Sugestões para oferecer ou para ler...


sábado, 30 de Abril de 2011

SOPA DE BACALHAU À MODA DO CAMPO

O tempo nesta última semana não me tem dado para nada; nem para visitar os blogs amigos (pelo que peço desde já desculpa) nem para fazer grandes cozinhados.
Mas um dia destes descobri no fundo de uma gaveta um recorte com esta receita, que tinha retirado de uma revista.
É uma sopa agradável... algures entre a açorda e um prato mais substancial.
Uma boa opção para o jantar, agora que as noites parece que voltaram a ser chuvosas...


3 postas de bacalhau
1 colher de sopa de alho picado
1kg de tomate maduro
3 cebolas
3 batatas grandes
1 ramo de coentros
1/2 pão caseiro duro
1dl de azeite
sal

Num tacho coloque o tomate cortado em pedaços, as cebolas, as batatas cortadas às rodelas e o alho picado.
Disponha as postas de bacalhau por cima. Junte os coentros e tempere com um pouco de sal. Cubra tudo com água e deixe cozer.
Corte o pão em fatias finas e coloque-as num alguidar de barro. Escalde-as com o caldo da cozedura do bacalhau. Regue com o azeite e deixe abeberar.
Disponha por cima as batatas, as cebolas, o tomate e o bacalhau em lascas.
Sirva bem quente... muito bom!

quinta-feira, 28 de Abril de 2011

PÊRA LAMINADA COM STRACCIATELLA

Mais uma receita retirada de uma das minhas revistas favoritas, a revista "Saúde à Mesa", desta vez do passado mês de Fevereiro. Uma sobremesa agradável para estes dias que já começam a ficar quentes e que serviu na perfeição para acabar com uma caixa de gelado que andava esquecida no congelador.

500ml de água
50gr de açucar light (usei frutose)
4 grãos de cardamomo
1 pau de canela
1/2 limão
4 pêras
topping de morango
4 bolas de gelado stracciatella

Leve ao lume um tacho com a água, o açucar, o cardamomo, o pau de canela e o limão previamente espremido, bem como a casca do mesmo. Deixe ferver.
Lave as pêras, junte-as à calda e deixe cozer durante 15 minutos. Depois deixe-as arrefecer dentro da calda. Quando estiverem frias, corte-as ao meio e retire-lhes as pevides. Corte-as em fatias finas e disponha-as harmoniosamente nos pratos de servir. Leve ao frigorífico para refrescar um pouco.
Coloque uma bola de gelado stracciatella em cada prato, decore com o topping de morango e sirva decorado com uma folhinha de hortelã. Uma sobremesa fresca e diferente.
Nota: aproveite a calda de cozer as pêras para regar uma salada de fruta ou um bolo.
Informação Nutricional da revista "Saúde à Mesa":
Ingredientes para 4 pessoas
Calorias por dose: 205Kcal
Interesse nutricional: rica em fibras, potássio e flavonóides

terça-feira, 26 de Abril de 2011

CARIL DE LEGUMES E CAMARÃO

Cá está mais um daqueles pratos que eu cá em casa faço apenas para mim, pois o resto do pessoal não é muito dado a estas experiências.
A receita foi retirada de um dos fascículos da revista "TV 7Dias" e para mim é um verdadeiro pitéu, embora lhe tenha feito algumas alterações. Se gostam de legumes e do sabor do caril não deixem de experimentar...
2 curgettes
1 nabo
2 dentes de alho
1 cebola
400gr de camarão
1 tomate maduro
1dl de vinho branco
2dl de leite de côco
1 colher de sopa de caril em pó
sal e azeite q.b.

