Sugestões para oferecer ou para ler...


terça-feira, 19 de setembro de 2017

FRANGO AROMÁTICO

Estamos a dois dias do início do Outono e o tempo já começa a arrefecer, o que faz com comece a apetecer comidas de forno mais condimentadas e apuradas, para alegrar as nossas mesas.
Num dos folhetos da rede de supermercados Aldi encontrei esta receita que é mesmo ao meu gosto: fácil de fazer, com bastantes legumes e que se enquadra perfeitamente no conceito de alimentação Paleo.
Querem experimentar?
500gr de pernas de frango
Sumo de 1 limão
1 colher de sobremesa de raspa de limão
2 dentes de alho picados
2 cebolas picadas
2 beringelas cortadas em rodelas finas
4 tomates cortados em rodelas
3 colheres de sopa de azeite
6 colheres de sopa de vinho branco
Oregãos, sal e pimentão doce a gosto

Disponha num tabuleiro para forno a beringela, o tomate, a cebola e o alho, cobrindo o fundo do tabuleiro.
Coloque por cima as pernas de frango e tempere com sal, sumo e raspa de limão, oregãos, pimentão doce e azeite.
Asse até o frango começar a dourar, regue com o vinho branco e deixe acabar de assar.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

MANTEIGA DE AMÊNDOA

Para aqueles dias em que nos apetece uma "gordice" e preparamos umas panquecas ou umas waffles, nada melhor do ter à mão um frasco de manteiga de amêndoa para guarnecer as nossas iguarias.
Não sei se já se deram conta que normalmente a manteiga de amêndoa que vemos à venda tem um preço nada acessível... se conseguirmos comprar miolo de amêndoa a bom preço (normalmente compro nas feiras ou nos mercados) e tivermos em casa um robot de cozinha ou processador de alimentos, rapidamente se consegue fazer esta delícia em casa, a um preço muito mais económico e tendo a certeza que estamos a consumir algo verdadeiramente saudável...
500gr de miolo de amêndoa (podem usar com pele ou sem pele - eu prefiro com pele)
2 colheres de sopa de óleo de coco

Colocar o miolo de amêndoa espalhado no tabuleiro do forno, sem as sobrepor, e levar ao forno quente, a torrar, por cerca de 10 minutos.
Colocar o miolo de amêndoa no copo da Bimby e triturar alguns segundos na velocidade 6.
Ir parando de vez em quando para baixar a mistura com a ajuda da espátula, e entre as paragens juntar o óleo de coco.
Continuar a triturar na velocidade 6 até obter uma consistência homogénea.
Colocar num frasco hermeticamente fechado. A manteiga tem tendência a solidificar um pouco depois de fria.
Manter em local seco ou, se preferirem, no frigorífico.
Usar para barrar panquecas, waffles, crepes, em sobremesas, etc...

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

"QUEM AMA ACREDITA"

Mais um livro bem ao jeito de Nicholas Sparks, uma leitura leve e fácil, tendo como pano de fundo a vida numa pequena localidade, supostamente "assombrada" por fenómenos sobrenaturais e a reticência e desconfiança de um jornalista, que não acreditando em nada dessas coisas, se vê a braços com a investigação do fenómeno e que, ao mesmo tempo que investiga, toma conhecimento com várias das pessoas da localidade.
Entre os habitantes que conhece há uma pessoa que vai, literalmente, mudar a sua vida, bem como a maneira como encara certas coisas.
No fundo uma história bonita sobre o amor e sobre o facto de quando se está apaixonado se conseguir ver o mundo sob outro ângulo...
Jeremy Marsh vive em Manhattan, onde a sua reputação como jornalista científico é irrepreensível. Cético por natureza, deleita-se a desmascarar falsos médiuns, cultos religiosos fraudulentos e terapias duvidosas. No dia em que chega a Boone Creek, uma pequena e pitoresca cidade na Carolina do Norte, Jeremy está seguro de que o mistério das fantasmagóricas luzes no cemitério local tem uma explicação racional.
Lexie Darnell adora Boone Creek, onde trabalha como bibliotecária. Disposta a dar a conhecer a magia da cidade, ela acompanha Jeremy nas suas investigações. Lexie e Jeremy não podiam ser mais diferentes e, contudo, os sentimentos que os unem são intensos e verdadeiros.
Jeremy sabe que a sua estadia em Boone Creek tem um prazo, findo o qual regressará à sua amada Nova Iorque. Por seu lado, Lexie sente que nunca será feliz numa cidade grande. O futuro da relação é impossível. A não ser que a realidade prove não ser tão racional assim…
Notas sobre o autor:
Nicholas Sparks nasceu em 1965 em Omaha, Nebraska. Cresceu em Fair Oaks na Califórnia e vive actualmente na Carolina do Norte com a família. Foi durante algum tempo delegado de informação médica até que Theresa Park, agente literária, decidiu começar a representá-lo, vendendo os direitos do seu primeiro romance O Diário da Nossa Paixão (The Notebook) à Warner Books. O sucesso foi imediato e a obra permaneceu durante 56 semanas consecutivas nos tops americanos. Seguiram-se livros como As Palavras que Nunca te Direi (Message in a Bottle) e Um Momento Inesquecível (A Walk to Remember), Corações em Silêncio (The Rescue) também eles sucessos editoriais de grandes proporções, tendo o primeiro sido adaptado para versão cinematográfica pelo próprio autor. Considerado o golden boy da ficção comercial americana é um autor consagrado internacionalmente pelo público.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

