Sugestões para oferecer ou para ler...


quarta-feira, 30 de Maio de 2012

TARTE DE CURGETTES

Há certos dias em que me sinto com alma de vegetariana... não é que seja sempre, pois gosto muito de carne e peixe, mas há alturas em que me apetece mesmo é legumes.
Normalmente quando me dá esses "apetites estranhos" opto por confeccionar uns simples legumes salteados para a refeição e pronto, fica o gosto saciado.
Mas como a minha horta está a produzir curgettes em força, descobri esta receita na revista "Teleculinária Gold" de Setembro de 2007 e pus mãos à obra.
Querem que vos conte um segredo? Até a minha filha, que tem a mania que não gosta de legumes, comeu e gostou muito!!!
Para a massa:
150gr de farinha de trigo
75gr de manteiga
1 ovo
sal q.b.
farinha para polvilhar
manteiga para untar
Para o recheio:
2 curgettes
1 cebola
1 tomate maduro
1 ovo + 1 gema
60gr de manteiga
50gr de queijo da ilha ralado
2dl de natas
1dl de vinho branco
sal e pimenta q.b.

Amasse a farinha com a manteiga, o ovo e uma pitada de sal. Faça uma bola com a massa, polvilhe-a com farinha e deixe repousar durante 15 minutos.
Unte ligeiramente uma forma de tarte. Estenda a massa, forre a forma com ela, aconchegando-a bem e pique-a no fundo com um garfo.
Leve ao lume um tacho com a manteiga, junte a cebola cortada em rodelas finas, deixe refogar sem alourar. Adicione o tomate cortado aos pedaços e o vinho e deixe apurar. Tempere com sal e pimenta, junte as curgettes cortadas às rodelas (mantendo a casca), deixe refogar e retire.
Deite o preparado na forma de tarte, sobre a massa. Em separado, misture as natas com a gema e o ovo. Espalhe sobre o recheio, polvilhe com o queijo e leve ao cozer ao forno, a 180º, durante cerca de 50 minutos. Sirva morna ou fria.
Nota: a base de massa aqui indicada pode ser utilizada em variadíssimas receitas de tarte. Com um pouco de imaginação e os ingredientes da sua preferência, poderá confeccionar os mais variados recheios.

terça-feira, 29 de Maio de 2012

PALMELA VILLAGE GOLF RESORT

Este fim de semana tive um casamento na zona do Montijo e como queria ir de véspera comecei a magicar onde poderia ficar a dormir - queria um sítio sossegado, sem barulho nem confusões..
E pensava eu: "Naquela zona, bem perto de Lisboa, não deve ser muito fácil um sítio calmo, ainda por cima no fim de semana...".
Foi então que me lembrei de ligar para uma amiga (AMIGA com letra grande - amiga mesmo do coração) que trabalha num resort...
E através dela reservei uma estadia para 2 noites no PALMELA VILLAGE GOLF RESORT - um sítio mágico, situado na Quinta do Anjo, bem perto da capital, mas com uma paz e tranquilidade tão grandes que nem dá para acreditar que estamos perto de Lisboa...
Acho que nem preciso dizer grande coisa, as fotos falam por si. As moradias são óptimas, super espaçosas, tudo muito limpo e a funcionar em perfeitas condições, mas o que mais me agradou foi o silêncio... sente-se uma paz e harmonia no ar que não há quem resista...
Aqui o stress não entra... a natureza está em perfeita harmonia com o nosso estado de espírito... e que bom é estar deitada e ouvir os passarinhos a cantar... e à noite ouvir as rãs a coaxar no lago...
Se quiserem passar umas férias tranquilas, sem confusões e em instalações de qualidade, visitem o site do Palmela Village Golf Resort, consultem os preços (existem pacotes de preços muito bons), marquem e desfrutem... tenho a certeza que vão gostar.
Um agradecimento especial aos empregados de bar que nos serviram o pequeno-almoço e às simpáticas meninas da recepção que me atenderam: a Inês e a Rute... e para a Rute um beijinho muito especial e risonho, pois fiquei a saber que é minha fã há vários anos e que eu já lhe servi de inspiração várias vezes... e esta, hein?
Um beijo do tamanho do mundo para a chefe de recepção e minha amiga do coração - Carma Ribeiro - por toda a atenção e disponibilidade para a reserva, um obrigado pelo almoço e um "até um dia destes", quando nos encontrarmos no Algarve...

