Sugestões para oferecer ou para ler...


quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

CALDEIRADA DE BORREGO

Borrego é iguaria muito apreciada cá em casa, ou não fosse o meu marido descendente de alentejanos. 
Para dar um "empurrãozinho" ao mês de Agosto, que está na recta final, vamos preparar uma bela caldeirada de borrego, para nos deliciarmos com este sabor típico e tradicional do Alentejo...
Temperar os pedaços de borrego com alho, pimentão doce, vinho branco e pimenta. Deixar marinar de um dia para o outro para tomar gosto.
No fundo de um tacho colocar alho picado, cebola em rodelas, pimento verde em tiras e tomate picado. Deitar por cima os pedaços de borrego, polvilhar com noz moscada, deitar 2 cravinhos e juntar uma cerveja. Levar a lume forte durante cerca de meia hora para cozer o borrego.
Juntar batatas em rodelas, deitar a marinada do borrego, envolver e juntar mais um pouco de caldo se necessário. Baixar o lume e deixar cozinhar lentamente até as batatas estarem cozidas.
Servir de seguida.

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

"A FLORESTA DOS ESPÍRITOS"

Este foi um dos livros que li este ano que menos gostei, e só fiz o esforço de o ler até ao final porque as críticas eram muito boas...
A história em si não é nada de especial, e o desenrolar da acção por vezes torna-se confusa, personagens que desaparecem subitamente, mau desenvolvimento a nível da escrita, etc.
Foi uma desilusão, pode ser um grande autor mas este livro não me agradou em nada... devido às boas críticas que li sobre o livro esperava algo diferente e mais cativante.

Jeanne Korowa, brilhante juíza com uma vida sentimental desastrosa, envolve-se na investigação de uma série de mortes violentas: desmembramentos e canibalismo em cenários macabros. Por despeito, Jeanne instala um gravador na sala do psicanalista do ex-namorado, e acaba por ouvir uma consulta de outro paciente: um pai que revela os desejos e actos sanguinários do seu filho autista. Esta e outras pistas conduzirão a juíza à Floresta dos Espíritos, onde descobrirá uma verdade que preferiríamos nunca chegar a conhecer.
Notas sobre o autor:
Jean-Christophe Grangé nasceu em 1961. Foi repórter e colaborou com várias agências de imprensa internacionais, tendo depois fundado a sua própria agência. É a esse trabalho e vai buscar as primeiras ideias para os seus livros. Autor de thrillers de sucesso, muitas vezes comparado a Stephen King, é um dos escritores franceses mais lidos em todo o mundo. A sua obra está traduzida em trinta países e alguns dos seus livros foram adaptados ao cinema. Conheça melhor o autor em www.jc-grange.com

quarta-feira, 13 de Agosto de 2014

ESPARGOS NO FORNO COM MOLHO DE VINAGRE BALSÂMICO E MANTEIGA

Há dias comprei um molho de espargos verdes e pensei em fazê-los com ovos, que é a minha forma preferida de os comer... mas depois resolvi pesquisar na net para encontrar uma maneira diferente de os cozinhar, pois gosto de inovar. Encontrei esta receita no site Allrecipes e fiquei rendida, pois é uma óptima sugestão para servir este legume tão pouco usado na nossa cozinha.
1 molho de espargos verdes
óleo
sal e pimenta a gosto
2 colheres de sopa de manteiga
1 colher de sopa de molho de soja
1 colher de chá de vinagre balsâmico

Pré-aqueça o forno a 200º.
Arranje os espargos e coloque-os arrumados numa assadeira. Regue com um fio de óleo e tempere com sal e pimenta.
Asse os espargos no forno pré-aquecido por cerca de 12 minuto, até ficarem macios.
Num tacho derreta a manteiga em lume médio. Depois de derretida tire do lume e junte o molho de soja e o vinagre balsâmico. Na hora de servir deite o molho por cima dos espargos já assados.
Acompanhe com carne, peixe ou uma mistura de legumes.

quinta-feira, 7 de Agosto de 2014

"VIDAS ESTILHAÇADAS"

Quando comecei a ler este livro pensei que estive perante mais um "romance lamechas" mas afinal enganei-me, a história é muito interessante.
Leva-nos ao universo de duas irmãs que tiveram uma infância de maus tratos e cheias de carências, seguiram caminhos diferentes durante a adolescência e voltam a reencontrar-se já em adultas, cada uma com a sua vida (mal ou bem) estruturada... o choque de diferenças entre ambas é inevitável, as culpas atribuídas não se conseguem evitar, lágrimas derramadas e momentos de frustração são uma constante.
Haverão vidas perfeitas? Quem pensa que tem uma vida perfeita não corre o risco de, mais dia menos dia, ver tudo ruir? O ideal que temos de perfeição pode ser abalado por agentes exteriores?
Gostei de ler esta história de altos e baixos familiares, em que no final se tenta sempre manter fortes os laços de amor familiar.
Sem dúvida uma leitura ideal para o Verão!


