ao macarrão e levei novamente ao microondas por mais 5 minutos.
Escorri a água, deitei um pouco de margarina e envolvi bem.
Juntei cubos de queijo flamengo, polvilhei com oregãos, misturei tudo e levei ao microondas por mais 3 minutos, apenas para o queijo derreter.
Servi polvilhado com mais um pouco de oregãos.

Nota: acho que deveria ter chamado a este prato "macarrão milagroso"... é que eu acabei por comer um pouco e senti-me imediatamente melhor, deixei de estar deprimida... será verdade aquilo que dizem que as massas levantam a moral? LOL!
Comigo aconteceu... afinal não foi tão mau ter chegado deprimida a casa... eh eh eh!

sexta-feira, 25 de Janeiro de 2008

FRANGO ESPECIAL

Se há coisa que eu gosto é de usar ervas aromáticas na minha cozinha. Acho que, se forem bem escolhidas de acordo com os ingredientes a utilizar, dão um paladar muito especial a qualquer prato.
Foi o que aconteceu com este frango, a que resolvi juntar alecrim.
Para isso usei:

Pedaços de frango a gosto
2 cebolas
1 dente de alho
2 pacotes de natas
100gr de margarina
2 colheres de sopa de aguardente
2 raminhos de alecrim
sal e pimenta q.b.



Deitar a margarina em pedaços no fundo de um tacho. Por cima dispôr as cebolas picadas e os pedaços de frango. Temperar com sal e pimenta, juntar o dento de alho partido ao meio e os raminhos de alecrim. Tapar o tacho e levar a lume forte por cerca de 10 minutos.
Reduzir o lume e adicionar as natas pouco a pouco (as natas devem ir reduzindo e alourando ligeiramente). Deixar ao lume por 35 minutos, virando o frango de vez em quando.
Passado esse tempo retirar o frango e colocar numa travessa. Triturar o molho obtido com a varinha mágica, juntar a aguardente, rectificar os temperos e levar de novo ao lume até ferver e ficar com uma consistência cremosa.
Cobrir o frango com o molho e servir com acompanhamento a gosto... nós acompanhamos com esparguete, que é uma coisa que toda a gente adora cá em casa.

Nota: não tenham receio em fazer esta receita, pois o moho não fica com o sabor da aguardente. Fica, isso sim, um molho encorpado com um ligeiro aroma a alecrim. Experimentem e comprovem se não tenho razão.

quinta-feira, 24 de Janeiro de 2008

SOPA DO "APROVEITA"

Nunca vos aconteceu terem no frigorífico apenas um "espécimen" de cada coisa? Por exemplo: apenas uma cenoura, só uma curgette, etc...? Raramente me acontece pois gosto de ter sempre bastantes legumes em casa, mas no noutro dia vi-me nesta situação.
E logo num dia em que me apetecia fazer sopa e, com o frio que estava na rua, nem me apetecia ir ao supermercado.
Tive que me desenrascar com o que havia em casa e aproveitar para gastar os legumes sós e abandonados que estavam na gaveta do frigorífico. Daí o nome da sopa... lol!



Parti em pedaços e levei ao lume 1 beringela e 1 curgette (desta vez deixei-lhes a casca), 1 chuchu, 1 cenoura, 1 cebola, 2 dentes de alho, um fio de azeite, uma pitada de sal, um caldo de legumes e água até cobrir.
Depois dos legumes cozidos reduzi tudo a puré com a varinha mágica. Adicionei meia couve branca cortada em juliana, 1 cenoura em rodelas e um restinho de umas massas coloridas que tinha no fundo de um frasco.
Deixei ao lume até as massas estarem cozidas, rectifiquei os temperos e servi bem quentinha.