Arranje e corte em pedaços a curgette e o nabo. Pique finamente os alhos e a cebola. Refogue-os no azeite, até ficarem lourinhos, e junte-lhes os camarões.
Acrescente depois o tomate, arranjado e cortado aos cubinhos, e deixe refogar até apurar.
Adicione então a curgette e o nabo e tempere com sal e pimenta. Refresque com o vinho e deixe reduzir para metade.
Envolva-lhes depois o leite de côco e o caril. Deixe cozinhar por cinco minutos e rectifique os temperos. Sirva de imediato.

segunda-feira, 25 de Abril de 2011

"UMA DOR SILENCIOSA"

Este é um livro que é sempre incómodo de ler... acho que a principal intenção do autor seria mesmo essa: incomodar-nos e fazer-nos pensar nos casos de pedofilia.
A mim faz-me muita confusão pensar que existe pedofilia no nosso país e por esse mundo fora, incomoda-me saber o que certas pessoas são capazes de fazer a crianças inocentes.
Por todas estas razões e muitas mais acho que livros destes deveriam sempre ser lidos, mais que não seja para "ouvirmos" as pessoas que durante tantos anos foram silenciadas. Aqui fica mais uma sugestão para a
Academia dos Livros.
"Desde os anos 70, pelo menos, que está activa também em Portugal uma rede internacional de pedofilia que envolve as crianças e os adolescentes da Casa Pia. No nosso país há personalidades do mundo da política, do futebol, empresários e artistas, alguns deles ainda no activo e outros não, que estão implicados na rede. Agora, por causa do processo, todos esses pedófilos e os seus cúmplices estão quietos. Mas a rede não foi desmantelada. Em lugares-chave da Casa Pia estão funcionários que dentro de um ou dois anos, tenho a certeza, activarão mais uma vez este polvo medonho porque, cá fora, estão os pedófilos que nunca foram a tribunal e que continuarão a querer crianças por pervesão.
Infelizmente, eu sou apenas um empregado de mesa, sem dinheiro. Não tenho quem me proteja e não tenho quem me defenda. Preocupo-me com o que possa acontecer no futuro às crianças que estão na Casa Pia e a outras crianças portuguesas que, não sendo alunas da Casa Piak, também poderão ser apanhadas nesta rede, como aconteceu no passado."

"Conto a minha história por três razões: a primeira de todas é para que a Casa Pia não seja esquecida e não deixe de estar na mira do país inteiro e, sobretudo, de quem deve zelar por ela.... em segundo lugar, para que toda a gente saiba a verdade sobre o que realmente se passou; em terceiro, e esta é a menos importante das três razões, porque talvez seja uma maneira de eu conseguir encerrar um capítulo muito triste e muito doloroso da minha vida. Embora saiba que nunca conseguirei esquecer o que se passou..."

Notas sobre o autor:
Francisco Guerra nasceu na Damaia a 27 de Outubro de 1985.
Foi retirado da guarda da família com cerca de cinco anos, idade em que é recebido pela primeira vez, numa instituição de solidariedade social: o Lar Evangélico Português, em Águas Santas. Uns anos mais tarde, é transferido para a Casa Pia de Lisboa, onde chega no dia 4 de Maio de 1998. Fica instalado no Lar Alfredo Soares e aí passa alguns dos anos mais difíceis da sua juventude, por ser vítima de diversos abusos sexuais.
Esta situação culmina com o início do processo Casa Pia, que incrimina várias pessoas da instituição, bem como da vida pública portuguesa.
Francisco Guerra conta à Polícia Judiciária o que sabe sobre o assunto, tendo em conta o seu suposto envolvimento no caso, acabando por ser considerado pela Polícia Judiciária e pelo Ministério Público uma das pricipais testemunhas do proceso. Hoje em dia, trabalha como empregado de mesa e, em simultâneo, estuda canto. O seu sonho é tornar-se tenor e levar a sua música aos outros.

sábado, 23 de Abril de 2011

ROLO DE CARNE COM OVO COZIDO

Uma refeição muito simples de confeccionar e que é muito apreciada, especialmente pelas crianças. Bem sei que não é um prato que seja muito adequado à época da Páscoa, mas não há nada como variar um pouco das ementas tradicionais...
700gr de carne de porco picada
2dl de leite
1 carcaça dura
3 dentes de alho picados
sal, pimenta e noz moscada
pão ralado
2 ovos cozidos
azeite
margarina