TOSTA PALEO

Quando se começa a seguir o estilo de alimentação Paleo uma das primeiras perguntas que praticamente toda a gente faz é: "Se não posso comer a torrada do costume de manhã, o que devo comer ao pequeno-almoço?"... eu mesma fiz esta pergunta várias vezes!!!
É certo que com o passar do tempo deixamos de pensar no pão e nem achamos a sua falta (pelo menos comigo foi assim), mas quando bater aquela saudade da tosta mista, pode sempre preparar-se em menos de 5 minutos um pão rápido, que depois de tostado fica delicioso...
Inspirei-me nesta receita, mas adaptei os ingredientes com o que tinha à mão e, ao invés de preparar o pão na frigideira, foi directo à tostadeira.
2 ovos
2 colheres de sopa rasas de polvilho doce
1 colher de sopa de quark
1 colher de sopa de iogurte grego
1 colher de café de fermento em pó
sal e oregãos q.b.

Numa taça misturar todos os ingredientes até obter uma mistura homogénea.
Passar uma tupperware por água (uso uma quadrada mas podem usar qualquer outra à escolha), deitar a massa, e levar ao microondas por 3 minutos (ajustar o tempo à potência do microondas de cada um).
Retirar, abrir, rechear a gosto (a minha foi recheada com queijo Gouda e paio do lombo) e levar à tostadeira quente, até tostar a gosto e o queijo derreter.
Quem disse que Paleo não pode comer tosta mista???

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

"A MULHER DO CAMAROTE 10"

Pontuação máxima para este livro que é realmente muitoooooooooooo bom!!!
Já tinha ficado fã desta autora com o seu anterior livro "Numa Floresta Muito Escura" mas este conseguiu ultrapassar todas as expectativas. Estamos perante uma Agatha Christie dos tempos modernos...
A história é envolvente e arrepiante, passada a bordo de um pequeno navio de cruzeiro... os pormenores são tão bem descritos, bem como as emoções da personagem principal - a jornalista Lo - que confesso que houve alturas em que me senti claustrofóbica por estar fechada num camarote com tanta água ao meu redor.
O final é surpreendente, garanto que quem ler o livro vai ter uma surpresa, pois não é nada do que poderíamos imaginar.
Espero que haja mais lançamentos da autora em breve...