Assim dei fim aos restos de legumes que me andavam a empatar o frigorífico. Agora.... agora está na hora de ir ao mercado comprar legumes frescos... Até já!

quarta-feira, 23 de Janeiro de 2008

POLVO FRITO À MODA DO MEU PAI

Foto de Aguinaldo Vera-Cruz

Uma das melhores recordações que tenho da minha infância é das minhas idas para a praia do Castelejo (essa que está na foto acima) com o meu pai. Era eu bem pequena, íamos os dois de mota, eu ficava na areia brincando e apanhando sol, enquanto o meu pai aproveitava a maré baixa para andar a mariscar, apanhando lapas, burgaus e muitas vezes polvos.
Para o meu pai os melhores polvos eram os pequenos (entre 600 a 800 gr) pois, segundo ele, eram os que ficavam mais tenros e mais saborosos fritos.
Como a minha mãe nunca gostou muito de polvo, normalmente quem o cozinhava sempre era o meu pai, e ele fazia o melhor polvo frito do mundo. E ainda por cima é feito de uma maneira muito simples, nem dá trabalho nenhum. Foi com o meu pai que aprendi a fazer esta maravilha.

Num tacho colocar 3 ou 4 dentes de alho picados, uma folha de louro e cobrir o fundo do tacho com óleo, levando a aquecer até o alho alourar.
Colocar os polvos no tacho (que devem ser polvos pequenos) e manter o lume forte, tapando o tacho, de modo a que os polvos libertem bastanta água.
Quando os polvos tiverem libertado bastante líquido baixar o lume e deixar fritar lentamente, vigiando e virando os polvos de vez em quando para que não queimem (se achar que está a ficar com pouco líquido pode sempre juntar-se um pouco de vinho branco).
Não é necessário sal, o polvo já é salgado por natureza e cozinhado desta forma mantém todo o seu sabor. Quando muito pode pôr-se uma pitada de pimenta preta ou piri-piri.
Depois dos polvos fritos e tenros colocar numa travessa e cortar em pedaços. Regar com o molho (que nunca fica muito, tem que ficar é bem apuradinho) e servir com arroz branco.

Nota: eu e o meu pai ainda gostávamos mais de comer este petisco frio, muitas vezes o meu pai fazia-o para o levarmos para pic-nics. E o meu pai gostava dele bastante picante, por vezes até fazia arder a língua... LOL!

terça-feira, 22 de Janeiro de 2008

RATATAOUILLE

Eu, que adoro legumes, claro que tinha que adorar ratatouille... e como é que eu nunca tinha feito ratatouille em casa??? Ainda por cima tinha o frigorífico cheio de legumes que precisavam de ser usados.
E como é que se faz? Eu imaginava mas não tinha a certeza... consultei o monte de livros de culinária que tenho em casa, e com ideias e dicas que vi em vários deles, fiz esta espécie de ratatouille. Para isso usei:

1 beringela
1 curgette
3 tomates
1 pimento
1 cebola
2 colheres de sopa de margarina
2 dentes de alho picados
1 folha de louro
sal e pimenta

Cortei a beringela e a curgette em quartos, o pimento e o tomate cortei em quadrados e piquei a cebola.
Derreti a margarina e juntei todos os legumes. Adicionei ainda os dentes de alho picados e a folha de louro.
Temperei com sal e pimenta, tapei e deixei cozer até que toda a água se evaporasse.
E depois foi só deliciar-me... ficou muito bom..

Nota: para a próxima ponho o tomate só a meio da cozedura porque ficou um pouco desfeito.

segunda-feira, 21 de Janeiro de 2008

RINS COM MOSTARDA E TORTELLINIS

Tinha uma embalagem de tortellini em casa já há bastante tempo... andava perdida no meio das parteleiras da despensa, e eu, ao olhar para ela, pensei "não passas de hoje, mas vou fazer com que sirvas de acompanhamento a algo diferente".
Vamos pôr mãos à obra, ok?



Cortar rins de porco em tiras finas e temperar com um pouco de sal, deixando tomar gosto por cerca de 20 minutos. Nesse meio tempo cozer os tortellinis "al dente".
Derreter 3 colheres de sopa de manteiga e saltear os rins, temperando com alho em pó e ervas aromáticas.
Juntar 2 colheres de sopa de aguardente e puxar fogo, sacudindo a frigideira para que a chama envolva todo o alcóol.
Quando as chamas desaparecerem adicionar 1 pacote de natas e 1 colher de sopa de mostarda.
Rectificar os temperos, deixando o molho apurar.
Misturar os rins com o molho nos tortellinis, envolvendo bem com dois garfos.

Servir colocando à disposição queijo parmesão, para que cada um possa polvilhar o prato a seu gosto.