sexta-feira, 25 de Maio de 2012

"DESESPERADAMENTE GIULIA"

Lembro-me de há alguns anos atrás a minha cunhada L. me ter perguntado se eu nunca tinha lido Sveva Casati Modignani, ao que eu respondi que não - já tinha ouvido falar da autora mas nunca tinha lido nenhuma obra sua. A minha cunhada recomendou-me a leitura desta autora, mas só recentemente tive oportunidade de descobrir as suas obras.
Já li vários livros de Sveva, mas cada um é como se fosse o primeiro, pois as histórias conseguem sempre deixar-me encantada.
Este livro não foi excepção: começa por abordar um caso de cancro de mama, faz um regresso ao passado das várias personagens e deslinda histórias de amor e casos de "desamores" que levam ao desenlace final...
Ela é uma escritora famosa, ele um cirurgião reputado. Carregam consigo passados muito diferentes, repletos de alegria e sacrifícios, sucessos e fracassos. O sentimento que os une é tão forte que consegue apagar toda a amargura.
Mas o espectro de uma terrível doença e uma acusação grave e injusta destroem o sonho, que terá que ser reconstruído pela força do amor e da esperança.
Romântica e comovente, dramática e inesperada, esta história de amor e ternura foi vencedora do prémio "Selezione Bancarella", em Itália, e inspirou uma série televisiva de sucesso.
Notas sobre a autora:
Sveva Casati Modignani é um dos nomes mais populares da ficção italiana., tendo publicado dezenas de romances. Os seus livros venderam mais de oito milhões de exemplares e deram origem a filmes e séries televisivas de grande sucesso.
Quem quiser pode consultar o site oficial da autora em www.sveva.ws

quinta-feira, 24 de Maio de 2012

DOCE DE ABÓBORA COM LARANJA E CANELA


Havia uma abóbora tão grande para gastar que nem sabia o que havia de fazer com ela. Houve uma parte que foi cortada em cubinhos e colocada em sacos de congelação, para que esteja sempre preparada para a confecção de sopas.
Mas a outra parte estava mesmo a pedir um doce... e com a ajuda da Mycook e com esta receita fantástica do blog da Lúcia, conseguiu-se um doce magnífico para as torradas ao pequeno almoço, para as bolachas na hora do lanche, para... para quando nos apetecer... porque a vida quer-se doce!
800gr de abóbora sem casca e em pedaços
400gr de açucar amarelo (usei mascavado)
1 laranja sem casca e livre de caroços
1 colher de sobremesa de canela em pó
100gr de amêndoa moída (acrescentei eu)

Colocar todos os ingredientes, excepto a canela e a amêndoa, no jarro da Mycook. Programar cerca de 1 minuto, na velocidade 7 e 8, para triturar tudo.
Juntar a canela e a amêndoa e programar 40 minutos, 110º, velocidade 2.
Se achar que o doce ainda precisa de apurar mais (tudo depende da qualidade da abóbora) coloque mais 5 minutos, 110º, velocidade 2, sem o copinho e com o cesto invertido sobre a tampa.
Guardar o doce em frascos de vidro devidamente esterilizados.
Há um ano atrás falei-vos de: Tomates Salteados com Alho

terça-feira, 22 de Maio de 2012

BOLONHESA LIGHT

Achei esta receita um encanto assim que a vi na revista "Prevenir" do passado mês de Fevereiro. Haverá maneira mais leve, mais ligeira, mais light e mais original de comer bolonhesa? Duvido muito...
Para quem se preocupa com as calorias e os hidratos de carbono, a substituição da massa por legumes é um "must". 
E se na receita original pedia carne de vaca, eu optei por usar apenas carne de perú, o que tornou esta refeição ainda mais saudável.
Fiquem então com a receita e façam o quanto antes...
600gr de carne de perú picada
1 cebola grande picada
2 dentes de alho picados
5 colheres de sopa de azeite
1 folha de louro
1 lata de tomate pelado
sal e pimenta q.b.
orégãos q.b.
1dl de vinho branco
3 curgettes
1 cenoura pequena

Para o molho:
Faça um refogado com a cebola e o alho picado, o azeite e o louro.
Adicione o tomate e o vinho branco, tempere com sal, pimenta, orégãos e deixe cozinhar por cerca de sete minutos. Retire a folha de louro e triture tudo.
Junte a carne picada ao molho de tomate, rectifique os temperos e deixe cozinhar cerca de 20 minutos.