Emocionante e compulsivo, este romance evoca o ambiente clássico dos policiais de Agatha Christie: um ritmo que aumenta gradualmente de tensão, a sensação de perigo iminente e um conjunto de suspeitos reunidos num único lugar.
A jornalista Lo Blacklock recebe um convite irrecusável: acompanhar a primeria viagem do cruzeiro de luxo Aurora Borealis. O serviço é exclusivo e a bordo estão vários empresários e pessoas influentes da sociedade. No entanto, a viagem ganha outros contornos para a jornalista. Certa noite, testemunha aquilo que acredita ser um crime no camarote ao lado do seu.
Desesperada, denuncia o ocorrido ao responsável pela embarcação. Ninguém acredita na sua versão, pois todos os passageiros continuam no navio. Blacklock decide investigar o crime por conta própria. Colocando a carreira e a própria vida em risco, ela não vai descansar enquanto não encontrar resposta para o mistério do camarote 10.
Notas sobre a autora:
Ruth Ware cresceu em Lewes, em East Sussex. Depois de se formar pela Universidade de Manchester mudou-se para Paris, antes de se estabelecer no norte de Londres. Casada, com dois filhos pequenos, trabalhou como empregada de mesa, livreira, como professora de Inglês de língua estrangeira e assessora de imprensa. O seu thriller de estreia, Numa Floresta Muito Escura, foi um bestseller do Sunday Times e do New York Times Top Vinte.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

BROAS DE BATATA DOCE E CANELA

Cada vez que visito na net os meus blogs favoritos saio de lá "carregada" de receitas, que mais cedo ou mais tarde saem do papel para a bancada da minha cozinha.
Confesso que nunca fui grande apreciadora de batata doce, mas desde que optei pelo estilo de alimentação Paleo reeduquei o paladar e comecei a gostar de muitas coisas que antes achava que não gostava.
Esta receita do blog Malta das Cavernas Mas em Chique é uma delícia... fácil de confeccionar e rapidamente temos um lanche fantástico ou, se preferirem (foi o que eu fiz), podem congelar as broas depois de confeccionadas, para terem sempre à mão um petisco saudável.
150gr de batata doce cozida
75gr de coco ralado (triturado finamente)
1 ovo tamanho L
2 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de mel
Canela a gosto

Triturar a batata doce e juntar o azeite, o mel e a canela.
Bater o ovo com um garfo e juntar mais de metade à massa de batata doce (o restante será guardado para pincelar as broas). Misturar tudo muito bem com uma colher e no final juntar o coco, amassando de seguida com as mãos para que fique tudo bem envolvido.
Formar as broas (com as mãos ou usando duas colheres de sopa) e colocá-las num tabuleiro forrado com papel vegetal.Pincelar com o restante ovo batido reservado e polvilhar com um pouco de canela.
Levar ao forno, pré-aquecido a 180º, durante cerca de 40 minutos. As broas parecem moles, mas ganham mais consistência depois de frias.
Retirar, deixar arrefecer e servir de seguida ou congelar.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

"AVE DE MAU AGOIRO"

Excelente policial de Camilla Läckberg.. confesso que fiquei fã desta autora.
Parte da trama gira em volta de um "reality show" e com a morte súbita de uma das concorrentes, colocando toda a gente sob suspeita.
A outra parte da história gira em torno de estranhos casos que, aparentemente parecem acidentes de viação, mas que mais tarde percebe-se que afinal escondem pormenores assustadores.
A partir de certa altura foi fácil perceber quem seria o culpado das mortes, mas as voltas que a trama dá até lá chegarmos e as motivações que levaram aos crimes, são realmente fascinantes.
Uma história fantástica para quem goste de um bom policial.

Um trágico acidente de viação. Uma vítima mortal.
Patrick Hedström é chamado ao local do acidente para tomar conta da ocorrência enquanto os habitantes de Tanumshede se concentram num evento sem precedentes na pequena localidade: é ali que vão decorrer as filmagens de um Reality Show televisivo que já fez sucesso noutras pequenas cidades da Suécia. Uma oportunidade única para promover a região.
Ao mesmo tempo que Patrick Hedström tenta resolver o enigma que resultou do acidente de viação, as câmaras captam cada movimento dos participantes do programa televisivo, jovens problemáticos e irreverentes cuja convivência se torna mais difícil a cada momento, aproximando-se rapidamente do ponto de ruptura. Quando uma festa termina com a morte de um dos concorrentes que se tornou particularmente impopular, os colegas e a equipa de produção passam a ser os suspeitos óbvios. Haverá um assassino entre eles?
 