Bom apetite!!!

domingo, 20 de Janeiro de 2008

PÃO/BOLO DE CHOCOLATE

A culpa de tudo é da Pimpona!!!!
Sim, a Pimpona... ela é que teve a ideia de fazer este pão e postar no blog dela. E eu como cada vez que visito a cozinha dela tomo nota de todas as receitas, copiei esta. E como ando sempre de olho em receitas para a máquina de pão, tinha mesmo que tomar nota desta... ainda por cima que cá em casa somos todos apaixonados por chocolate.

100ml de água
5gr de sal
100gr de açucar
150gr de manteiga
4 ovos
500gr de farinha
250gr de chocolate em tabelete
1 saqueta de Fermipan



Derreti a margarina e parti o chocolate em pedaços com a faca (nem me preocupei em partir em pedaços muito pequenos, pois a máquina ao amassar encarrega-se de o desfazer melhor).
Coloquei os ingredientes na máquina, primeiro os líquidos e depois os sólidos, escolhi o programa e esperei pacientemente até ao final da cozedura...... tendo que ter uma força de vontade enorme para não atacar a máquina, pois o aroma a chocolate que se espalhou na cozinha era de enlouquecer.

Nota: normalmente quando faço uma receita pela primeira vez faço apenas metade da dose, pois por vezes tenho medo que a coisa não saia bem. Foi o que aconteceu com esta receita: fiz apenas metade da dose acima descrita.... arrependi-me logo de seguida, pois este pão é tão bom que deveria era ter feito a receita a dobrar!!!
Fica para a próxima.... me aguardem!!!

sábado, 19 de Janeiro de 2008

CARNE APROVEITADA À MODA DA ISABEL

Para vos dizer a verdade eu nem sabia bem como chamar a este prato... Em primeiro lugar "carne aproveitada" porque foi isso mesmo que aconteceu: fiz este prato para aproveitar um resto de carne assada no forno.
Em segundo lugar "à moda da Isabel" porque usei uma embalagem de molho carbonara que foi a minha querida amiga Isabel (mais conhecida por Belinha Gulosa) que me enviou pelo correio há algum tempo atrás. Era justo que eu lhe prestasse homenagem, certo?

Cozi esparguete "al dente" e coloquei num tabuleiro untado de margarina. Parti em pedacinhos os restos de carne assada e reservei.
Fiz o molho carbonara conforme as instruções da embalagem e, antes de começar a engrossar, deitei a carne e uma lata de cogumelos laminados. Deixei engrossar e apurar o molho, envolvendo bem todos os ingredientes.
Deitei por cima do esparguete, juntei alguns cubos de queijo flamengo e misturei tudo com dois garfos.
Polvilhei com sementes de girassol e levei ao forno pré-aquecido por cerca de 20 minutos.

E assim se fez uma refeição deliciosa, aproveitando os restos que tinham sobrado de outra refeição... é que a vida está muito cara e não estamos em época de jogar comida para o lixo. LOL!

sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008

OUTRO DESAFIO...

A Carla lançou-me um desafio. Toda a gente sabe que eu não sou pessoa de virar as costas a desafios, além do mais que adoro participar nestas coisas... LOL!
Então aqui ficam as minhas respostas para que conheçam mais um pouco da Risonha:



1 - A SUA MAIOR FELICIDADE SERIA (É): ficar o resto da minha vida junto das pessoas que amo.


2 - O SEU PIOR PESADELO SERIA (FOI): fde momento é faltar-me alguém dos que mais amo. O pior pesadelo porque já passei foi a morte do meu pai.


3 - O MEU OBJECTIVO É: ver a minha filha bem encaminhada na vida e com os sonhos delas realizados.


4 - SONHO REALIZADO FOI: o nascimento da minha filha.


5 - A MINHA MAIOR DERROTA SERIA: não poder dar à minha filha tudo o que ela precisa.


6 - A MELHOR PALAVRA DITA É: amo-te muito e por ti sou capaz de tudo!


7 - A PIOR PALAVRA PARA SE OUVIR É: Odeio-te!


8 - UM MUNDO MELHOR SERIA: sem guerras, sem fome e com muita alegria.


