Sugestões para oferecer ou para ler...


sábado, 28 de Novembro de 2009

SOPA DE MISTURA DE LEGUMES

Uma das "invenções" que me agradam muito, a nível dos congelados, é as embalagens de mistura de legumes para fazer sopa.
Bem sei que uma sopa feita com legumes frescos fica mais saborosa e com muitos mais nutrientes e vitaminas, mas por vezes, quando a falta de tempo aperta, estas embalagens dão muito jeito.
Gosto particularmente de umas que se vendem no Lidl, pois são grandes (1kg), relativamente baratas e trazem uma grande variedade de legumes.
Aqui fica uma sopinha feita com essas embalagens de mistura de legumes congelados.
1 cebola grande
1 fatia de abóbora
400gr de curgette
1dl de azeite
1,2l de água
1 caldo knorr de legumes
500gr de mistura de legumes congelados
sal
noz-moscada

Descasque a cebola, as curgettes e a abóbora e corte tudo em pedaços. Refogue ligeiramente no azeite. De seguida regue com a água, junte o caldo knorr e cozinhe por 15 a 20 minutos.
Triture a sopa com a varinha mágica e quando retomar fervura envolva a mistura de legumes congelados. Tempere com sal e uma pitada de noz moscada.
Cozinhe por 10 minutos, rectifique os temperos e sirva.

quinta-feira, 26 de Novembro de 2009

FUSILLI COM PERÚ E SALSICHAS

Participo, com muito orgulho, num fórum chamado "Receitas da Amizade", cuja patroa é a nossa querida Belinha Gulosa.
Há pouco tempo no fórum foi lançado um desafio chamado "De mão em mão" que consistia no seguinte: a primeira participante agarrava numa revista de culinária, preparava uma receita da dita e enviava por correio a revista para a menina seguinte, que por sua vez escolhia uma receita, preparava e enviava a revista para a pessoa que se seguia na lista, e assim sucessivamente...
Tem sido engraçado porque a mesma revista tem feito milhares de quilómetros. Quando chegou às minhas mãos vinha de Braga, o que significa que percorreu o país de norte a sul.
Já escolhi a receita, que aqui deixo publicada hoje, e já tratei de reenviar a revista para uma meninda que vive em Albergaria.
Aqui vos deixo este prato de massa, que pode ser comido morno ou frio.
300gr de massa fusilli
1 bife de perú
sal
1 dente de alho
6 salsichas de lata
1 maçã
pimenta
4 colheres de sopa de maionese
1 ramo de salsa (usei coentros)
2 colheres de sopa de miolo de noz picado

Coza a massa, juntamente com o bife de perú, em água fervente temperada com sal e o alho, durante 8 minutos. Escorra e deixe arrefecer.
Acrescente as salsichas cortadas aos pedaços, assim como metade da maçã, igualmente cortada aos pedaços. Tempere com sal, pimenta e envolva a maionese.
Junte os coentros picados e o miolo de noz e coloque nos pratos de servir. Finalize com a restante maçã cortada em fatias.
Quem se atreve a experimentar?

terça-feira, 24 de Novembro de 2009

"ECLIPSE"

E já está... terminei de ler o 3º livro da saga "Luz e Escuridão", que teve início com "Crepúsculo" (que para mim se revelou um livro bastante interessante), "Lua Nova" (na minha opinião, até agora, o livro mais "fraquito") e agora "Eclipse" que achei fantástico.
Uma vez mais, à semelhança dos livros anteriores, a autora envolve-nos e prende-nos da primeira à última página, com uma escrita muito simples e ligeira de se ler.
Aqui fica mais um contributo da minha parte para a
Academia dos Livros.
"No silêncio mortífero que se gerou, todos os detalhes começaram a fazer sentido, como se tivesse sofrido um afluxo súbito de compreensão.
Alguma coisa que Edward não queria que eu soubesse.
Alguma coisa que Jacob não me teria ocultado.
Alguma coisa que fazia com que os Cullen e os lobos andassem a vigiar a floresta, movimentando-se perigosamente perto uns dos outros.
Alguma coisa que eu estava à espera há muito tempo.
Alguma coisa que sabia que ia acontecer novamente, por muito que desejasse que não acontecesse.
Isto nunca vai acabar, pois não?"