Notas sobre a autora:
Nascida em 1974, Camilla Läckberg licenciou-se na Universidade de Economia de Gotemburgo antes de se mudar para Estocolmo, onde foi economista durante alguns anos. Contudo, um curso sobre escrita criativa de livros policiais despoletou uma mudança drástica de carreira. Foi considerada a escritora sueca do ano em 2004 e 2005, e os seus quatro primeiros livros atingiram o primeiro lugar no top de vendas da Suécia. Actualmente, a autora vive com os dois filhos em Estocolmo.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

ABACATE RECHEADO

Aqui está uma receita do mais simples e rápido que pode haver... para aqueles dias em que ligamos o forno para fazer um cozinhado, aproveitamos a energia e com rapidez preparamos um prato delicioso, que pode ser servido como entrada ou como prato principal, acompanhado de uma boa e nutritiva salada.
Pode ser servido quente ou frio, pode ser levado na marmita para o trabalho... enfim.. deixem a vossa imaginação trabalhar.
A ideia foi tirada de uma das muitas receitas que circulam pela net, sendo que o recheio do abacate pode ficar ao gosto de cada um!!
1 abacate grande
2 ovos pequenos
Bacon e queijo ralado q.b.
Sal e pimenta q.b.

Cortar o abacate ao meio e com cuidado retirar o caroço. Escavar um pouco o interior para arranjar uma "cama" para o ovo. Colocar as duas metades do abacate num tabuleiro.
No sítio do caroço abrir um ovo com cuidado.
Por cima do ovo deitar alguns pedacinhos de bacon e polvilhar com um pouco de queijo ralado.
Temperar com sal e pimenta (tendo em atenção que o bacon já é salgado) e levar ao forno, pré-aquecido a 180º, durante 30 minutos.
Servir com acompanhamento a gosto.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

SEMENTES DE GIRASSOL CARAMELIZADAS

De tempos a tempos, quando ia a feiras, davam-me a provar umas sementes de girassol caramelizadas, que eram uma verdadeira delícia e completamente viciantes, pois quando se começa a comer não apetece mais parar.. mas sempre me deu a sensação que aquele pitéu, para ficar tão "guloso", deveria levar carradas de açucar, o que seria prejudicial à saúde e completamente "anti-paleo".
Até que descobri esta receita fantástica no blog Petiscaria da Maria... et voilá... aqui estão as ditas sementes, feitas de forma rápida e saudável... experimentem a adicioná-las ao iogurte, à fruta, polvilhadas por cima de uma bola gelado... ou simplesmente assim. 
São deliciosas!!!!
3 punhados de sementes de girassol
1 pitada de sal
1 colher de sobremesa de canela em pó
1 colher de sobremesa de mel
1 colher de sobremesa de óleo de coco

Levar tudo à frigideira, mexendo sempre, até as sementes estarem douradas e caramelizadas. É importante fazer esta operação devagar e sem parar de mexer.
Espalhar as sementes em cima de uma folha de papel vegetal sem as sobrepôr, separando-as com a colher de pau, e deixar arrefecer.
Depois de frias guardar num frasco bem fechado... e tentar não comer tudo de uma vez!!!

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

"À PRIMEIRA VISTA"

Danielle Steel é sempre "mais do mesmo", ou seja, daquelas histórias cheias de romance e alguma tristeza, com momentos divertidos e caricatos pelo meio, mas que são fáceis de ler e que se transformam em livros que são uma boa companhia nas tardes de praia.
A história desta vez gira em torno de Timmie, uma mulher que passou por muitas adversidades ao longo da sua infância e adolescência, mas que subiu a pulso na vida e hoje, sozinha e com uma carreira de sucesso, encontra o amor de forma imprevisível.
Uma vez mais acho que o final do livro foi "apressado"...
Nova Iorque, Londres, Milão, Paris. É a semana da moda nas quatro cidades. Um mês de entrevistas intermináveis, festas e trabalho incansável. No centro da tempestade está Timmie O'Neill, cuja famosa marca Timmi O é a personificação da elegância.
Ela criou um império internacional que a preenche e consome a sua vida. Sempre disposta a correr riscos nos negócios, nunca corre riscos com o seu coração - até que um francês intrigante entra na sua vida durante a Semana da Moda de Paris.
Há várias razões para permanecerem separados. Mas nenhum é capaz de negar a crescente amizade e o frisson que sentem sempre que se encontram. Serão suficientemente corajosos para enfrentar o que vem a seguir? E irão fazê-los juntos - ou separados?
Notas sobre a autora:
Danielle Steel nasceu em Nova Iorque em 1949. Passou parte da sua infância em França, e, regressada aos Estados Unidos, estudou Literatura Francesa e Italiana na Universidade de Nova Iorque. Tem sido aclamada como uma das autoras mais populares a nível mundial, traduzida em 28 línguas e publicada em 47 países, com mais de 590 milhões de livros vendidos.
Os seus bestsellers internacionais incluem Mistérios do SulAssuntos do CoraçãoUm Dia de Cada VezGrande Mulher, entre outros títulos.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