9 - UMA PESSOA ESPECIAL É (FOI): o meu pai, com quem eu podia contar sempre para tudo o que fosse preciso.

10 - RESUMO A AMIZADE COMO: um dos sentimentos mais importantes para a nossa vida.

11 - RESUMO A FALSIDADE COMO: algo que faz as pessoas infelizes.

12 - DEUS É: uma força divina que nos protege: uma fonte de vida e de luz.

13 - O QUE DIRIA A ALGUÉM TRISTE, SERIA: tem fé em Deus e acima de tudo tem fé em ti mesmo!

14 - EU SOU: uma pessoa muito amiga dos meus amigos, qeu sou capaz de tudo para os defender.

Agora como tenho que passar o desafio a mais 4 pessoas, convido estas meninas a responderem ao que eu respondi:

Anna, Romy, Belinha Gulosa e Miss Slim.

PUDIM DE PÃO COM LEITE DE CÔCO

Desde que vi esta receita, há bastante tempo atrás, no blog da Romy tive logo vontade de fazê-la, em primeiro lugar porque o Sr. Risonho adora pudim de pão; em segundo lugar porque a receita é óptima para aproveitar restos de pão duro que se tenham em casa.
Além de todas estas vantagens é simples e rápida de fazer... querem melhores motivos do que estes?

3 ovos
160gr de pão sem côdea
8 colheres de sopa de açucar
1 cálice de Vinho do Porto
1 colher de chá de canela
200ml de leite
400ml de leite de côco

Juntar os leites e levar ao microondas para aquecer juntamente com o pão partido em pedaços.
Retirar e triturar com a varinha mágica até ficar em polme (no meu microondas deixei 4 minutos).
Misturar os ovos, o açucar, o Vinho do Porto e a canela até ficar homogéneo. Juntar ao preparado anterior e colocar num recipiente que possa ir ao microondas, previamente barrado com caramelo.
Levar ao microondas entre 7 a 10 minutos até estar cozido (deixei 10 minutos, mas fui fazendo o teste do palito). Desenforme e sirva bem fresquinho.
Com esta receita fiz um pudim na forma maior e fiz um pequenino só para mim... lol! E a Risonha Júnior já estava a espetar a faca no grande para o partir, mesmo antes de eu tirar a foto... se olharem para as imagens podem ver que tem um corte ao meio.

Nota: este pudim fica realmente muito bom. Posso até mesmo dizer que fica tão saboroso como um pudim de pão que a minha sogra faz e que leva uma eternidade a cozer na panela de pressão.
Obrigado Romy por esta receita deliciosa.

quinta-feira, 17 de Janeiro de 2008

TOSTA DE FRANGO


No outro dia, ao ver o desafio do Colher de Tacho para esta quinzena, vi que o tema era "Comidinhas para dias de muito calor". E eu pensei "Boa!!!! Com o frio que está por cá, como é que eu vou arranjar alguma coisa para este tema?"
Afinal com um pouco de imaginação sempre consegui alguma coisa... e ao menos aproveitei um restinho de frango cozido que já estava quase para servir de jantar à Branquinha!!!
Aqui fica a minha participação para o desafio do Rei da Quinzena, o chamado "Rei Calor":

Torrei 2 fatias de pão de forma integral (usei do pão comprado na padaria, acho que é muito melhor do que se vende empacotado) e por cima coloquei um fio de azeite e um dente de alho picado.
Desfiei um resto de frango cozido que havia no frigorífico e coloquei por cima do pão, adicionando ainda um pouco de ketchup.
Por cima coloquei uma fatia de queijo (usei queijo fatiado magro) e polvilhei com oregãos.
Levei ao microondas 1,5 minutos, apenas para derreter o queijo e servi sobre folhas de alface.

Nota: embora por cá esteja tudo menos calor, soube-me muito bem esta espécie de tosta e deu um jantar leve e com poucas calorias. E acho que para um dia de calor é uma opção perfeita.

quarta-feira, 16 de Janeiro de 2008

LICOR DE BANANA

Já pensaram que um belo licor caseiro, feito pelas vossas próprias mãos, é uma oferta bonita e original para oferecerem aos vossos amigos?
Experimentem este licor que é uma delícia. A receita é da autoria do Alien2000 e tirei do fórum Petiscos. Já o fiz há mais de um ano, e é daqueles que quanto mais tempo estiver em repouso melhor fica.