- Bella?
A voz suave de Edward surgiu por trás de mim, virei-me para o ver subir agilmente os degraus do alpendre, com o cabelo despenteado por ter andado a correr. Puxou-me imediatamente para os seus braços, como tinha feito no parque de estacionamento e beijou-me.
Aquele beijo assustou-me. Havia nele demasiada tensão, uma intensidade forte demais na maneira como os seus lábios esmagavam os meus - como se ele tivesse medo de que o tempo que tínhamos para estar juntos fosse limitado.

À medida que a cidade de Seattle é devastada por uma série de misteriosas mortes e uma vampira maliciosa continua com os seus planos de vingança, Bella encontra-se mais uma vez rodeada pelo perigo. No meio de tudo isto vê-se forçada a escolher entre o seu amor por Edward e a amizade com Jacob - sabendo que a sua decisão tem o poder de reacender a luta intemporal entre vampiros e lobisomens. Com o fim da escola a aproximar-se velozmente, Bella tem mais uma decisão para tomar: a vida ou a morte. Mas qual é qual?
Notas da autora:
Neste terceiro livro da saga há revelações importantes de 2 personagens (Rosalie e Jasper) sobre a altura e forma das suas transformações.
A capa do livro, ilustrada por uma fita vermelha partida, representa a escolha que Bella é obrigada a fazer entre Edward e Jacob e também a ideia de que pode acabar a sua vida como humana.

sábado, 21 de Novembro de 2009

FRANGO AO CREME

Gosto muito de cozinhar frango, pois é quase como o bacalhau - dá para fazer de 1001 maneiras diferentes.
E se repararem bem, não há revista de culinária que não traga pelo menos uma receita de frango - é que ainda é um ingrediente relativamente barato para se comprar e muito versátil na sua preparação.
Por isso sempre que cozinho este "bicharoco", já que há tantas e tão diversas receitas, tento sempre fazê-lo de maneira diferente. Foi o caso desta refeição - andei a vasculhar nas minhas revistas e encontrei esta receita que me pareceu bastante interessante.
1 frango
sal e pimenta
1 colher de chá de colorau
1 colher de chá de açafrão
1 limão
2 cebolas
4 dentes de alho
2dl de vinho branco
1dl de azeite

Corte o frango em oito pedaços e tempere com sal, pimenta, o colorau, o açafrão e o sumo do limão.
Coloque num tabuleiro de forno e junte as cebolas e os alhos picados. Regue com o vinho e o azeite e deixe tomar gosto por uma hora.
Leve ao forno durante 45 minutos a 200º, regando ocasionalmente com o próprio molho.
No final disponha os pedaços de frango no recipiente de servir e deite o molho dentro de um copo misturador. Triture e verta sobre o frango.
Sirva de seguida acompanhado a gosto. É uma verdadeira delícia... querem vir almoçar conosco?