Após umas idílicas férias de Verão, a família Beecham regressava a casa, de carro, quando um condutor embriagado ditou a sua sorte. Hannah tinha 4 anos e Julie quase 2. Aquela noite deixou-as órfãs. A solidão encaminhou-as para uma tia cruel e sem escrúpulos. O destino encarregou-se de as separar.
Muito anos depois, Hannah está a trabalhar quando ouve uma voz que a abala profunda e incompreensivelmente. Quem é a estranha mulher que grita contra as injustiças do mundo? A verdade atinge-a como um raio: Julie!
Hannah tem uma vida desafogada, um casamento estável e um emprego que a realiza, feitos notáveis para quem conviveu de perto com o inferno. Mas o mesmo não se pode dizer de Julie, cuja natureza explosiva se virou contra si própria. Ela precisa desesperadamente de ajuda e terá de ser a irmã a intervir, mas ao fazê-lo, Hannah descobre horrorizada que a sua própria vida não é tão perfeita quanto parece...
Notas sobre a autora:
Bernardine Kennedy nasceu em Londres, mas passou a maior parte da sua infância em Singapura e na Nigéria, antes de se estabelecer no Essex, onde vive com a família. Ao longo da sua diversificada vida profissional foi assistente de bordo, instrutora de natação e assistente social. Para além de ser autora de uma vasta obra, escreve regularmente artigos de viagens para diversas revistas. Na ASA está já publicado o seu romance Vidas Estilhaçadas.

quarta-feira, 6 de Agosto de 2014

"O ÚLTIMO PAPA"

Livro 5 estrelas, resumidamente é tudo o que tenho a dizer. Se alguém tem dúvidas que no nosso país temos excelentes autores, agarre neste livro de Luis Miguel Rocha e garanto que vão ficar deliciados.
Um enredo muito bem construído, uma história envolvente e misteriosa, acção que decorre a um ritmo alucinante, em que muitas das vezes quase que temos vontade de roer as unhas.
Todas as personagens entram no momento certo, ausência de momentos mortos ou maçadores durante a narrativa, uma obra que não se fica nada atrás dos policiais de Dan Brown.
Tenho os restantes livros do autor em casa por ler e garanto que não vou demorar muito a devorá-los a todos.

29 de Setembro de 1978. O mundo acorda com a chocante notícia da morte do Papa João Paulo I, eleito há apenas trinta e três dias. O Vaticano declara que Sua Santidade morreu de causas desconhecidas e que o corpo será embalsamado dentro de vinte e quatro horas, impossibilitando qualquer autópsia…

2006. A jornalista Sarah Monteiro recebe na caixa de correio um envelope com uma lista de nomes que não conhece e uma mensagem codificada. Inicialmente, Sarah fica apenas confusa, mas depois de a sua casa ser assaltada percebe que aquela lista a coloca em perigo.

O conteúdo do envelope revela um mundo de corrupção que a jornalista nunca imaginara e ajuda a descobrir a verdade sobre a misteriosa morte de João Paulo I. Arrastada para uma realidade em que mercenários implacáveis, políticos corruptos e membros da Igreja conspiram com o mesmo propósito, Sarah terá de escolher entre contar ao mundo a verdade ou salvar a sua própria vida.   
Notas sobre o autor:
Luís Miguel Rocha nasceu em 1976 na cidade do Porto, onde mora depois de ter residido dois anos em Londres. Foi repórter de imagem, tradutor e guionista. Atualmente, dedica-se em exclusivo à escrita. A Filha do Papa é o seu sexto livro, depois de Um País Encantado (2005), O Último Papa (2006), Bala Santa (2007), A Virgem (2009) e A Mentira Sagrada (2011).
As suas obras estão publicadas em mais de 30 países e foi o primeiro autor português a entrar para o top do The New York Times. O Último Papa, bestseller internacional, vendeu mais de meio milhão de exemplares em todo o mundo.

segunda-feira, 4 de Agosto de 2014

DOCE DE PERA E CANELA

Tenho uma pereira na horta que todos os anos carrega de peras, mas o problema é que as ditas são muito rijas e ácidas, o que faz com que não as comamos ao natural... outro problema é que a maior parte delas parece que nascem já "bichadas", ou seja, muitas vezes de uma dúzia peras consegue aproveitar-se 2 ou 3.
Uma tarde destas o meu marido encheu-se de paciência, apanhou um saco de peras, descascou-as e aproveitou as partes sadias e deixou-as preparadas para que fizesse este doce, cuja receita tirei do Mundo de Receitas Bimby.
600gr de peras maduras
300gr de açucar (usei 400gr porque as peras eram ácidas)
1 colher de sobremesa de canela