Para a massa:
Descasque as curgettes e a cenoura com a ajudar de um descascador de vegetais. Depois, corte-as em tiras compridas e muito finas.
Coloque os vegetais cortados num escorredor e regue com água a ferver, para que cozam ligeiramente.
Escorra-os bem e sirva de imediato, colocando a bolonhesa sobre uma camada de "esparguete" de vegetais. Na altura de servir, se quiser, pode polvilhar com queijo ralado.
Há um ano atrás falei-vos de: Delícia de Maçã

quinta-feira, 17 de Maio de 2012

BOLO DE CLARAS COM PEPITAS DE CHOCOLATE


Andava com esta receita esquecida desde o Natal... eu bem me queria parecer que me tinha faltado publicar alguma receita dessa quadra, e só agora que me dei conta que era este magnífico bolo, cuja receita retirei do blog da Luísa Alexandra, e que é uma maravilha para usarmos as claras que nos sobram de outros doces ou que andam perdidas no congelador. Seguindo a receita da Luísa, adaptei as quantidades dos ingredientes de acordo com as claras que tinha e pus a Mycook a trabalhar.
O tempo hoje está mais frio, por isso liguem o forno, preparem o bolo e acompanhem com um café aromático...
8 claras
uma pitada de sal
290gr de açucar
160gr de margarina
560gr de farinha de trigo
3dl de leite
1,5 colher de sopa de óleo
raspa de 1 limão
1 colher de chá de fermento
100gr de pepitas de chocolate

Coloque a borboleta no copo, deite as claras e a pitada de sal e bata as claras em castelo bem firme durante 8 minutos, velocidade 5. Retire e reserve.
No copo coloque a margarina e o açucar e programe 1 minuto, velocidade 5.
Junte a farinha e o fermento e coloque a Mycook a trabalhar na velocidade 2. Pelo bocal vá adicionando o leite aos poucos. Tapa-se com o copinho e aumenta-se para a velocidade 5 durante 15 segundos.
Acrescentar a raspa de limão e o óleo e programar mais 15 segundos, velocidade 5.
Adicionar as claras e envolver delicadamente com a espátula.
Transferir a massa para uma forma untada e polvilhada e já na forma adicionar as pepitas de chocolate, envolvendo com uma faca para que se misturem de maneira uniforme na massa.
Levar ao forno, pré-aquecido a 190º, durante cerca de 45 minutos ou até que fazendo o teste do palito este saia seco.
Deixar arrefecer, desenformar e servir acompanhado de um café de boa qualidade.
Já não há desculpa para não aproveitar as claras que sobrem de outras confecções culinárias, pois não???

quarta-feira, 16 de Maio de 2012

"UM DIA DE CADA VEZ"