"A RAPARIGA NO GELO"

Sem dúvida um dos melhores policiais que li nos últimos tempos: capítulos curtos, personagens muito bem colocadas durante a acção, com personalidade vincada que nos fazem envolver na história do início ao fim.
Este é daqueles livros que não tem momentos "mortos" e que nos consegue prender a atenção a aguçar a curiosidade a cada virar de página, sendo que o final é verdadeiramente alucinante e surpreendente.

Quando um rapaz descobre o corpo de uma mulher debaixo de uma espessa camada de gelo num parque do sul de Londres, a inspetora-chefe Erika Foster é imediatamente chamada para liderar a investigação. A vítima, uma jovem bela e rica da alta sociedade londrina, parecia ter a vida perfeita. No entanto, quando Erika começa a investigar o seu passado, vislumbra uma relação entre aquele homicídio e a morte de três prostitutas, encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, abandonadas nas águas geladas de outros lagos de Londres.
A sua última investigação deu para o torto, e agora Erika tem a carreira presa por um fio. Ao mesmo tempo que luta contra os seus demónios pessoais, enfrenta um assassino altamente mortífero e que se aproxima tanto mais dela quanto mais próxima ela está de expor ao mundo toda a verdade. Conseguirá Erika apanhar o assassino antes de ele escolher a próxima vítima?
Notas sobre o autor:
Robert Bryndza é autor, entre outros, do bestseller internacional A Rapariga no Gelo, n.º 1 na Amazon, no USA Today e no The Wall Street Journal. Os seus livros venderam cerca de dois milhões de exemplares e foram, até ao momento, traduzidos em 26 idiomas.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

PASTÉIS DE FRANGO COM LEGUMES

Cá em casa os restos de frango assado acabavam sempre em quiche ou desfiado em saladas... por isso desta vez resolvi optar por outra opção e fazer um petisco diferente (se bem que as opções que mencionei anteriormente são igualmente deliciosas).
Para quem tem em casa crianças renitentes em comer legumes, esta é uma óptima forma de os "mascarar" e de conseguir uma refeição saudável e equilibrada.
As quantidades são a olho e a ao gosto de cada um e fia uma excelente opção para comer no conforto do lar ou para levar para a praia.
Restos de frango assado
Bróculos
Cenoura
Salsa
Cebola
2 ovos + 2 claras
1/2 chávena de farinha de linhaça
queijo ralado q.b.

Colocar na picadora os restos de frango assado juntamente com os legumes escolhidos (podem ser outros diferentes dos que mencionei acima), a cebola e a salsa. Picar tudo de modo a que fique uma mistura homogénea.
Colocar numa taça, juntar os ovos batidos, as claras, a farinha de linhaça e o queijo ralado, temperando com sal e pimenta a gosto. A massa deverá ficar ligeiramente consistente e fácil de moldar pelo que, se for necessário, poderá ter que adicionar mais um pouco de farinha.
Com a ajudar de duas colheres de sopa moldar os pastéis, colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao forno, pré-aquecido a 180º, durante 15 a 20 minutos.
Servir com salada.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

"A FILHA DO PESCADOR"

Foi a minha estreia e fiquei agradavelmente surpreendida, o que me fez ficar com vontade de ler mais livros escritos por ela.
A história gira em torno de Raffaella, jovem filha de um pescador, que desde criança se apaixonou por um rapaz da terra, de famílias abastadas. Chega finalmente a altura em que casam e a vida que Raffaella pensou ser de sonho, rapidamente se transforma em pesadelo, com a morte precoce do jovem marido.
A partir daí, visto que é rejeitada pela família do marido, tem que se fazer à vida e arranja emprego.
Começa então a conhecer novas pessoas e novas realidades, nunca desfazendo os laços com o passado e sem esquecer a memória do falecido marido.
No meio de todo este enredo há a construção de uma estátua na vila onde vive, ideia acarinhada por uns e odiada por outros, facto que também vai fazer com que Raffaella seja apanhada na teia dos acontecimentos.
Livro recomendado a quem gosta de leitura fácil e relaxante.

