Sugestões para oferecer ou para ler...


quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

"A MORTE USA UMA MÁSCARA DE BELEZA"

Um livro de Mary Higgins Clark que nada mais é do que uma compilação de contos da sua autoria.
Leitura fácil, sempre com elevado nível de suspense, os contos são curtos e de fácil leitura.
Não é uma das melhores obras da autora, mas é um bom livro para ir lendo aos poucos...
«A senhora da alta tensão.» The New Yorker Em 1974, Mary Higgins Clark começou a escrever uma novela inspirada no mundo da moda nova-iorquino. Interrompeu-a para escrever o seu primeiro romance, Onde Estão as Crianças?, que a projetou para o sucesso internacional. Quarenta anos mais tarde, a autora regressa a essa novela para a concluir e surpreender todos mais uma vez com o seu talento ímpar como contadora de histórias. Desde o seu primeiro conto publicado a histórias clássicas onde figuram algumas das personagens mais inesquecíveis da autora, A Morte Usa Uma Máscara de Beleza é uma primorosa coleção de contos que nos emociona e nos deixa o coração a bater mais depressa, como é característico da Rainha do Suspense.
Notas sobre a autora:
Mary Higgins Clark é autora de mais de trinta romances que obtiveram um êxito assinalável, tendo vendido mais de 150 milhões de exemplares dos seus livros em todo o mundo.
Foi secretária e hospedeira, mas depois de se casar dedicou-se à escrita. Com a morte prematura do marido, que a deixou com cinco filhos pequenos, a autora investiu na escrita de guiões para rádio e, depois, nos romances. Rapidamente se tornou um dos grandes nomes da literatura de suspense, conquistando os tops de vendas, a crítica e os fãs.
Foi eleita Grand Master dos Edgar Awards 2000 pela Mystery Writers of America, que também lançou um prémio anual com o seu nome. Já foi presidente da Mystery Writers of America, bem como do International Crime Congress.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

MUFFINS FIT

Mais um prato muito fácil e rápido de fazer, que tanto pode servir de refeição como de lanche ou ainda um petisco para levar para um pic-nic ou para a praia.
A receita veio da página do Facebook Cozinha Fit & Fat e é uma delícia. E são tão simples de fazer que até quem não tenha grande jeito para a cozinha consegue fazer um brilharete com este pitéu!!!
1 cenoura crua e ralada
2 ovos + ovos q.b. para as formas
1 chávena de queijo ralado
sal e cebolinho q.b.
cubos de chouriço ou bacon

Misturar todos os ingredientes (excepto os ovos para as formas).
Colocar em formas de muffins previamente untadas.
Fazer uma cavidade em cada forma e colocar cubos de chouriço e um ovo inteiro.
Polvilhar com cebolinho e levar a forno médio por cerca de 25 minutos.
Servir morno ou frio.

terça-feira, 31 de dezembro de 2019

"AS GÉMEAS DE AUSCHWITZ"

Um livro que é um verdadeiro soco no estômago, uma história contada na primeira pessoa, sob a perspectiva do olhar de uma criança, sobre os horrores e atrocidades vividos em Auschwitz.
Por muito que se ouça falar do regime Hitler e de todas as maldades feitas nessa época, é sempre horrível ouvir uma história como esta...
É nestas alturas que damos valor à infância que tivemos e que damos graças por não vivermos num ambiente de guerra.
Um livro pequeno que se devora em poucas horas e que deve ser lido por toda a gente!