quinta-feira, 19 de Novembro de 2009

TAMBORIL COM ARROZ E OVO ESCALFADO

Nunca vos aconteceu terem o jantar pronto na mesa, o vosso marido estar a ver futebol na televisão e terem que estar à espera dele? É que a mim acontece-me de vez em quando... É o Simão Sabrosa que nunca mais marca um golo, é o Nuno Gomes que está a ajeitar o cabelo... é um martírio, é o que é!!!
E nós até temos televisão na cozinha, mas acho que do ponto de vista masculino, o futebol visto na sala tem outro gosto, como se os golos tivessem mais precisão.
Isto é tudo muito bonito e a coisa até corre bem, desde que o jantar não seja algo com arroz e que, com a espera, fique todo "empapado", que foi o caso desta receita.
O sabor estava óptimo, mas a apresentação está meio rasca... culpa do Sr. Risonho e do jogo do Benfica.... lol... (só um esclarecimento: eu torço pelo FCP!!!!!!!!!!!!!!!)
Fazer um refogado com cebola, alho, margarina, azeite, sal, pimenta, cravinho em pó, cerveja e tomate pelado.
Depois do refogado bem apurado deitar os lombos de tamboril em pedaços, bem como miolo de camarão.
Deixar ferver 5 minutos, acrescentar mais água e, após levantar fervura, deitar o arroz.
Quando o arroz estiver cozido, deitar os ovos e borrifar com vinagre.
Baixar o lume, tapar o tacho e deixar os ovos escalfarem, polvilhando com um pouco de salsa.
Servir de imediato... sim, não se ponham à espera dos golos, pois dá para ver que o arroz dentro do tacho ainda estava com bastante caldo e... no prato, às contas do jogo, já estava ressequido... eh eh eh! Vá lá que nessa noite o Benfica até ganhou o jogo.
Para aliviar da "desgraça" do arroz, partilho convosco uma caixa de chá que fiz para oferecer à minha cunhada no seu aniversário.












Usei a técnica de madeira envelhecida, fazendo as decorações em decoupage e, como não podia deixar de ser, personalizei a caixa com o nome dela e tratei de preenché-la logo com pacotes de chá.

Espero que gostem... é uma bonita ideia para os presentes de Natal.

quarta-feira, 18 de Novembro de 2009

5 Revelações...

O meu amigo Pe. Pedro Manuel pregou-me uma partida... eh eh eh.
Lançou-me um desafio que consiste no seguinte: contar 5 coisas sobre mim.
Oh meu amigo!!! Acha que alguém quer saber alguma coisa sobre uma "estróina" que vive nesta pontinha do Algarve? LOL!!!
Mas eu não sou mulher de virar as costas aos desafios que me lançam, por isso aqui vai:


1 - Amo a minha filha acima de tudo neste mundo e tenho muito orgulho nela, por ser uma míuda bem comportada, boa aluna e muito sensível. Rezo para que Deus ilumine sempre o seu caminho e para que ela me dê sempre razões para que eu me orgulhe dela.

2 - Gosto muito de estar rodeada de pessoas, por isso escolhi uma profissão em que lido com o público diariamente. Adoro conversar, conhecer novas pessoas, trocar opiniões e acima de tudo gosto muito de rir.

3 - Curiosamente, lá por gostar de ter gente à minha volta, também gosto (e necessito) dos meus momentos de sliêncio, em que fico sózinha, a pensar na vida, a conversar com Deus, a tentar perceber os sinais que por vezes nos surgem e que nós, na nossa fraqueza de humanos, tantas vezes tentamos ignorar.

4 - Tenho a mania de sofrer e de me preocupar com as coisas dos outros - se sei que um amigo tem um problema e está a sofrer, sofro com ele e faço de tudo para ajudar (o que nem sempre é bem visto pelas outras pessoas e já me tem valido umas valentes desilusões e alguns "pontapés no cú").

5 - Tenho uma verdadeira paixão por livros - é um dos bens materiais onde eu gasto mais dinheiro. Para além disso adoro relógios (nunca saio de casa sem relógio), bijuteria em geral, cremes hidratantes para o corpo (também tenho sempre muitos em casa) e no Inverno sou completamente louca por botas (nesta altura nem me aproximo das sapatarias para não cair em tentação).

E pronto... já revelei mais um pouco sobre a pessoa que está por trás do "nick name" Risonha. Espero que não tenham ficado desiludidos.
Pe. Pedro... acha que cumpri bem a minha missão???