Raffaella Moretti, de longe a rapariga mais bonita de Triento, no Sul de Itália, está prestes a casar com o único rapaz que alguma vez amou e que, afortunadamente, é proveniente da família mais rica da cidade. A vida parece sorrir-lhe de tal forma que ela está longe de imaginar que passado muito pouco tempo será viúva e ganhará a vida limpando uma casa que não é a sua. À medida que Raffaella luta para reconquistar a sua felicidade perdida, apercebe-se que há todo um mundo lá fora a que, até então, era alheia. Ao desvendar histórias de engano, mistério, luxúria e amores perdidos, a jovem tenta ajudar as pessoas que a rodeiam. Há Silvana, com a sua paixão mal escondida; Carlotta, a filha do jardineiro, que carrega uma misteriosa dor; e o simpático e gentil dono do Gipsy Tearoom. Mas à medida que as suas vidas se interligam, Raffaella é atirada para o centro de um conflito que ameaça não apenas dividir Triento, mas também destruir tudo o que lhe é querido.
Recheado da mais saborosa comida, pleno de paixão e mistérios, A Filha do Pescador decorre numa cidade com tanta personalidade que não é difícil perdermo-nos nas suas ruas, esplanadas, mercados e pizarias, que constituem, afinal, o mundo de Raffaella, e tornarmo-nos numa pequena parte do interminável espectáculo da sua vida.
Notas sobre a autora:
Nicky Pellegrino nasceu em Liverpool, filha de mãe inglesa e de um italiano apaixonado pela gastronomia do seu país. Esse fascínio pela culinária foi herdado por Nicky, que transpõe para as suas obras de ficção verdadeiros festins de aromas e sabores, que aguçam o apetite de tão vívidos. A viver atualmente na Nova Zelândia, com o marido, dois cães e dois cavalos, Nicky dedica o seu tempo ao jornalismo em regime freelance e à escrita de romances. Os seus livros foram já traduzidos para doze línguas.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

PIZZA PALEO

Das coisas que eu mais gosto de comer é uma boa fatia de pizza, com diversos ingredientes na sua guarnição e com montes de queijo derretido por cima.
Há certas dietas e estilos alimentares em que pizzas são alimentos proibidos, mas felizmente no estilo de vida Paleo, desde que se saibam adaptar os ingredientes, não há proibições... basta fazer uso dos nossos conhecimentos e colocar mãos à obra na cozinha.
Aqui fica o exemplo de uma pizza deliciosa, sem glúten, para comer sem pesos na consciência!
Para a base da pizza:
6 ovos médios
30gr de quejo ralado
2 colheres de sopa de polvilho azedo
1 colher de chá de fermento em pó
sal e pimenta q.b.

Bater os ovos com o queijo ralado. Juntar os restantes ingredientes, batendo bem, de modo a que fique bem envolvido
Forrar um tabuleiro com papel vegetal, colocar a massa da pizza, dando o formato desejado, e levar ao forno, pré-aquecido a 180º, durante 15 minutos.

Retirar do forno, guarnecer a gosto, cobrir com queijo ralado e levar ao forno novamente até o queijo derreter.
Neste caso cobri com molho de tomate caseiro, cebola em rodelas, pimento e couve roxa em tiras, cogumelos, bimis (bróculos bébés), bacon e queijo ralado.
Mais 10 minutos de forno e fica pronto a servir.
Quem disse que Paleo não pode comer pizza?