«Se eu tivesse morrido, Mengele teria dado uma injeção letal à minha irmã para fazer uma autópsia dupla. Só me lembro de repetir para mim mesma: tenho de sobreviver, tenho de sobreviver.»
Eva Mozes Kor
As portas do vagão abriram-se pela primeira vez em muitos dias e a luz do dia brilhou sobre nós.
Agarrei bem a mão da minha irmã gémea quando nos empurraram para a plataforma.
- Auschwitz? É Auschwitz? Que sítio é este?
- Estamos na Alemanha - foi a resposta.
Na verdade, estávamos na Polónia, mas os Alemães tinham invadido a Polónia. Era na Polónia alemã que se situavam todos os campos de extermínio.
Os cães rosnavam e ladravam. As pessoas do vagão começaram a chorar, a berrar, a gritar todas ao mesmo tempo; todos procuravam os seus familiares à medida que eram afastados uns dos outros. Separavam homens de mulheres, filhos de pais.
Um guarda que ia a passar a correr parou bruscamente à nossa frente. Olhou para Miriam e para mim nas nossas roupas a condizer: «Gémeas! Gémeas!», exclamou. Sem dizer uma palavra, agarrou em nós e separou-nos da nossa mãe. Miriam e eu gritámos e chorámos, suplicámos, as nossas vozes perdidas entre o caos, o barulho e o desespero, tentando chegar à nossa mãe, que, por sua vez, tentava seguir-nos, de braços estendidos, com outro guarda a retê-la.
Miriam e eu tínhamos sido escolhidas. De repente, estávamos sozinhas. Tínhamos apenas dez anos. E nunca mais voltámos a ver nem o nosso pai nem a nossa mãe.
Notas sobre a autora:
Eva Mozes e Miriam Mozes nasceram em 1934 na Roménia. Em 1944, a sua família foi levada para o campo de concentração de Auschwitz. Por serem irmãs gémeas, foram selecionadas para as experiências feitas com seres-humanos realizadas sob a direção do médico nazi Josef Mengele. Ao contrário da maioria das crianças que foram submetidas a essas experiências, elas sobreviveram.
Os rins de Miriam nunca se desenvolveram completamente e acabou por falecer em 1993 de uma rara forma de cancro. Eva tomou a decisão corajosa de perdoar publicamente os nazis pela sua infância traumática e despertou a atenção do mundo originando mais tarde o documentário Forgiving Dr. Mengele, assim como várias aparições mediáticas, entre elas no popular programa de informação da CBS News60 minutos.
Eva dedicou a sua vida a dar testemunhos sobre os horrores do Holocausto, transmitindo uma mensagem de esperança nos direitos humanos.

domingo, 22 de dezembro de 2019

"ONDE CAEM OS ANJOS"

A ideia que tinha dos livros de Nora Roberts (baseada em algumas obras que já li da autora) era de umas histórias sempre cheias de romance e sonhos cor de rosa, em que tudo está bem quando acaba bem.
Este livro é óptimo pois embora tenha a sua vertente de romance, junta uma vertente policial e cheia de mistério que faz com que se consiga avançar na leitura sempre com alguns suspeitos debaixo de olho.
É impossível não sentir uma grande empatia com Reece, a personagem principal, que nos faz entrar em sintonia com os seus sentimentos, pois durante a leitura conseguimos sentir o que a personagem sente e a sua impotência quando ninguém parece acreditar nela.
É uma boa leitura que nos faz pensar que, por vezes, nem tudo o que parece é...
Reece Gilmore foge de um passado traumático como única sobrevivente de um crime brutal em que viu todos os seus amigos morrer. Um dia chega a Angel’s Fist, um lugar idílico rodeado por belas montanhas, e decide aceitar um emprego no restaurante local como cozinheira.
Reece cedo encanta os locais com os seus dotes de culinária. Afinal de contas, era uma famosa chefe de cozinha na Costa Leste, mas continua atormentada pelo crime de que foi vítima, e luta constantemente contra os pesadelos que a assombram. Até que um dia é a única testemunha de um novo homicídio…
Sendo tão frágil e dada a ataques de pânico, ninguém na cidade parece acreditar em Reece a não ser Brody, um irascível e atraente escritor de policiais. E quando uma série de eventos perigosos tornam claro que alguém está a tentar enlouquecer Reece e a eliminá-la do caminho, ela terá que confiar em Brody, e em si própria, para descobrir se existe ou não um assassino em Angel’s Fist.
Venha descobrir a beleza das montanhas americanas e as fantásticas receitas de culinária de Reece Gilmore, nesta apaixonante história de crime, loucura e amor de Nora Roberts.
Notas sobre a autora:
Com mais de 500 milhões de cópias vendidas em todo o mundo, e mais de 90 bestsellers na lista do The New York Times, Nora Roberts é uma das autoras mais lidas, acarinhadas e respeitadas do mundo.
Foi a primeira autora a ser convidada para o Romance Writers of America Hall of Fame. Nascida em Silver Spring, Maryland, Nora Roberts é a mais nova de cinco filhos. Vive em Keedysville onde continua a escrever.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

"NEGRO COMO O MAR"

Uma das coisas que mais gostei neste livro foi o facto de ter capítulos curtos, que devoramos sem dar por isso, pois a história é envolvente e prende-nos a atenção.
Umas férias que deveriam ser de sonho a bordo de um cruzeiro tornam-se um autêntico pesadelo, com o assassinato de Lady Em e o desaparecimento de um valioso colar de esmeraldas.
O enredo está tão bem escrito que a dado momento todas as personagens nos parecem suspeitas, mas no capítulo seguinte já todas as personagens nos parecem inocentes, o que faz aguçar a nossa curiosidade e desejar chegar rapidamente ao final do livro.
Uma boa obra para quem gosta de policiais.