Passo agora o desafio à moça "mái" linda de Tavira: a minha querida Winnie.

terça-feira, 17 de Novembro de 2009

POLVO DE FRICASSÉ

Talvez já tenham reparado que constantemente publico receitas de polvo aqui no meu blog... isso tem duas explicações.
A primeira é que polvo é uma coisa que adoramos cá em casa, seja de que maneira for.
A segunda é que tenho uma amiga que constantemente me oferece um balde cheio de polvos, por isso nunca me falta este ingrediente no meu congelador.
A dificuldade às vezes é apenas pensar na maneira de confeccionar o bicharoco, para variar o mais possível. Por isso desta vez recorri a uma receita que encontrei no Gastronomias.
1,200kg de polvo
3dl de água
1dl de vinho branco
1 cebola grande
3 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de salsa picada
1 cravinho
sal
pimenta
2 gemas
1/2 limão

Prepare o polvo e coza-o introduzindo-o na água a ferver com o vinho branco.
Escorra, reserve o líquido e corte o polvo em pedaços.
À parte pique a cebola e aloure-a ligeiramente com o azeite e metade da porção de salsa picada.
Regue com 2,5dl do caldo da cozedura do polvo, tempere com o cravinho, sal e pimenta, deixe levantar fervura e introduza os pedaços de polvo. Deixe cozer um pouco.
Na altura de servir, desfaça as gemas com um pouco de molho do polvo e junte tudo.
Leve ao lume para aquecer bem e espessar um pouco sem deixar ferver.
Finalmente,fora do lume, junte o sumo de limão e a restante salsa picada.
Acompanhe com arroz branco.

Nota: acho que o molho ficaria mais saboroso (e mais bonito do ponto de vista estético) se levasse mais uma ou duas gemas.

sábado, 14 de Novembro de 2009

CASTANHAS ASSADAS NO MICROONDAS

O dia de S. Martinho foi celebrado atrasado na minha casa, visto que no passado dia 11 não jantei em casa.
Outra das razões que me levam por vezes a me "esquecer" do dia de S. Martinho é que não tenho pachorra para estar a assar castanhas.. é uma coisa que me aborrece, o que querem que faça?
Até que ontem um colega meu me contou que assava as castanhas no microondas - segundo ele era muito mais rápido e dava menos trabalho.
Verdade seja dita: as castanhas assadas de modo tradicional ficam mais saborosas, mas esta é uma forma de desenrascar para quem, como eu, tiver preguiça de as fazer de outra forma.
Dar um golpe nas castanhas (não corram o risco de deixar nenhuma sem corte senão elas literalmente explodem no microondas) e colocar num pirex, sem as sobrepôr.
Salpicar com sal grosso e erva doce.
Levar ao microondas em potência média, por cerca de 8 a 10 minutos, mexendo a meio do tempo.
E pronto... acompanhem com uma ginjinha ou com um vinho licoroso, como foi o nosso caso.
Abençoado colega que me deu a dica das castanhas no microondas.

quinta-feira, 12 de Novembro de 2009

CURGETTES RECHEADAS COM OVOS MEXIDOS

Já por diversas vezes vos confessei a minha paixão por todos os legumes em geral, entre eles a curgette (ou abobrinha, como lhe chamam os nossos irmãos brasileiros).
Por isso assim que vi esta receita da Elvira fiquei literalmente a babar, pois embora já tenha feita curgettes com os mais variados recheios, nunca me tinha lembrado de recheá-las com ovos mexidos.
Fica um prato muito leve e apetitoso, ideal para quem gosta deste legume. Fiz apenas metade da receita (que são as quantidades que aqui descrevo) e acrescentei cubinhos de queijo flamengo aos ovos. Uma vez mais se comprova o que tenho dito muitas vezes - se é uma receita da Elvira é uma receita deliciosa, sem sombra de dúvida.
2 curgettes médias
4 ovos médios
2 colheres de sopa de azeite
sal e pimenta moída no momento
salsa picada finamente
cubinhos de queijo flamengo

Aquecer o azeite em lume médio numa frigideira grande. Alourar as metades de curgette (cortadas no sentido do comprimento) por 2 a 3 minutos de cada lado.
Escorrer as curgettes sobre papel absorvente. Retirar delicadamente a polpa sem furar a casca, escavando com uma colher. Triturar a polpa, escorrer o líquido da polpa e reservar.
Numa tigela grande, bater os ovos com sal, pimenta, os cubinhos de queijo, a polpa triturada e a salsa picada.
Colocar novamente ao lume a frigideira que serviu para as curgettes. Verter o preparado anterior e mexer até os ovos começarem a coalhar.
Distribuir os ovos mexidos pelas metades de curgette e servir de imediato.