100gr de banana
0,5l de alcóol etílico a 70º
0,5l de água
0,5kg de açucar
1 pau de canela



Descascar a banana e cortar em pedacinhos, colocando-os a macerar no alcóol durante 15 dias.
Preparar uma calda com a água, o açucar e o pau de canela, deixando ferver 5 minutos.
Filtrar o alcóol para cima da calda e deixar em repouso durante 4 dias.
Engarrafar e saborear sempre que tiver vontade.
Ou então engarrafe em garrafas bonitas e com formatos originais e surpreenda os seu amigos na próxima vez que os for visitar.
Quem gostar de licores e gostar de banana tenho a certeza que vai gostar deste.

terça-feira, 15 de Janeiro de 2008

FAROFA À PORTUGUESA

Lembram-se da farofa de cenoura que eu tinha feito aqui? Graças à Cris eu aprendi a fazer farofa.
Agora digam-me lá: há coisa mais portuguesa do que o nosso caldo verde? Deve ser das coisas mais típicas do nosso país... e que tal usar a couve do caldo verde para fazer farofa? Nada como experimentar, certo?
E que tal se, para ter ainda menos trabalho, usasse daquelas embalagens congeladas, que já traz o caldo verde cortado, pronto a usar? Melhor ainda!!!
Vamos pôr mãos à obra!!! Cris, não sei se esta farofa é "técnicamente" possível, mas juro-te que ficou uma delícia...



Num tacho coloquei alho picado a alourar. Depois juntei uma cebola picada e deixei alourar mais um pouco.
Juntei uma embalagem de caldo verde e deixei saltear.
Aos poucos adicionei uma chávena de farinha de mandioca, mexendo sempre até ficar lourinha e colorida. Temperei com um pouco de sal (uma vez mais usei o maravilhoso sal aromatizado que a Bia me enviou) e servi para acompanhar carne grelhada.
Só posso acrescentar que nós cá em casa estamos a ficar fãs de farofa (excepto a Risonha Júnior, que é uma esquisita para provar coisas novas...)

Nota: tenho ainda que agradecer à Cris pois ela teve a gentileza de me enviar por mail algumas receitas de farofa. Juro que a seu tempo farei todas e postarei aqui.
E espero não ter chocado os nossos irmãos brasileiros com esta minha versão inventada!

segunda-feira, 14 de Janeiro de 2008

PIZZA EM TOSTA

Desde o dia em que vi esta ideia maravilhosa no blog da Colher-de-Pau tomei logo nota da receita para quando tivesse um daqueles dias de preguiça em que não me apetecesse ir para o fogão... ora um destes dias o Sr. Risonho não jantava em casa, para a Risonha Júnior tinha um resto qualquer que tinha sobrado do dia anterior e para mim.... para mim não tinha nada...
Era a altura ideal para experimentar a ideia da Colher-de-Pau:

1 fatia de pão de forma (usei 1 fatia de pão caseiro, dos tais feitos pela minha vizinha)
1 fatia de fiambre
1/2 queijo fresco
1 colher de chá de ketchup
oregãos q.b.




Torrar ligeiramente o pão e deixar arrefecer. Barrar depois com o ketchup e cobrir com o fiambre em pedacinhos.
Juntar o queijo fresco em cubinhos e polvilhar com os oregãos.
Levar ao microondas até o queijo derreter e comer ainda quente.

Nota: devia ter deixado mais uns segundos no microondas para o que o queijo derretesse mais, mas confesso que a fome já era muita e eu não estava disposta a esperar mais... adorei esta refeição leve e rápida de fazer. Assim vale a pena não ter nada para o meu jantar.. eh eh eh!

domingo, 13 de Janeiro de 2008

MASSA DO CALDO DA COUVE

Ou sopa do cozido, como lhe queiram chamar... mas na minha casa chama-se massa do caldo da couve, e eu passo a explicar porquê - aqui na casa dos Risonhos há duas coisas distintas: cozido e couve...
Cozido é o verdadeiro Cozido à Portuguesa, que leva couve, batata (branca e doce), cenoura, por vezes abóbora, carne de porco, de vaca, frango, enchidos, etc
Couve, como nós por cá chamamos (e em muitas zonas do Algarve) é uma versão mais simples, levando apenas couve, cenoura, batata, carne de porco e alguns enchidos.
Nada me dá mais prazer do que comer uma panela de couve feita pelas mãos da mamã Risonha, pois fica deliciosa... esse prazer só é superado ao pensar que dessa panelada de couve ainda vou fazer esta massinha.... perceberam agora a diferença do nome????
Coisas de gente algarvia... LOL!