Demolhe a carcaça no leite até embeber todo o líquido.
Misture com a carne e com o alho picado, pão ralado e tempere com sal, pimenta e noz moscada, amassando bem de modo a que todos os ingredientes se misturem uniformemente e a mistura se solte das mãos (ir acrescentando o pão ralado aos poucos até estar no ponto certo).
Colocar a mistura de carne sobre papel de alumínio ou papel vegetal e moldar em forma de rectângulo.
Rechear com os ovos cozidos e enrolar em forma de rolo. Colocar num tabuleiro untado com azeite e por cima colocar algumas nozinhas de margarina.
Levar ao forno, pré-aquecido a 200º, durante cerca de 45 minutos.
Partir em fatias e servir com esparguete.
Uma Santa Páscoa para todos!!!

quinta-feira, 21 de Abril de 2011

BOLACHAS DE CHOCOLATE E CACAU

Bem sei que nesta altura do ano deveria estar a publicar folares ou algo do género, mas este ano não me tem apetecido "meter a mão na massa" nem fazer os doces tradicionais da Páscoa.
Digamos que estou com um ataque de preguicite... eh eh eh.
Mas ao ver esta receita no blog da Bela achei que estas bolachinhas podiam substituir na perfeição os folares. E se forem acompanhadas de um copo de leite é do melhor que há.
Estas serviram de lanche a uns meninos muito especiais, mas entretanto a receita já foi repetida...

250gr de manteiga à temperatura ambiente
2 ovos
1 tabelete de chocolate de 250gr
100gr de cacau
150gr de açucar amarelo
1 pitada de sal
350gr de farinha
1 colher de sobremesa de fermento em pó

Derrete-se a manteiga com o chocolate e o cacau, depois juntam-se os outros ingredientes e bate-se por 2 a 3 minutos na batedeira.
Coloca-se a massa dentro do dispara-biscoitos, colocam-se as bolachas num tabuleiro forrado com papel vegetal e vai ao forno, a 180º, durante 15 minutos.
Fáceis e com um sabor delicioso.
Aqui ficam mais duas velas que fiz no Natal passado... usando 2 velas, guardanapo, algumas purpurinas, um resto de "fita de pérolas" da árvore de natal e um pouco de cola quente, resultaram umas velas bem simpáticas.
Por vezes com pouco material consegue-se fazer coisas engraçadas...

quarta-feira, 20 de Abril de 2011

"ATÉ QUE O RIO NOS SEPARE"

Uma obra carregada de emoção e ternura. Imaginem alguém com uma doença cancerígena em fase terminal, que tem uma lista de 10 desejos que gostaria de realizar antes de morrer. E outro alguém que faz tudo por tudo para lhe realizar esses mesmos desejos, lutanto contra tudo e contra todos.
Acho que está tudo dito... uma história linda que não deixará ninguém indiferente e mais uma óptima sugestão para a
Academia dos Livros.
Doss Michaels nasceu e cresceu num parque de caravanas junto ao rio St. Mary e tenta sobreviver como pintor. Abigail Coleman é a única e lindíssima filha do mais poderoso senador da Carolina do Sul. Um único encontro foi suficiente para perceberem que ficariam juntos para sempre.
Após dez anos de casamento, Abbie debate-se com uma doença terminal. Sempre a seu lado, Doss trava com ela uma terrível batalha pela vida. Quando Abbie elabora uma lista de dez coisas que gostava de fazer antes de morrer, Doss faz tudo para a ajudar a concretizar os seus desejos.
E, antes que seja tarde de mais, partem juntos para a viagem das suas vidas.
Notas sobre o autor:
Charles Martin licenciou-se em Inglês pela Florida State University, é mestre em Jornalismo e doutorado em Comunicação pela Regent University. Foi professor adjunto do Departamento de Inglês na Hampton University durante um ano e em 1999 deixou a carreira de empresário para se dedicar à escrita.
O autor vive com a mulher, Christy, e os seus três filhos, Charlie, John T. e Rives, junto ao St. John's River, em Jacksonville, no estado da Florida, EUA.

terça-feira, 19 de Abril de 2011

CATAPLANA DE RAIA


Mais uma receita de peixe, já que vivo numa terra de pescadores. A raia cá em casa quase sempre é confeccionada na caldeirada, juntamente com outros peixes, ou então cozida.
Depois de descobrir
esta receita da Colher-de-Pau fiquei curiosa, e satisfazendo a minha curiosidade sempre tinha oportunidade de tirar a cataplana da prateleira.