Agora começa a época do ano em que os livros são lidos a uma velocidade estonteante, tudo isto graças às tardes de folga passadas na praia. Já abriu a época balnear por estas bandas, ou seja, já começaram os dias de calor, já me estreei na praia e já devorei mais um livro.
Esta é uma história muito bonita e o título diz tudo - é a maneira como devemos viver a nossa vida - um dia de cada vez.
De que serve por vezes estarmos a "sofrer por antecipação", a pensar nos possíveis problemas antes de eles surgirem, ou sem sabermos mesmo se eles eventualmente chegarão a surgir?
Uma grande lição de vida e a prova que qualquer pessoa consegue ser mais forte do que aquilo que pensa...
Coco Barrington nasceu numa lendária família de Hollywood, com um nome carregado de expectativas. A mãe é uma famosa escritora de bestsellers que usa o pseudónimo de Florence Flowers e a irmã, Jane, uma das principais produtoras cinematográficas. Mas não são uma família típica...
Jane vive há dez anos uma relação amorosa com Liz, sua companheira. Florence, viúva, mas radiosa, começou um romance secreto com um homem vinte e quatro anos mais jovem. E Coco, que abandonou a Faculdade de Direito e é a ovelha negra da família, trabalha como passeadora de cães, depois de ter abandonado a vida sob os holofotes para se retirar para a praia de Bolinas no norte da Califórnia.
Mas quando Coco aceita, com alguma relutância, tomar conta da luxuosa casa de Jane, descobre como as coisas podem mudar numa questão de dias...
Em casa da irmã surge um hóspede inesperado: Leslie Baxter um famoso actor inglês que se esconde de uma ex-namorada psicótica. Os seus mundos não poderiam ser mais diferentes. A atracção não poderia ser mais imediata.
Notas sobre a autora:
Danielle Steel nasceu em Nova Iorque em 1949. Passou parte da sua infância em França, e, regressada aos Estados Unidos, estudou Literatura Francesa e Italiana na Universidade de Nova Iorque. Tem sido aclamada como uma das autoras mais populares a nível mundial, traduzida em 28 línguas e publicada em 47 países, com mais de 590 milhões de livros vendidos.
Os seus bestsellers internacionais incluem Laços Familiares, Vidas Cruzadas, Mistérios do Sul, Assuntos do Coração, entre outros.

terça-feira, 15 de Maio de 2012

CREME DE ERVILHAS

Às vezes perguntam-me como é que eu consigo comer sopa no Verão e/ou nos dias de calor... mas o que é certo é que eu gosto tanto de sopa que a como em qualquer altura do ano.
Se de Inverno gosto de a comer bem quente e a fumegar, nos dias quentes gosto de a comer morna, a "atirar para o frio"... mas uma coisa é certa: sopa nunca pode faltar na minha mesa.
A receita deste creme de ervilhas foi retirada de um dos fascículos da revista "TV 7Dias".
1/2dl de azeite
1 cebola
100gr de alho francês
400gr de curgette
400gr de ervilhas
1,2l de caldo de galinha
sal e pimenta

Refogue no azeite a cebola e o alho francês, ambos picados grosseiramente. Adicione a curgette, previamente descascada e cortada em pedaços e as ervilhas, reservando algumas para guarnição.
Regue o preparado com o caldo de galinha e deixe cozinhar, em lume médio, temperando com sal e pimenta a gosto. Depois de cozido triture a sopa.
Leve novamente ao lume e quando levantar fervura junte as ervilhas que reservou e deixe finalizar a cozedura.
Rectifique os temperos e sirva de seguida com croutons ou, se preferir, com bacon frito cortado em tiras fininhas.
Mais uma pequena tela para quarto de criança: é tão fácil renovar a decoração do quarto dos mais pequenos...
Há um ano atrás falei-vos de: Bife com Molho de Whisky

sábado, 12 de Maio de 2012

"COZINHAR, CELEBRAR E PARTILHAR"

Este livro foi-me oferecido pela minha filhota no Dia da Mãe! Ela sabia que eu andava de olho nele desde que ouvi falar no seu lançamento.
Há quem possa achar estranho ler um livro de receitas como quem lê um romance ou um policial, mas os livros da Joana Roque, para além das receitas, vêm sempre recheados de histórias e boas dicas, por isso vale a pena lê-los como se não houvesse amanhã...
Este livro não desiludiu - é tão bom ou melhor ainda do que o primeiro. Já tenho uma série de receitas marcadas para testar, uma delas será já testada no jantar desta noite.
Ainda não têm o vosso livro? Então do que é que estão à espera? Corram para a livraria mais próxima!
Acreditem que é daqueles livros que valem mesmo a pena!
A vida é feita de celebrações. De pequenos grandes momentos que merecem ser festejados. Da notícia da gravidez tão desejada de uma amiga, à celebração do Natal ou da Páscoa que reúne toda a família, do Dia da Mãe que merece sempre um carinho especial, ao almoço de Domingo, da festa de aniversário de gráudos que nos enche a casa, à celebração de mais um ano da pequenada que não pára de crescer. Do aniversário de casamento, ao dia de São Valentim...