Descascar e descaroçar as peras. Cortar aos pedaços e colocar no copo da Mycook. Juntar o açucar.
Triturar durante 10 segundos, velocidade 7. De seguida programar 30 minutos, 100º, velocidade 2.
Adicionar a canela e para ganhar consistência programar mais 10 minutos, 110º velocidade 2.
Colocar em frascos e servir com bolachas, torradas, etc.

quinta-feira, 31 de Julho de 2014

"O ENIGMA E O ESPELHO"

Um livro muito interessante que se lê de um só fôlego. Ao ler a sinopse pensei que fosse uma história para adolescentes, mas pode ser lido por qualquer idade, pois é muito ternurenta. Descreve a forma de uma menina doente que recebe a visita de um anjo, e que nos faz meditar sobre algumas questões, tais como a vida eterna, a diferença entre o Céu e a Terra, etc.
A noite de Natal, mágica, sagrada,propícia ao raro encontro entre o eterno e o temporal, convidativa a um passeio pelo reino da poesia e de todas as coisas que se movem entre o Céu e a Terra. Ao quarto de Cecilie, onde uma grave doença a mantém acamada, esta noite, intensamente povoada por vozes e aromas familiares, chega pelas asas da sua imaginação, fortes e céleres, quase tão imateriais quanto as de Ariel, o anjo que a visita. No limiar da puberdade, Cecilie reflete ainda o brilho primordial do espanto que emana dos jardins da infância e faz fluir o diálogo com Ariel, com o mundo do outro lado do espelho. Acompanhada pelo anjo viaja numa "teodisseia" que, à luz da maiêutica socrática, faz a travessia das sendas labirínticas da incessante curiosidade perante os segredos da vida e do cosmo e assoma a uma invulgar proximidade com o mistério da criação. Um livro premiado que vem reconciliar a profundidade e a alegria.
Notas sobre o autor:
Jostein Gaarder nasceu em Oslo a 8 de Agosto de 1952. Formou-se em Filosofia, tendo leccionado durante alguns anos as disciplinas de História das Ideias e História das Religiões no Ensino Secundário. A partir de 1993, depois do grande sucesso de O Mundo de Sofia dedica-se totalmente à actividade literária e diz inspirar-se nas reacções dos seus dois filhos ao mundo que os rodeia, para a criação de muitos dos seus livros. Atribui, todavia, o segredo do seu sucesso ao facto de preencher uma das necessidades fundamentais de qualquer ser humano - a de que lhe contem histórias.

quarta-feira, 30 de Julho de 2014

"NUMA FRACÇÃO DE SEGUNDOS"

Comecei a ler este livro no hospital, na consulta de urgências, enquanto esperava pela minha vez e, no meio do vai-vém do hospital confesso que a leitura não me estava a agradar nem um pouco, talvez por eu própria não me sentir muito bem... cheguei a pensar "mais um livro para pôr de parte sem ler".
Mas afinal o livro revelou-se uma agradável surpresa: capítulos curtinhos, o que tornam a leitura interessante e nada maçadora, enredo cada vez mais intricado à medida que vamos avançando na leitura, muitas personagens, mas todas entrando no momento certo, etc.
É um policial/thriller carregadinho de emoção e suspense até à última página. Foi a minha estreia com este autor mas fiquei agradavelmente surpreendida.

De facto, numa fracção de segundo, King assistiu à sua própria impassibilidade perante aquele assassinato e ao desmoronar de uma carreira promissora. Volvidos oitos anos, a história teima em repetir-se, somente com duas diferenças: o cenário e os intervenientes. É época de eleições, o candidato chama-se John Bruno e Michelle Maxwell é a jovem agente que lhe dá protecção. Mas eis que do nada o impensável acontece: John desaparece misteriosamente e, tal como King, também Michelle sabe que a sua carreira se colapsa naquele momento. É então que os caminhos de King e de Michelle se cruzam e juntos investigam não só este desaparecimento, mas sobretudo o homicídio de há oito anos. Um thriller psicológico cujo enredo se vai construindo peça a peça, tal qual um puzzle.
Notas sobre o autor:
David Baldacci nasceu em 1960, na Virgínia, onde reside atualmente. Exerceu advocacia durante nove anos em Washington, dedicando-se depois à escrita. Do seu currículo faz parte um impressionante número de bestsellers, entrando frequentemente no primeiro lugar da lista dos mais vendidos do New York Times.