Sugestões para oferecer ou para ler...


terça-feira, 29 de Junho de 2010

"PORQUÊ A MIM?"

Este livro que acabei de ler relata a história chocante de um ex-aluno da Casa Pia que foi vítima de abusos sexuais.
Quanto ao tema "Casa Pia" já nem vale a pena falar, toda a gente sabe o que é (ou foi) pois a notícia já está mais que gasta nos meios de comunicação social.
O que me cumpre dizer sobre este assunto? Acho que no processo "Casa Pia" há pessoas inocentes que estarão a ser acusados, bem como pessoas culpadas que ficarão para sempre impunes.
Esperemos que se faça justiça... mas uma coisa é certa: os traumas físicos e psicológicos que as vítimas sofreram, não há qualquer espécie de justiça que os possa apagar.
Deixo mais esta sugestão para a
Academia dos Livros.
"Pela primeira vez na minha vida. Estou a ver a lua aos quadradinhos. É mesmo como nos filmes. Sentado no parapeito da janela. Olho para o céu e penso em como tudo podia ter sido tão diferente. Só me apetece chorar. Estou a aguentar as lágrimas desde esta manhã."

Assim se inicia o relato deste ex-aluno da Casa Pia de Lisboa. Abandonado pela família aos 11 anos, Bernardo é entregue aos cuidados desta instituição. "Não te preocupes", dizem-lhe, "nunca te vão fazer mal".
Os primeiros tempos são difíceis. Louro, franzino e sensível, o rapaz é gozado pelos colegas mais velhos. Isola-se, não confia em ninguém, só no diário que escreve à noite às escondidas.
Até que faz um amigo mais velho, o motorista. Caetano dá-lhe boleias, presentes e carinho. Promete ser o pai que Bernardo nunca teve. Mas pede algo terrível em troca.
Seguem-se tempos de dor, de vergonha e de solidão que por pouco não acabam da pior maneira.
Notas sobre o autor:
Quase dez anos depois dos primeiros abusos, Bernardo Teixeira, uma das vítimas do processo de pedofilia que chocou o país, conta toda a sua história.
Um testemunho inédito e impressionante sobre o lado mais negro do ser humano, que pretende dar voz aos inocentes e trazer alguma paz ao seu protagonista.

sábado, 26 de Junho de 2010

BOLO DE CAFÉ COM AMÊNDOA E MAÇÃ

Corri, corri... mas ainda venho a tempo de participar no desafio do blog Delícias e Talentos, que desta vez nos pede que preparemos uma receita em que pelo menos dois ingredientes comecem pela letra M.
Escolhi um bolo que preaparei há algum tempo para uma venda de beneficiência.
Retirei a receita de uma revista que tinha em casa, alterei algumas coisas... e saíu do forno um bolo com um aspecto exterior muito bonito mas... algo "enqueijado" no interior.
Às vezes as minhas invenções malucas dão nisto... eh eh eh... de qualquer forma o sabor era muito agradável por isso acho que merece participar neste desafio.
4 Maçãs raladas
200gr de açucar
200gr de Margarina à temperatura ambiente
2 ovos
100gr de farinha
1 colher de chá de fermento
100gr de Maizena
2dl de carfé forte
100gr de amêndoa laminada
Margarina para untar e farinha para polvilhar
Barrar uma forma com margarina e polvilhar com farinha. Ligar o forno a 180º.
Bater o açucar com a margarina até obter um creme liso. Juntar as gemas batendo bem, e adicionar depois a farinha, o fermento, a maizena e o café frio. Bater bem de modo a que fique tudo envolvido.
Juntar as maçãs raladas e o miolo de amêndoa e misture delicadamente.
Finalmente bater as claras em castelo, envolvendo cuidadosamente ao preparado.
Deitar na forma e levar ao forno por cerca de 50 minutos, verificando a cozedura com um palito.
Deixar arrefecer, desenformando de seguida.
Há um ano atrás falei-vos de: Gelado de Morango

quinta-feira, 24 de Junho de 2010

ESPETADAS TROPICAIS

Umas espetadas que não têm nada de especial e que serviram apenas para aproveitar 2 costoletas que já estavam temperadas e um resto de ananás que andava no frigorífico.
É que neste dia não me estava a apetecer nada costoletas grelhadas. Com um toque de imaginação consegue-se uma refeição diferente e com um "ar chique".
Querem ver? 2 costoletas (previamente temperadas)
ananás em pedaços
1/2 pimento verde
tomate cereja
camarão