terça-feira, 10 de Novembro de 2009

"LUA NOVA"

Parece que o meu blog se transformou num espaço de livros ao invés de um blog de culinária... peço-vos desculpa, mas ler é uma das minhas grandes paixões.
Aliás, se me perguntarem se gosto mais de ler ou de cozinhar acho que nem sei responder, as duas actividades estão equiparadas no "ranking" das minhas preferências.
Cá está o segundo livro da saga "Luz e Escuridão", continuação do livro "Crepúsculo" de que já vos tinha falado.
Pode até ser um livro escrito para adolescentes, mas uma vez mais fiquei apaixonada com a história... acho que ainda tenho uma adolescente bem viva dentro de mim... Lol!
Aqui deixo mais uma contribuição para a Academia dos Livros.
"Eu sabia que ambos corríamos perigo de vida. Mesmo assim, naquele instante, senti-me bem. Completa. O coração batia aceleradamente e o sangue corria-me, quente e veloz, nas veias.
Os meus pulmões encheram-se do doce aroma que emanava da sua pele. Era como se nunca tivesse havido um buraco no meu peito.
Sentia-me óptima - não curada, mas como se nunca tivesse existido qualquer ferida."

"Senti-me como se estivesse aprisionada num daqueles pesadelos aterradores, nos quais temos que correr, correr até os pulmões rebentarem, mas não conseguimos fazer o nosso corpo deslocar-se com rapidez suficiente...
No entanto, não se tratava de sonho algum e, ao contrário do que acontecia naquele tipo de pesadelos, eu não fugia para salvar a minha vida; corria para salvar algo infinitamente mais precioso.
A minha própria vida pouca importância tinha naquele dia."

Para Bella Swan existe algo mais importante do que a própria vida: Edward Cullen. Porém, estar apaixonada por um vampiro é mais perigoso do que alguma vez ela poderia imaginar. Edward já salvou Bella das garras de um vampiro maléfico, mas agora, à medida que a sua destemida relação ameaça tudo o que se encontra por perto e todos os que lhe são queridos, eles apercebem-se de que os seus problemas podem estar apenas a começar...
Notas da autora:
Stephenie Meyer diz que este é o segundo romance sobre vampiros escrito para jovens adultos. Foi originalmente publicado em 2006 tendo sido publicado em Portugal em 2007.
Segundo a autora, ao contrário do que aconteceu no primeiro romance, a imagem que ilustra a capa - uma tulipa - não tem significado especial para a história e ela não teve qualquer participação na escolha da referida imagem.
O título refere-se à fase lunar mais obscura, indicando que Lua Nova é a fase mais sombria da vida de Bella.

sábado, 7 de Novembro de 2009

SOPA DE ABÓBORA COM ESPINAFRES

O Inverno aproxima-se a passos largos, por isso é mais que natural que o frio comece a aumentar (embora, com tivemos um Verão prolongado, agora não nos agrade muito esta súbita mudança de temperatura... pelo menos a mim não me agrada).
É tempo de começar a usar roupas mais quentinhas, de colocar mais um cobertor na cama, de ir buscar as botas e casacos compridos e... é tempo de sopa!!!
Aqui vos deixo uma sugestão para as noites frias.
300gr de abóbora
2 curgettes
2 nabos
2 cebolas
3 dentes de alho
1,5l de água
3 colheres de sopa de azeite
1/2 molho de espinafres

Colocar todos os legumes (excepto os espinafres) descascados e cortados em pedaços dentro da panela.
Juntar a água, o azeite e sal a gosto e levar ao lume. Quando os legumes estiverem cozidos triturar a sopa, adicionando mais água se necessário.
Levar novamente ao lume e após levantar fervura juntar os espinafres previamente arranjados, deixando cozinhar por mais 10 minutos.
Rectificar os temperos e servir bem quentinha.
Uma sopa simples mas muito saborosa...