2 asas de raia
1 cebola
1 pimento verde (usei 1/2 pimento verde e 1/2 pimento vermelho)
1 lata pequena de tomate pelado
1 raminho de coentros
sal
1 malagueta
100ml de vinho branco
azeite q.b.
8 batatinhas novas

No fundo da cataplana (ou na falta desta num tacho que feche bem) coloque a cebola cortada em rodelas. Coloque depois as asas de raia, o pimento em tiras e o tomate cortado em pedaços. Tempere com sal, a malagueta em pedacinhos, o ramo de coentros e regue com o vinho branco e o azeite.
Feche a cataplana e deixe cozinhar cerca de 20 minutos em lume brando.
Entretanto coza as batatinhas em água temperada de sal.
Junte as batatinhas já cozidas à cataplana e sirva de imediato.
Sem dúvida uma maneira diferente e muito saborosa de comer raia...

sábado, 16 de Abril de 2011

ENTRECOSTO À CHINESA


Bem sei que o tempo tem estado algo quente para ligar o forno, mas não se iludam... parece que na próxima semana as temperaturas vão descer e vamos ter chuva. Por isso é uma óptima altura para confeccionar este prato, cuja receita tirei do site Gastronomias. No talho encontrei entrecosto com alguma gordura, pedi para ser partido em pequenos pedaços e ficou da forma ideal para a confecção desta receita que foi muito apreciada.

1 colher de café de gengibre em pó
2 colheres de sopa de açucar amarelo
1,5kg de entrecosto de porco
4 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto (usei vinagre balsâmico)
2 dentes de alho
5 colheres de sopa de vinho do Porto seco
1/2 chávena de chá de caldo de carne
4 colheres de sopa de molho de soja
sal q.b.

Corte o entrecosto em pedaços não muito pequenos, coloque-os numa tigela, junte os alhos bem picados, um pouco de sal e todos os outros temperos, incluindo o caldo de carne; misture muito bem e deixe ficar nesta marinada durante 2 horas no frigorífico.
Depois, deite tudo num tabuleiro e leve a assar em forno bastante quente, uma vez por outra vá regando com o próprio molho e virando. Se verificar que começa a corar demasiado, cubra o tabuleiro com papel de alumínio.
O tempo de cozedura ronda os 40 minutos.
Sirva com acompanhamento a gosto (no nosso caso foi com batatas assadas no forno, pão torrado e grelos cozidos).

Há um ano atrás falei-vos de: Cogumelos Recheados

quinta-feira, 14 de Abril de 2011

BOLO DE CENOURA COM NOZES


Mais um bolo saído da minha cozinha - bolos de cenoura são sempre uma perdição aqui em casa, e este levando nozes fica muito apetitoso.
A receita é da revista "Saúde à Mesa" (uma vez mais volto a dizer que é a minha revista de culinária preferida) do passado mês de Fevereiro.
Simples de fazer e rápido de comer... não fica um bolo muito grande mas é um bolo muito fofinho!


2 cenouras
100gr de miolo de noz
80gr de margarina vegetal
2 colheres de sopa de adoçante para culinária (usei frutose)
4 ovos
180gr de farinha integral
1 colher de sobremesa de fermento em pó
margarina vegetal para untar
farinha para polvilhar

Descasque as cenouras, lave-as, rale-as finamente e reserve. Pique o miolo de noz e reserve. Unte uma forma com margarina e polvilhe-a com farinha. Ligue o forno a 180º.
Numa taça junte a margarina com a frutose e bata bem até obter um preparado esbranquiçado. Junte depois os ovos, um a um e batendo bem entre cada adição. Acrescente aos poucos a farinha peneirada com o fermento e bata muito bem. De seguida junte a cenoura ralada e o miolo de noz. Misture tudo muito bem e verta na forma.
Leve ao forno durante aproximadamente 40 minutos, verificando a cozedura com um palito. Se necessário, cubra o bolo com uma folha de papel vegetal. Retire do forno, desenforme e deixe arrefecer.
Informação Nutricional da revista "Saúde à Mesa":
Ingredientes para 8 pessoas
Calorias por dose: 279 Kcal
Interesse Nutricional: rica em amido, ácidos gordos polinsaturados e vitaminas E e A.