Cortar as costoletas em cubos de tamanho regular.
Colocar no espeto quadrados de pimento, um pedaço de carne e um pedaço de ananás.
Ir intercalando a carne com o ananás até se acabarem os ingredientes.
Terminar com um camarão e um tomate cereja.
Levar a grelhar e servir acompanhado de arroz e salada de cenoura.
Mais fácil? É que não pode haver...
Sabor? Uma delícia!!! O ananás combina na perfeição com a carne de porco...
Há um ano atrás falei-vos de: Clafoutis de Maçã Reineta

terça-feira, 22 de Junho de 2010

"O PROFETA"

Este livro foi-me dado a conhecer pela minha filha. Durante as aulas de Língua Portuguesa do 2º período, a professora de vez em quando lia uns excertos do livro nas aulas para os alunos ouvirem e a míuda ficou encantada de tal forma, que me recomendou que comprasse o livro.
Li e adorei... é um livro lindo, que aborda uma infinidade de temas e que deve ser lido devagar, de modo a ser inteiramente "saboreado",
Deixo-vos uns excertos do livro sobre o tema "Amizade", um valor muito esquecido nos dias de hoje. E aproveito para deixar mais esta sugestão de leitura para a Academia dos Livros.
"O vosso amigo são os vossos desejos cumpridos. É o vosso campo que semeais com amor e colheis com gratidão. É a vossa mesa servida e o vosso átrio".
"Quando o vosso amigo vos diz o que pensa, não o receeis do vosso espírito nem o retenhais. E quando estiver silencioso, não deixe o vosso coração de escutar o seu coração."
"Quando vos separardes do vosso amigo, não vos entristeçais, porque aquilo que de melhor amais nele pode tornar-se mais claro na sua ausência..."
"E que o melhor que haja em vós seja para o vosso amigo."
"Pois para que serve o amigo se o procurais apenas para matar o tempo? Procurai-o sempre para as horas vivas."
"E que na doçura da amizade residam a alegria e a partilha dos prazeres. Pois no orvalho das coisas pequenas o coração encontra a sua manhã e se reanima."
Notas sobre o autor:
Os primeiros anos de vida de Kahlil Gibran foram passados no Líbano. Em 1895 - tinha 12 anos - emigrou com a sua família para Boston. Após um período onde estudou em Paris, mudou-se para Nova Iorque e foi aí que escreveu o seu universalmente aclamado O Profeta.
Iniciado por Gibran aos 15 anos, O Profeta só surgiu na sua forma definitiva em 1923; foi traduzido em dezenas de línguas e alcançou o sucesso mundial.
Seguindo o versículo bíblico na sua simplicidade, Gibran combina ensinamentos cristãos, sufistas e budistas e, através da sua personagem Al-Mustafá, propõe a meditação filosófica com imagens retiradas da Natureza e inspira a reflexão e a elevação da alma.
Kahlil Gibran morreu em 1931, aos 48 anos.

sábado, 19 de Junho de 2010

ASAS DE FRANGO COM MOLHO DE CANELA

Há pouco tempo atrás fartei-me de rir com o meu amigo Nuno Paixão, pois descobri que ele é incapaz de comer as asas do frango, pois, segundo ele, é "a parte dos sovacos do bicho" e como tal não é capaz de as comer... só o que nós dois rimos juntos no talho à conta desta conversa...
Pois eu gosto bastante de asas de frango e como adoro o aroma da canela, resolvi experimentar esta receita que descobri numa revista, algures perdida entre as muitas que tenho em casa.
Para os verdadeiros amantes de canela, aqui vai:
600gr de asas de frango
1 folha de louro
3 dentes de alho
1/2dl de azeite
1 colher de sopa de farinha
1dl de água
0,5dl de vinho tinto
1 colher de chá bem cheia de canela
sal, pimenta e salsa picada

