Sugestões para oferecer ou para ler...


sábado, 30 de janeiro de 2010

QUICHE DE ALHO FRANCÊS E CAMARÃO

Por vezes temos receitas fantásticas mesmo diante dos nossos olhos e nem damos por elas...
Foi o que me aconteceu com esta quiche: tinha na despensa um pacote de sopa de cebola (marca Maggi) - gosto sempre de ter sopa de cebola em casa pois dá para fazer uma infinidade de receitas.
Ao arrumar a despensa e pegar no pacote, reparei que no verso trazia uma receita de quiche de alho francês - estava decidido o que fazer para o jantar - era isso mesmo!!!
À receita original acrescentei apenas miolo de camarão e alguns cubos de queijo flamengo, reduzi as natas... et voilá... uma refeição maravilhosa.
1 pacote de sopa de cebola
1 embalagem de massa folhada
3 alhos franceses
2 pacotes de natas (usei apenas 1)
4 ovos
1 colher de sopa de manteiga
200gr de miolo de camarão
cubos de queijo flamengo
sal e pimenta

Limpe o alho francês, corte-o em rodelas, lave-o e deixe-o escorrer.
Leve ao lume um tacho com a manteiga. Junte-lhe o alho francês deixando cozinhar até que a água evapore. Junte nessa altura o miolo de camarão e deixe saltear um pouco. Tempere com sal e pimenta, retire do lume e deixe arrefecer.
Forre uma forma de tarte com a massa folhada.
Deite numa tigela o conteúdo do pacote de sopa de cebola, as natas, os ovos, uma pitada de pimenta e misture bem.
Espalhe o alho francês na tarteira, coloque por cima os cubos de queijo flamengo e cubra com a mistura das natas.
Leve ao forno, pré-aquecido a 200º, durante 40 minutos.
Sirva a quiche morna ou fria.

20 comentários:

  1. que delicioso ficou o teu quiche!adoro acompanhado cmo uma salada,bjs

    ResponderEliminar
  2. Pois ficou espectacular, com um ar bem fofinho!
    Bjs e bom sábado,
    M.

    ResponderEliminar
  3. Olha que riqueza, fizeste bem que às vezes estão mesmo à frente dos nossos olhos sim hehe ficou óptima (desculpa não te seguir, mas há vários dias que não consigo seguir ninguém ) Beijoca :*

    ResponderEliminar
  4. Que delicia menina, ficou com uma apresentação de fazer salivar. beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Amiga, que delícia!!! Amo quiche e esse daí parece estar especialmente delicioso!!!
    Obrigada por compartilhar com a gente!
    Beijos no coração!!!

    ResponderEliminar
  6. Belo aspecto, adoro camarão e queijo :)

    ResponderEliminar
  7. Adorei a tua receita, prática, rápida e saborosa. Para quem trabalha fora de casa é de grande ajuda.
    Quando vi o teu post anterior, pensei que se tratava de mais um dos teus belos trabalhos, para homenagear a tua Irmã! Enganei-me, mas gostei e vou procurar este livro porque a polémica que ele levanta está muito actual. E nenhum de nós está livre de se confrontar com este dilema! Bem hajas pela divulgação que fazes aos LIVROS!Obrigada pela tua visita ao Meu Estaminé (receitasdatiafatima) e por te teres tornado minha "cliente" (he,he)! Bjs. Bombom

    ResponderEliminar
  8. Hummm
    Que aspecto bom...
    Imagino o sabor...
    Jinhos fofos

    ResponderEliminar
  9. Que aspecto delicioso! uma inspirada combinação!...
    bom fds
    Babette

    ResponderEliminar
  10. Bom aspecto e combinação!
    bom domingo tambem!

    ResponderEliminar
  11. Ai a minha dieta... Como conseguir resistir a este aspecto..??? Beijinhos!

    ResponderEliminar
  12. pois e tinhas uma receita especatucular debaixo dos teus olhinhos.
    que bela quiche
    beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
  13. que aspecto fantastico, deve estar uma delicia....
    bj e boa semana

    ResponderEliminar
  14. E que deliciosa ficou vou levar a receita comigo, bjs.

    ResponderEliminar
  15. Nooooossssssssssaaaaaaaa!
    Água na boca!

    Adorei o blog muito show!
    Abraços Denise

    ResponderEliminar
  16. Tudo isto vale bem um sorriso:)))

    Tivesse eu mãos assim tão prendadas!!!

    Mas o meu assunto é outro. Trata-se de saber a quem cabe a guarda dos filhos, em caso de separação: se à mãe (que é, regra geral, a sua figura primária ou de referência, por ser aquela que lhes presta praticamente todos os cuidados diários), se ao pai (que, regra geral, pode ser o que reúne melhores condições), ou se a ambos (estejam ou não de acordo, e independentemente de terem ou não uma boa relação).

    Palavras sábias de um pai que ganhou, em tribunal, a custódia dos filhos: A tutela dos filhos é um empreendimento para a vida; não pode ser gerido por dois sócios que não se entendem. As pessoas não conseguem deixar de usar o seu poder para anular decisões e exercer pressões. É preferível que só um dos pais tenha a tutela, por muito que isso custe ao outro. A educação de uma criança não é passível de falhas.'

    Ponhamos a mão na consciência: se a lei não permite que se separe as crianças de junto dos seus pais, mesmo que estes vivam em fracas condições, porque razão há-de um juíz atribuir a guarda ao progenitor que ofereça melhores condições? É este o superior interesse da criança?!

    Urge reabilitar a maternidade, fazer com que as mães possam acompanhar mais de perto o desenvolvimento dos filhos!!!!

    http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N575

    ResponderEliminar

Comentem e deixem a vossa opinião. Beijinhos da amiga Risonha, daqui de onde a terra acaba e o mar começa....