quinta-feira, 5 de Novembro de 2009

BOLO SEM OVOS

Fim de semana... o tempo que já arrefeceu...
Uma vontade irresistível de fazer/comer um bolo... mas quando fui ao frigorífico vi que não tinha um único ovo em casa.
Uma preguiça enorme, que não me deixava sair à rua... e depois lembrei-me que, algures nos meus velhos cadernos de receitas, havia uma receita de bolo sem ovos.
Toca a carregar os cadernos para a sala e pedir ajuda à filhota para procurar a receita.
"Mas é possível fazer um bolo sem ovos?" - pergunta ela espantada
"Claro que sim... continua mas é a procurar a receita." - respondo eu.
Cá está ela para todos vós:
250gr de açucar
400gr de farinha
2,5dl de leite
1 colher de sopa de margarina
1 pitada de sal
raspa de meio limão
1 colher de chá de fermento em pó
2 colheres de chá de canela

Bate-se o açucar com a manteiga derretida e o sal.
Depois junta-se metade da farinha, a raspa de limão, o leite e a canela, batendo bem.
Adiciona-se a restante farinha e o fermento em pó.
Coloca-se em forma untada e enfarinha e vai ao forno, pré-aquecido a 200º, durante cerca de 1 hora, ou fazendo o teste do palito e verificar se este sai seco.
Nota: em vez de canela pode aromatizar-se o bolo com:
* raspa de laranja
* baunilha
* erva-doce

segunda-feira, 2 de Novembro de 2009

"AS IRMÃS"

Estou de volta... as férias estão mesmo no fim, daqui a 2 dias regresso ao trabalho.
O que é bom não pode durar para sempre... eh eh eh... tenho que confessar que já sinto muita falta do ritmo do dia-a-dia, do meu trabalho e das minhas colegas.
É que estar de férias também "cansa"... passei uma semana maravilhosa em Palma de Maiorca e, embora esteja a ler a saga de "Crepúsculo" (como já falei aqui), os livros são uns grandes calhamaços, por isso para levar de viagem optei por este livro de Danielle Steel, que se lê num ápice.
O que acontece quando quatro jovens mulheres muito diferentes se juntam para viver numa casa em Manhattan?
Com uma percepção e uma compaixão infalíveis, Danielle Steel conta-nos a história de quatro irmãs que, apesar da tragédia que se abate sobre a família, mantêm a capacidade de amar, de rir e de lutar. Misturando de forma brilhante o humor e a tristeza, a autora transmite uma mensagem poderosa sobre a fragilidade e o prodígio da vida.
Candy tem 21 anos e é uma supermodelo habituada a desfilar a sua beleza e a sua fama através de Paris, de Nova Iorque e de Tóquio.
A sua irmã, Tammy, de 29 anos, trabalha como produtora do programa mais famoso e mais bem-sucedido da televisão norte-americana: tem uma casa que adora em Hollywood Hills, em Los Angeles.
A irmã mais velha, Sabrina, de 34 anos, é uma jovem e ambiciosa advogada de Nova Iorque, enquanto Annie, de 26 anos mora em Florença e vive para a sua arte.
No feriado do Quatro de Julho, encontram-se em casa dos pais, no Connecticut, para a reunião familiar anual...
Porém, antes de o feriado terminar, a tragédia abate-se sobre as suas vidas e o seu mundo transforma-se por completo: em vez de continuarem a perseguir com fervor o sucesso, reunem-se para partilharem uma casa geminada em Nova Iorque, para se apoiarem mutuamente enquanto se confrontam com o novo rumo das suas vidas.
Notas sobre a autora:
Para além das notas que já publiquei aqui, para os fãs aqui fica o site oficial:
www.randomhouse.com/features/steel/
e o site pessoal:
www.daniellesteel.net