Escorri o caldo da couve, aproveitanto toda a carne e alguns pedacinhos de couve.
Levei o caldo ao lume com os pedacinhos de couve até ferver e adicionei massa cotovelinhos.
Cortei as carnes em pedaços pequenos e juntei à massa. Rectifiquei os temperos e assim que a massa estava cozida servi bem quentinha.
E como tenho a sorte de ter uma vizinha que, cada vez que coze pão, me vem oferecer um pão quentinho, acompanhei esta massa com uma bela fatia deste pão acabadinho de cozer.

Nota: obviamente que se não tiverem uma vizinha como a minha podem fazer a sopa na mesma... só que se calhar não vos sabe tão bem como nos soube a nós.. eh eh eh!

sábado, 12 de Janeiro de 2008

PIZZA MAL-EMBRULHADA

É que ficou mesmo mal embrulhada!!! A ideia era enrolar esta pizza de uma forma muito certinha, de modo a ficar muito bonita, como se fosse uma torta (ou um rocambole, como dizem os nossos irmãos brasileiros) e ser baptizada de "Pizza Enrolada".
Mas usei a massa que já tinha usado aqui e esqueci-me que essa massa, embora super simples e rápida de fazer, fica um pouco pegajosa e por isso difícil de trabalhar da maneira que eu tinha idealizado.
Pensam que eu me atrapalhei??? O resultado não foi bem como eu queria, mas foi só mudar o nome à pizza... LOL! Relembro uma vez mais a receita da massa:

3 chávenas de farinha de trigo com fermento
1,5 chávena de leite
3 colheres de sopa de manteiga derretida
sal q.b.

Misturei todos os ingredientes da massa dentro de uma taça e mexi bem com a colher de pau de modo ficarem bem envolvidos (aqui nem precisam sujar as mãos). Untei um tabuleiro com óleo e estendi a massa o mais finamente possível, pois ela cresce bastante no forno (vão molhando as mãos em água morna para que seja mais fácil manejar a massa).
Em metade da massa coloquei molho de tomate (que já tinha previamente preparado), oregãos, tiras de mortadela, de chourição e de queijo. Por cima colquei mais um pouco de polpa de tomate e polvilhei com oregãos e alho em pó.
Dobrei a massa de modo a tapar o recheio (foi aqui que a coisa piorou, por isso ficou com este ar muito "rústico") e voltei a polvilhar com oregãos e sementes de sésamo.
Levei ao forno por cerca de 25 minutos e depois foi só saborear....

Nota: devem estar a pensar "A pizza está meio feia!"... pois está... mas o que perdeu em apresentação ganhou em sabor... a minha Risonha Júnior que o diga!!! Foi ela quem mais comeu... eh eh eh!

sexta-feira, 11 de Janeiro de 2008

ARROZ COM ATUM E FEIJÃO

Sempre ouvi dizer que "bom brasileiro que se preze, gosta sempre de arroz com feijão" (não sei se as minhas visitantes do Brasil poderão confirmar isso), mas eu adoro mesmo arroz com feijão, acho uma combinação perfeita - chego mesmo a pensar que numa outra encarnação devo ter sido brasileira... eh eh eh.
Por sorte os meus Risonhos também gostam muito do casamento "feijão + arroz" por isso de vez em quando lá preparo umas combinações com este tema. Desta vez foi com atum... e para isso usei:

2 latas de atum em azeite (uso sempre em azeite ou ao natural - nada de atum em óleo)
1 lata pequena de feijão encarnado
1 cebola
1 dente de alho
1 folha de louro
100gr de miolo de camarão
sal e pimenta q.b.
200gr de arroz
coentros picados q.b.