Tempere as asas de frango com sal, pimenta, louro e o alho picado e deixe tomar gosto durante uma hora.
Aloure a carne no azeite, polvilhe ligeiramente com a farinha e de seguida regue com a água, deixando cozer em lume brando.
Adicione o vinho tinto e a canela, deixe apurar e sirva decorado com salsa picada.
Desculpa que te diga Nuno... mas não sabes o que perdes!!! Eh eh eh...
Há um ano atrás falei-vos de: Pão de Quatro Farinhas

quinta-feira, 17 de Junho de 2010

BOLO RÚSTICO DE MAÇÃ

Não consigo resistir a bolos e sobremesas que levem maçã... é que não consigo mesmo!
Por isso assim que vi esta receita num fascículo da "TV 7Dias" não descansei enquanto não experimentei.
O que posso dizer? Fica um bolo grande, fofo, , com um leve toque de canela e a frescura dos pedaços de maçã... ideal para acompanhar com um bom chá ou para levar para o lanche de uma tarde de praia.
1,5 chávena de açucar amarelo
raspa de 1 limão
1 chávena de óleo
4 ovos
2 chávenas de farinha
uma pitada de sal
1 colher de chá de canela em pó
1 chávena de sultanas
1/2 chávena de nozes picadas
2 maçãs reinetas cortadas aos cubos
1 colher de chá de fermento
* a chávena utilizada tem a capacidade de 200ml

Ligue o forno a 180º. Unte uma forma com margarina e polvilhe com farinha.
Misture o açucar com a raspa de limão e o óleo.
Junte os ovos, a farinha, o sal, a canela, o fermento e bata bem.
Misture os frutos secos e os pedaços de maçã, envolvendo bem, e deite na forma.
Leve a cozer durante 50 minutos.
São servidos?!?
Há um ano atrás falei-vos de: Clafoutis de Cerejas

domingo, 13 de Junho de 2010

"O BRAÇO ESQUERDO DE DEUS"

Desde que este livro foi lançado, assim que li a sua sinopse e as críticas bastante favoráveis que lhe eram feitas, fiquei cheia de vontade de o ler e o ter na minha estante.
Num passeio feito há algum tempo a Olhão, a minha filha, por artes e manhas, comprou o livro sem que eu percebesse e surpreendeu-me no Dia da Mãe com esta prenda que me deixou muito feliz.
A história é envolvente e, como na sub-capa do livro diz que este volume é o primeiro de uma trilogia, só espero que os outros volumes não demorem muito a ser lançados, pois fiquei muito curiosa com a continuação da narrativa.
Aqui fica uma boa sugestão para as tardes de praia: a leitura deste livro. E envio mais uma contribuição para a Academia dos Livros.
A sua chegada foi profetizada. Dizem que ele destruirá o mundo. Talvez o faça...

"Escutem. O Santuário dos Redentores, em Shotover Scarp, é uma mentira infame, pois lá ninguém encontra santuário e muito menos redenção."
O Santuário dos Redentores é um lugar vasto e isolado - um lugar sem alegria e esperança. A maior parte dos seus ocupantes foi levada para lá ainda em criança e submetida durante anos ao brutal regime dos Redentores, cuja crueldade e violência têm apenas um objectivo - servir a Única e Verdadeira Fé.
Num dos lúgubres e labirínticos corredores do Santuário, um jovem acólito ousa violar as regras e espreitar por uma janela. Terá talvez uns catorze ou quinze anos, não sabe ao certo, ninguém sabe, e há muito que esqueceu o seu nome verdadeiro - agora chamam-lhe Cale.
É um rapaz estranho e reservado, engenhoso e fascinante. Está tão habituado à crueldade que parece imune a ela, até ao dia em que abre a porta errada na altura errada e testemunha um acto tão terrível que a única solução possível é a fuga.
Mas os Redentores querem Cale a qualquer preço... não por causa do segredo que ele sabe mas por outro que ele nem sequer desconfia.
Notas sobre o autor:
Escritor e argumentista britânico, Paul Hoffman colaborou durante algum tempo com o organismo responsável pela classificação de filmes no Reino Unido.
Escreveu o argumento de três filmes, em co-autoria, e trabalhou com, entre outros, Francis Ford Coppola.
O seu primeiro romance, The Window of Crocodiles, deu origem a um filme protagonizado por Jude law e Timothy Spall.
Seguiu-se The Golden Age of Censorship, uma comédia negra publicada em 2007.
O Braço Esquerdo de Deus é o primeiro volume de uma notável trilogia de fantasia.