Para Joana Roque só há uma forma de celebrar todos os momentos únicos que a vida tem para nos oferecer: à mesa. Entre um bom prato de bacalhau, uma carne assada, uma fatia de bolo de cenoura, uma chávena de chocolate quente ou um copo de sangria, partilhamos sonhos, promessas, conquistas, alegrias e algumas tristezas. Brindamos à família, aos amigos, ao Ano Novo, ao amor e à amizade.
Depois do sucesso de Feito em Casa, em 8ª edição, Joana Roque traz-nos mais de 300 receitas para celebrar a vida! Receitas práticas, fáceis de concretizar, que saem sempre bem e não pesam no nosso orçamento familiar. Sem esquecer as indispensáveis dicas de economia doméstica que facilitam o nosso dia a dia.
Notas sobre a autora: 
Joana Roque tem 33 anos e é formada em Turismo pela Escola Superior de Educação de Coimbra. É casada e sempre gostou de cozinhar e de comer. Em Abril de 2006 criou um blogue de dieta, para a ajudar com as suas tentativas para perder peso, mas rapidamente passou a ser solicitada para partilhar as receitas daquilo que comia.
Em Maio de 2006 surge então o blogue As Minhas Receitas, com receita simples e acessíveis a todos, dos doces aos salgados, do peixe à carne, das entradas aos pratos principais. De Segunda a Sexta, uma receita por dia. Em finais de 2008, surge o blogue A Economia Cá de Casa. Um blogue que pretendia ser um complemento ao blogue das receitas, com dicas e sugestões de economia doméstica, mas que rapidamente ganhou um público e uma vida próprios. O objectivo é partilhar os conhecimentos transmitidos pela sua mãe e avó, determinantes para o seu gosto pela cozinha e ajudar as pessoas no seu dia a dia a comer melhor.
Em 2010 editou com grande sucesso o livro Feito em Casa, em 8ª edição. Colaborou com a SIC Mulher, no programa Mais Mulher e tornou-se presença regular na televisão e noutros meios de comunicação social onde partilha as suas receitas e as suas dicas de economia doméstica.

quinta-feira, 10 de Maio de 2012

SONHOS DE BACALHAU

Quando faço bacalhau cozido gosto sempre de cozer uma ou duas postas a mais para depois. conjuntamente com a água em que cozi o bacalhau, preparar uma típica açorda alentejana.
Mas neste dia não estava muito virada para açorda, e resolvi preparar estes sonhos de bacalhau, cuja receita tirei do Fórum Bimby. No fórum a receita tem o nome de pataniscas, mas ficaram tão fofinhos que eu resolvi chamar-lhes sonhos. Uma vez mais usei a minha ajudante de cozinha Mycook.
É sempre uma óptima opção para servir como entrada, para um refeição ou, agora que o tempo começa a aquecer, para levar para um pic-nic.
400gr de bacalhau cozido
1 cebola
10 pés de coentros
4 ovos
350gr de farinha
150gr de cerveja
150gr de leite

Desfie o bacalhau. Pique a salsa e a cebola 8 segundos na velocidade 6 e reserve.
Coloque no copo os ovos, a farinha, o leite e a cerveja e programe 2 minutos, velocidade 6.
Adicione o bacalhau, a salsa e a cebola e envolva 15 segundos na velocidade 4.
Com a ajuda de duas colheres forme os sonhos e frite-os em óleo abundante. Escorra sobre papel absorvente e sirva com acompanhamento a gosto.

quarta-feira, 9 de Maio de 2012

"CONDENADA"