Há um ano atrás falei-vos de: Strogonoff de Vitela

terça-feira, 12 de Abril de 2011

BACALHAU RÁPIDO


Primeira receita saída directamente do livro "Feito em Casa" da autoria da nossa querida Colher-de-Pau. Pratos de bacalhau são sempre bem vindos cá em casa (tirando a minha filha que não lhe pode nem sentir o cheiro) e se forem de confecção rápida melhor ainda. Aqui fica uma belíssima sugestão para um jantar que se faz num instantinho e que fica com um ar muito requintado.

200gr de batata palha
400gr de migas de bacalhau
1 cenoura grande
1 cebola
1 dente de alho
1 folha de louro
azeite q.b.
pimenta
200ml de molho béchamel
pão ralado

De véspera coloque as migas de bacalhau de molho. Quando estiverem devidamente demolhadas, escorra-as o melhor possível.
Leve um tacho ao lume com azeite e refogue a cebola cortada em rodelas finas, o dente de alho picado e o louro. Junte depois o bacalhau já demolhado e deixe estufar. Adicione depois a cenoura ralada e tempere tudo com um pouco de pimenta.
Assim que este preparado estiver cozinhado, junte a batata palha e mexa bem, de modo a que a batata embeba o líquido que entretanto se formou e fique macia.
Adicione metade do béchamel e transfira a mistura para um prato de ir ao forno e à mesa. Cubra com o restante béchamel e polvilhe com pão ralado.
Leve a forno quente, apenas para gratinar, e sirva com uma salada verde.

Nota: seguindo a sugestão da Colher-de-Pau, congelei o que sobrou da refeição e garanto que depois de descongelado e aquecido fica como se fosse feito na hora. Dá sempre jeito ter refeições congeladas para os dias em que não temos nada à mão.

sábado, 9 de Abril de 2011

CAMARÃO NO FORNO COM HORTELÃ

Camarões no congelador... um fim de tarde quente... sabia-me tão bem um jantar com sabor a "petisco". Mas não me apetecia camarões cozidos, e também não estava com vontade de os fazer fritos e ficar com a cozinha a cheirar a frituras. Aproveitando que a hortelã da minha horta está viçosa, improvisei uns camarões no forno que ficaram com um toque muito "fresco". Parece que estão mesmo a chamar o Verão...

1kg de camarão
sumo de 1 limão
0,5dl de whisky
1dl de azeite
4 dentes de alho
8 a 10 folhas de hortelã
sal, pimenta, noz moscada, colorau e margarina

Numa taça misturar o sumo de limão, o azeite, o whisky e as folhas de hortelã. Deixar a mistura marinar durante pelo menos 2 horas, de modo a que o azeite absorva o aroma da hortelã.
Dar um corte no lombo dos camarões, colocar num tabuleiro e temperar com sal, pimenta, noz moscada, colorau em pó e os alhos picados. Por cima colocar algumas nozinhas de margarina.
Levar ao forno, a 180º, durante 10 minutos. Após esse tempo juntar a infusão de azeite e hortelã, pincelando bem os camarões.
Levar novamente ao forno por mais 20 minutos.
Servir acompanhado de pão torrado e uma cerveja bem fresquinha.
Uma bela sugestão para o fim de semana, não vos parece?

quinta-feira, 7 de Abril de 2011

BOLO DE CHOCOLATE VEGAN


Este é daqueles bolos que ou se gosta muito ou não se gosta nada... tem um forte sabor a cacau e fica algo "massudo". Para mim é um bolo óptimo para acompanhar uma chávena de café, pois gosto bastante do sabor a cacau e não me importo nada que os bolos fiquem "pesados" (se bem que também gosto deles fofinhos). Cá em casa o bolo não reuniu consenso: eu gostei muito, a minha filha não gostou nada e o meu marido e a minha mãe ficaram-se pelo "já comi coisas melhores". A receita foi retirada da revista Prevenir do passado mês de Fevereiro.