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

SOPA DE BELDROEGAS

Há muitos anos que não consumia beldroegas, mas aproveitando que uma amiga me deu um molho grande, resolvi fazer uma sopa deliciosa, usando uma receita do site Mundo de Receitas Bimby, mas adaptando os ingredientes à minha maneira.
Podem achar estranho uma receita de sopa em pleno mês de Agosto, mas eu consumo sopa o ano inteiro, independentemente da estação do ano em que estamos...
1 curgette grande
1 batata doce
2 dentes de alho
1 cebola pequena
2 cenouras
folhas de beldroegas q.b.
1 raminho de coentros
700gr de água
sal e azeite q.b.

Arranje as folhas de beldroegas e dos coentros e coloque na Varoma.
No copo coloque a curgette e a batata doce, descascadas e cortadas em cubos, as cenouras às rodelas e os alhos e a cebola. Junte a água, tape o copo, coloque por cima a Varoma e programe 25 minutos, temperatura Varoma, velocidade 1.
Retire a Varoma, tape o copo e triture a sopa durante 1 minuto, progressivamente nas velocidades 3-5-7.
Junte ao copo as beldroegas e os coentros reservados, adicione o azeite e programe 5 minutos, 100º, velocidade colher inversa.
Sirva de seguida.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

"AS RAPARIGAS DO ROSÁRIO"

Livro fantástico que a cada capítulo nos faz aumentar a adrenalina e nos deixa com pele de galinha... o cariz religioso ligado à história está muito bem inserido à medida que o trama se vai desenrolando.
O mistério do aparecimento de várias jovens mortas, com as mãos unidas em prece e aparafusadas uma à outra, com um rosário entre elas, faz com que os detectives andem às voltas até perceberem o "modus operandi" do assassino.
Confesso que durante a leitura "angariei" dois suspeitos, mas nenhum dos dois era o culpado... o final é deveras surpreendente e arrebatador.
Leitura recomendada a 100%.

Uma das vozes mais poderosas e de maior talento da actualidade dá vida a um thriller moderno de grande pujança baseado numa ideia de vingança e revolta. Chase, motorista de ambulâncias fica traumatizado desde o dia em que perdeu a filha por não ter chegado a tempo ao hospital não conseguindo evitar que a sua mulher abortasse no caminho. A partir daí, a sua sede de castigar jovens que planeiam suicidar-se assume contornos assassinos sendo o seu alvo raparigas pertencentes a colégios católicos. As execuções obedecem a um ritual meticulosamente planeado: primeiro a fase da oração e em seguida a tortura e execução, sendo as mãos das escolhidas aparafusadas em oração eterna segurando um rosário a que falta um número diferente de contas em cada crime. Antes que o ciclo fique completo, torna-se urgente identificar e capturar o assassino que está a assombrar Filadélfia. Um thriller de elevado suspense e acção que mantém o leitor a desconfiar de várias personagens.
Notas sobre o autor:
Richard Montanari nasceu em Cleveland, no seio de uma família ítalo-americana. Após terminar uma licenciatura na Universidade de Case Western Reserve, decidiu partir à descoberta da Europa. Mais tarde, depois de regressar aos Estados Unidos, tornou-se escritor freelancer. Conheceu o sucesso em 2005 com a publicação deste livro. Além de romancista, é ainda argumentista e ensaísta, tendo colaborado com o Chicago Tribune e o Seattle Times.

terça-feira, 25 de julho de 2017

CREPES PALEO

 É tão fácil fazer uma alimentação saudável inspirada no estilo Paleo, que quando optamos por este estilo de vida já não nos imaginamos a comer de outra forma e torna-se muito simples adaptar receitas convencionais a este tipo de vida alimentar.
Ainda há quem diga que é difícil ser Paleo!!!
1/2 chávena de polvilho doce
4 ovos
2 colheres de sopa de óleo de coco derretido
sal q.b.

Colocar todos os ingrediente numa taça e bater bem com uma vara de arames.
Deixar a massa repousar cerca de 5 minutos.
Levar ao lume uma frigideira anti-aderente (não é necessário untar) e deixar aquecer bem, deitando colheradas de massa e fazendo os crepes, mais ou menos finos, conforme a espessura desejada.
Assim que começarem a fazer bolhas virar e deixar alourar do outro lado (são muito fáceis de virar e ficam prontos rapidamente).
Retirar e servir de seguida com guarnição a gosto. O meu levou iogurte grego, canela, mirtilos e granola.
Esta receita rende cerca de 6 a 8 crepes.