Há livros que nos chocam... ao ler a sinopse desta obra era fácil perceber que a história seria dura, trágica, triste, mas ao mesmo tempo uma história de coragem pelo facto de alguém, que foi vítima de abusos durante tantos anos, ter a coragem de expor a sua vida em livro, sabendo que a sua história vai passar a ser conhecida por milhares de pessoas.
Alguém que mata para se defender ou para defender um familiar deve ser condenado? Matar é sempre crime punível com pena de prisão?
Não somos ninguém para julgar os outros, mas com certeza que aprendemos algo com a leitura deste livro..
A 4 de Julho de 1990, Stacey Lannert, de dezoito anos, matou o pai. Ele abusava sexualmente dela desde os oito anos. Até então, Stacey sofrera em silêncio. Tudo mudou nessa noite, quando percebeu que a sua adorada irmã mais nova acabara de ser vítima do mesmo crime.
Sem qualquer compaixão, o tribunal condenou-a a prisão perpétua. Stacey sente-se agora suficientemente forte para contar a história da sua infância arrepiante, durante a qual manteve a sanidade mental graças ao amor e ao instinto protector que sentia pela irmã. Num tom comovente e digno, relata-nos também o que aconteceu quando deu entrada na prisão, esse momento de violência brutal que, inesperadamente, a fortaleceu e fez dela uma pessoa melhor. Decidida a não se vitimizar, Stacey encontrou em si mesma a força necessária para crescer e descobriu a importância e o poder curativo do amor.
Quase dezanove anos depois, a 10 de Janeiro de 2009, o governador do Missouri fez finalmente justiça.
Passados seis dias, ela era uma mulher livre.
Notas sobre a autora:
Stacey Lannert nasceu em St. Louis, no Missouri, em 1972. Em 1992, foi condenada por homicídio premeditado e sentenciada a prisão perpétua.
A 10 de Janeiro de 2009, a sua pena foi comutada, e Stacey foi libertada. Vive e trabalha actualmente em St. Louis, onde treina cães, dá aulas de aeróbica e fundou a Healing Sisters, uma organização sem fins lucrativos que se dedica a sensibilizar as pessoas para o problema dos abusos sexuais e ajuda mulheres a apoiarem-se umas às outras.

terça-feira, 8 de Maio de 2012

BOLO DE MAÇÃ COM PASSAS

A igreja da minha paróquia tem um salão de festas... nesse salão existe um bar... por vezes acontecem festas nesse dito salão... e nessas festas o bar costuma estar aberto para vender cafés, bebidas e bolos, de modo a angariar uns "tostões" para a igreja... e às vezes pedem-me para eu fazer um bolo para vender... e eu às vezes tenho preguiça de ir procurar uma receita e ponho-me a inventar... e às vezes o resultado final até é muito bom!
Isto parece uma história para adormecer crianças, mas a verdade é esta: tive preguiça de ir procurar uma receita de bolo e a partir da tradicional receita do bolo de iogurte improvisei este bolo.
Vendeu-se até à última fatia...
1 iogurte (aroma à escolha)
4 ovos
4 copos medida de açucar
3 copos medida de farinha
1 copo medida de óleo
1 colher de chá de fermento
1 colher de chá de essência de canela
100gr de passas
4 maçãs em cubinhos
* o copo medida utilizado é o copo do iogurte

Ligar o forno a 180º.
Bater os ovos com o açucar e o iogurte.
Juntar metade da farinha, o óleo e a essência de canela. Bater bem e adicionar o resto da farinha e o fermento.
No final envolver a maçã e as passas e levar ao forno, em forma  untada e enfarinhada, durante 50 minutos (convém fazer o teste do palito). Desenformar depois de frio.
Se algum dia quiserem aparecer no bar e comprar uma fatia, são vendidas a 0,50€.

quinta-feira, 3 de Maio de 2012

BACALHAU COM MOSTARDA

Porque é que o dia não tem 48 horas ou mais? Porque é que eu ando sempre à pressa? Porque é que tenho sempre tantas coisas para fazer?
Porque é que estou a cozinhar e a falar ao telefone ao mesmo tempo? Olhem só o resultado que deu: esta receita do Templo dos Sabores ficou com um aspecto algo estranho e "agarrada" ao fundo do tabuleiro, tudo por causa da tagarelice ao telefone... mas ficou saborosa, isso garanto eu!

3 postas de bacalhau
1 chávena de pão ralado
3 colheres de sopa de coentros picados
3 colheres de sopa de mostarda
1,5 chávena de leite
queijo ralado q.b.
sal
* a chávena utilizada tem a capacidade de 200ml

Coloque as postas de bacalhau demolhadas num tabuleiro de ir ao forno untado.
No copo da Mycook coloque o pão ralado, os coentros picados, a mostarda e o leite e misture durante 1 minuto, velocidade 5.
Cubra as postas de bacalhau com o molho, polvilhe com o queijo ralado e leve ao forno a gratinar a 180º cerca de 20 minutos (mas não se esqueçam do bacalhau no forno como eu fiz...).
Acompanhamos com o esparregado de ervilhas.