3 chávenas de chá de farinha de trigo integral
1,5 chávena de açucar mascavado ou frutose (usei frutose)
1 chávena de cacau em pó
1/2 chávena de óleo
2 chávenas de leite de soja de baunilha
* a chávena utilizada tem a capacidade de 200ml

Bater tudo muito bem e levar ao forno, a 180º, durante 40 minutos.
Não leva ovos, é fácil de fazer e quanto a mim é muito bom. Alguém se atreve a provar uma fatia?

Há um ano atrás falei-vos de: Bolo de Pudim de Chocolate

terça-feira, 5 de Abril de 2011

PÃEZINHOS CASEIROS COM SÉSAMO


Se é verdade que a máquina do pão dá uma grande ajuda na tarefa de amassar (e também cozer) os pães, também é verdade que há dias me deram umas saudades enormes de "pôr a mão na massa" e preparar pão à moda antiga, sem recorrer à ajuda de máquinas. Mas não me apetecia "um pão", mas sim pãezinhos para comermos ao lanche. Vejam só o que saíu...



2 chávenas de água morna
2 colheres de sopa de açucar
1 colher de chá de sal
4 colheres de sopa de óleo
4 chávenas de farinha de trigo
1 chávena de Maizena
1 saqueta de Fermipan
leite para pincelar
sementes de sésamo para polvilhar
* a chávena utilizada tem a capacidade de 200ml

Numa tigela dissolver o fermento na água morna e acrescentar os restantes ingredientes, menos as farinhas.
Mexer bem e ir acrescentando as farinhas aos poucos e alternadamente, amassando de modo a obter uma massa homogénea (se necessário acrescente mais um pouco de farinha até a massa estar no ponto certo).
Moldar pãezinhos pequenos e colocá-los num tabuleiro untado e enfarinhado. Tapar com um pano e deixar levedar por 20 minutos. Fazer uns cortes em cruz na superfície dos pães, pincelar com leite e polvilhar com sementes de sésamo.
Levar ao forno, pré-aquecido a 180º, até que os pães fiquem levemente dourados (cerca de 15 a 20 minutos). Servir ainda quentinhos com manteiga ou doce... hummm... deliciosos.

Aqui ficam mais umas das pequenas brincadeiras que faço de vez em quando. Comprei este conjunto de 3 mini-telas na loja Casa por cerca de 2€.

Depois é só colocar a imaginação a funcionar e decorá-las a gosto. São sempre um miminho simpático que ficam bem no quarto de qualquer criança.

segunda-feira, 4 de Abril de 2011

"FEITO EM CASA"

Este é um daqueles livros que eu não podia mesmo deixar de comprar, pois se já sou fã dos blogs da Colher-de-Pau (As Minhas Receitas & A economia cá de casa) era impossível ficar indiferente ao livro. E embora seja um livro de receitas, fica muito bem como livro de cabeceira, pois está escrito em forma de diário, de uma forma ligeira e muito divertida, que se lê com grande prazer. Enfim.. nem vos digo mais nada... o melhor é comprarem e comprovarem por vocês mesmos. Deixo mais esta sugestão para a Academia dos Livros.
Para Joana Roque, cozinhar, mais do que uma arte, é um prazer. Cresceu entre tachos e panelas a fumegar, o cheiro a refogados bem apurados e tabuleiros espalhados na cozinha da mãe e da avó que, de avental aprumado e ar atarefado, lhe foram transmitindo alguns conselhos únicos, histórias de bolos com nomes de tias, de pratos que já a bisavó fazia, de petiscos feitos a olho e outras tantas receitas de família. "Feito em Casa" é um livro indispensável em qualquer cozinha. Com mais de 250 receitas e conselhos de economia doméstica, Joana Roque traz-nos receitas tradicionais, os seus pratos preferidos para comer em frente à televisão, a sua "comida de conforto" para dias em que precisamos de um mimo especial, as receitas rápidas e práticas para receber familiares e amigos em casa, os "jantares comunitários", os bolos para festas de aniversário, as bolachas para uma tarde de frio, pratos que conseguimos fazer com restos, sanduíches para levar para a praia, etc.