quinta-feira, 10 de Junho de 2010

ESTUFADO DE PORCO COM VINHO TINTO

Lembro-me de, há alguns anos atrás, numa viagem que fiz pelo norte de Portugal, ter comido uma carne de porco estufada em vinho tinto, que estava uma delícia. Nunca mais comi nenhuma igual.
Há pouco tempo atrás resolvi tentar recriar em casa o prato que tinha comido. Não ficou bem igual ao prato do dito restaurante, mas o sabor assemelhava-se bastante e deu para matar as saudades.
A carne fica com um aspecto escuro e não muito agradável à vista, mas posso garantir que de sabor é do melhor que há...
900gr de carne de porco em cubos
2 cebola
4 dentes de alho
1 colher de chá de colorau
sal e pimenta
3dl de vinho tinto
1dl de azeite

Tempere a carne com a cebola e os alhos picados, o colorau, sal, pimenta e o vinho, deixando marinar por algumas horas.
Leve o azeite ao lume e aloure a carne, juntamente com os sólidos da marinada.
Regue com o líquido da mesma e cozinhe lentamente durante 40 minutos.
Acompanhe com arroz branco.
Há um ano atrás falei-vos de: Pão de Cenoura

sexta-feira, 4 de Junho de 2010

ALBONA CHOCOLATE MUFFINS

O que vos trago hoje nem é uma receita. É mais uma recente descoberta que fiz no supermercado "Aldi": um preparado para muffins, ao qual basta juntar água, agitar, colocar nas formas e levar ao forno, sendo que as forminhas já vêm incluídas na embalagem.
O que é que se pode pedir mais por apenas 1,99€? Ideal para aqueles dias em que nos apetece algo doce mas que estamos dominadas pela preguiça...
Eh eh eh... tenho um grande amigo que a esta hora deve estar a pensar "É mesmo à pobre... no Aldi.. e ainda por cima tão barato!!!" LLLLLOOOOOOLLLLLLLL


Para quem gosta de beber um copo de leite frio ao deitar, acompanhar com um muffin destes é do melhor...
Há um ano atrás falei-vos de: Creme de Iogurte e Morango

terça-feira, 1 de Junho de 2010

COELHO ASSADO COM COENTROS

Coelho é uma carne muito apreciada por todos cá em casa (ok... menos a cabeça - essa fica sempre para a cozinheira: eu).
Coentros é também uma erva aromática bastante apreciada... menos pela filhota, mas desta vez até comeu e nem reclamou.
Embora o tempo esteja bastante quente e não apeteça muito ligar o forno, o coelho saltou para o tabuleiro, fez-se acompanhar dos coentros e proporcionou uma bela refeição.

1 coelho
6 dentes de alho
1 raminho de coentros
alecrim
1,5dl de azeite
sal e pimenta
1dl de vinho branco

Corte o coelho em pedaços e tempere-o com sal, pimenta, o alecrim e o vinho branco. Deixe tomar gosto por algumas horas.
Pique os alhos e os coentros e refogue-os no azeite.
Coloque os peadaços de coelho num tabuleiro juntamente com a marinada, regue com o refogado dos alhos, coentros e azeite e leve ao forno, a 200º, durante 40 a 50 minutos, virando o coelho a meio do tempo e pincelando de vez em quando com o molho.
Sirva com acompanhamento a gosto... os verdadeiros apreciadores de coentros têm mesmo que provar este prato.