Escorrer o azeite das latas de atum e levá-lo ao lume com a cebola e o alho picado e a folha de louro, deixando alourar. Juntar o feijão deixando refogar um pouco e temperando com sal e pimenta.
Adicionar um pouco de água a ferver e de seguida juntar o arroz. Baixar o lume e ir acrescentando água quente sempre que necessário, de modo a que o arroz não fique seco.
Quando o arroz estiver quase cozido juntar o atum (previamente desfeito com um garfo) e o miolo de camarão, misturando bem e deixando apurar mais 5 minutos, rectificando os temperos.
Retirar a folha de louro, polvilhar com os coentros picados e servir de seguida.

Nota: por causa da Risonha Júnior nunca ponho picante nos pratos que confecciono, mas para quem gostar (e possa utilizar) acho que um ligeiro toque de piri-piri neste prato ficaria muito bem.

quinta-feira, 10 de Janeiro de 2008

FEBRAS ENROLADAS & PILAF DE BULGUR

Este post é o chamado "2 em 1": no mesmo post levam duas receitas pelo preço de uma... eh eh eh!
Costumava fazer estas febras quando a minha Risonha Júnior era mais pequena, pois era uma coisa que ela gostava muito... há dias é que me lembrei que não fazia à imenso tempo. Apenas fiz uma alteração ao que costumava fazer: usei iogurte natural em vez de natas (entretanto já adoptamos hábitos mais saudáveis cá em casa), mas quem quiser usar um pacote de natas esteja à vontade... lol! Acompanhei com uma receita do blog da Lídia, o Pilaf de Bulgur, que assim que vi publicado naquela "fantástica cozinha", fiquei aflita para experimentar.

Colocar um pouco de sal fino nas febras e deixar tomar gosto por 10 minutos. Barrá-las com uma camada de queijo creme (usei "Philadelphia Light" mas podem usar de qualquer outra marca) e por cima colocar uma delícia do mar. Enrolar e prender com 2 palitos para segurar.
Levar uma frigideira ao lume com margarina e fritar as febras lentamente, virando de modo a que fiquem uniformemente cozinhadas.
Numa taça misturar 1 iogurte natural, uma pitada de sal fino, 1 colher de sopa de ketchup e um pouco de pimenta, envolvendo tudo com uma vara de arames.
Quando as febras estiverem passadas juntar a mistura de iogurte à frigideira, agitar para envolver, deixar apurar o molho e servir com acompanhamento a gosto.
Cá em casa foi acompanhado com o Pilaf de Bulgur que tirei do blog da Lídia e que é uma verdadeira delícia.... aqui vos deixo também a receita do pilaf.

PILAF DE BULGUR
1 copo de bulgur
1,5 copo de água
2 colheres de sopa de manteiga (ou azeite)
sal e pimenta preta q.b.



Colocar a manteiga num tacho a derreter. Levar o bulgur a saltear levemente durante cerca de 2 minutos. Adicionar a água e os temperos e cozinhar em lume brando até que a água evapore totalmente. Desligar o lume, mexer levemente o bulgur e servir quente.

quarta-feira, 9 de Janeiro de 2008

PÃO DE LÓ COM CHOCOLATE

Mais um dos doces apresentados na nossa mesa de Natal. A receita está no Petiscos e é da autoria da Anocas-Pipocas. E é realmente uma delícia - quem gostar de pão de ló e for amante de chocolate tem mesmo que experimentar esta receita, pois além de simples e rápida de confeccionar, fica M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A!!!

150gr de açucar
4 ovos inteiros
80gr de chocolate em barra
80gr de farinha
1 colher de café de fermento



Bater os ovos com o açucar até triplicar de volume (eu bato sempre na velocidade máxima cerca de 10 minutos). Derreter o chocolate em banho-maria e juntar ao preparado.
Por fim misturar a farinha e o fermento e envolver.
Forrar uma forma de aro amovível com papel vegetal, untar o papel e verter a massa.
Levar ao forno pré-aquecido a 180º por 15 a 20 minutos.
Retirar o aro com cuidado, decorar a gosto e servir... fica com um molhinho de chocolate por dentro... hummmmmmm!!!