Sabia que com um quilo de carne picada pode fazer pratos variados? Que a melhor forma de não deixar legumes frescos apodrecerem no seu frigorífico é congelá-los em sacos com etiquetas? Que um jantar com 20 pessoas em casa não precisa de ser um stress desde que se siga as dicas da autora para a organização de um jantar? Que em vez de gastar dinheiro em prendas de Natal pode criar os seus próprios cabazes? Que há refeições ideais para cozinhar? Ao longo de doze meses acompanhamos o dia-a-dia de Joana Roque e os truques que utiliza para fazer receitas rápidas, saborosas, com os ingredientes que temos na despensa, e que, mais importante do que tudo, saem sempre bem. Notas sobre a autora:
Joana Roque tem 32 anos e é formada em Turismo pela Escola Superior de Educação de Coimbra. É casada e sempre gostou de cozinhar e de comer. Em Abril de 2006 criou um blog sobre dietas para a ajudar com as suas tentativas para perder peso, mas rapidamente passou a ser solicitada para partilhar as receitas daquilo que comia.
Em Maio de 2006 surge então o blog "As Minhas Receitas", com receita simples e acessíveis a todos, dos doces aos salgados, do peixe à carne, das entradas aos pratos principais. De segunda a sexta, uma receita por dia. Em finais de 2008, surge o blog "A Economia Cá de Casa", que pretendia ser um complemento ao blog das receitas, com dicas e sugestões de economia doméstica, mas que rapidamente ganhou um público e vida própria. O objectivo é partilhar os conhecimentos transmitidos pela sua mãe e pela sua avó, determinantes para o seu gosto pela cozinha, e ajudar as pessoas a comer melhor no dia-a-dia.

sábado, 2 de Abril de 2011

BOLO DE MARMELADA

Eu e a minha filha por vezes temos um "ritual" um pouco estranho... lol. Como tenho imensas revistas de culinária em casa, digo-lhe para agarrar numa revista qualquer (sem escolher), abrir numa página ao acaso e ver que receitas lá estão. Se não tiver nada de jeito, fechamos a revista, voltamos a colocá-la no sítio e esquecemos o assunto. Mas se tem alguma receita do nosso agrado, vou para a cozinha e deito mãos à obra. Malucas? Pois... se calhar até somos. Mas um destes dias calhou-nos em sorte a receita deste bolo que nos fez companhia ao lanche.
125gr de marmelada
125gr de miolo de noz partido (usei amêndoa laminada)
150gr de açucar
6 ovos
125gr de farinha
1 colher de chá de fermento em pó
açucar em pó e marmelada para decoração

Desfaça a marmelada com o auxílio de um garfo e, de seguida, misture a amêndoa, o açucar e os ovos.
Bata as claras em castelo forte e envolva metade no preparado anterior. Junte a farinha peneirada com o fermento.
Envolva as restantes claras e verta numa forma redonda, previamente untada com manteiga e polvilhada com farinha.
Leve ao forno a 180º durante cerca de 40 minutos. Depois de cozido deixe arrefecer, desenforme e sirva decorado com açucar em pó e cubos de marmelada.
Fica um bolo muito fofinho... acho que dá para perceber, basta olhar para a fatia! Alguém quer???
Se há dias ganhei um belíssimo cabaz de queijos da marca Palhais, desta vez tive a sorte de ganhar num concurso um belíssimo cabaz da marca Terra Nostra, recheado de produtos dos Açores.Um belíssimo e aromático ananás dos Açores, 3 embalagens de queijo fatiado Terra Nostra Gourmet, uma garrafa de licor de maracujá, um bolo enorme de massa sovada (semelhante ao nosso folar), um pacote de chá preto dos Açores e um folheto informativo do arquipélago, tudo muito bem acondicionado dentro deste lindo cabaz. Obrigado Terra Nostra. Há um ano atrás falei-vos de: Filetes de Peixe com Crosta de Pão