O cruzeiro prometia ser sublime. Mas logo depois de levantar a âncora, o luxuoso Queen Charlotte torna-se o palco de um misterioso assassínio: o de Lady Em, uma rica octogenária. O seu inestimável colar de esmeraldas, que supostamente pertenceu a Cleópatra, desapareceu...
O culpado está, sem dúvida, a bordo. Mas quem é? O seu contabilista aparentemente dedicado? O jovem advogado que queria persuadir Lady Em a devolver o colar ao Egito, enquanto seu legítimo proprietário? Ou Celia Kilbride, a gemóloga que se relacionou com a velha senhora?
A lista de suspeitos cresce enquanto o Queen Charlotte rasga as ondas e o cruzeiro se transforma em drama. Preparemo-nos para embarcar num cruzeiro comandado por uma surpreendente Mary Higgins Clark e do qual é possível não regressar.

Notas sobre a autora:
Mary Higgins Clark é autora de mais de trinta romances que obtiveram um êxito assinalável, tendo vendido mais de 150 milhões de exemplares dos seus livros em todo o mundo.
Foi secretária e hospedeira, mas depois de se casar dedicou-se à escrita. Com a morte prematura do marido, que a deixou com cinco filhos pequenos, a autora investiu na escrita de guiões para rádio e, depois, nos romances. Rapidamente se tornou um dos grandes nomes da literatura de suspense, conquistando os tops de vendas, a crítica e os fãs.
Foi eleita Grand Master dos Edgar Awards 2000 pela Mystery Writers of America, que também lançou um prémio anual com o seu nome. Já foi presidente da Mystery Writers of America, bem como do International Crime Congress.

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

HAMBURGUERS DE ATUM

De há uns tempos para cá, não me perguntem porquê, comecei a "embirrar" com o sabor do atum e para usá-lo em receitas tem que ficar o paladar muito bem disfarçado.
Encontrei esta receita na Cookido e com a ajuda da preciosa Bimby consegui usar atum numa receita sem ficar enjoada, tendo um resultado 5 estrelas.
Não deixem de experimentar estes hamburguers, pois ficam realmente deliciosos.
150gr de cenoura cortada em pedaços
80gr de alho francês em pedaços
2 ovos
550gr de atum em lata escorrido
150gr de flocos de aveia
1/2 colher de chá de sal
1 colher de chá de paprika
1 colher de chá de cominhos
azeite q.b.

Coloque no copo a cenoura e o alho francês e pique 4 segundos, velocidade 5. Baixe com a espátula e pique novamente 6 segundos, velocidade 5.
Adicione os ovos, o atum, a aveia e os temperos e misture 15 segundos, velocidade 4 inversa. Mexa e envolva novamente 25 segundos, velocidade 4 inversa.
Retire, forme bolas e espalme ligeiramente em forma de hamburguers.
Deixe descansar 5 a 10 minutos.
Leve ao lume uma frigideira com um fio de azeite e cozinhe os hamburguers alguns minutos de cada lado.
Sirva com acompanhamento a gosto.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

FRANGO DE CEBOLADA À ANGOLANA

Há aqueles dias em que não sabemos o que fazer para o jantar e precisamos de algo simples e rápido.
Esta receita que encontrei no Mundo de Receitas Bimby é o ideal, em meia hora temos o jantar pronto e enquanto preparamos o acompanhamento, é o tempo de pôr a mesa et voilá... refeição preparada em três tempos.
Não há dúvida que a Bimby é uma grande aliada nas nossas cozinhas!!
700gr de frango cortado em pedaços
1 colher de sopa de pimentão doce
2 malaguetas cortadas em rodelas
2 dentes de alho cortados em pedaços
1 folha de louro
30gr de azeite
350gr de cebola cortada em meias luas
15gr de vinho branco
1 colher de chá de sal

Coloque todos os ingredientes no copo, envolva com a ajuda da espátula e programe 25 minutos, 110º, velocidade colher inversa.
Sirva com acompanhamento a gosto; nós optamos por arroz de couve flor gratinado com queijo e salada.
Bom apetite!!!

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

"O DIABO E A GEMADA"

Um livro repleto dos aromas e sabores da cozinha italiana, em que a autora conta episódios muito engraçados sobre a sua infância, dando também a conhecer a relação conturbada que tinha com a mãe, o constante carinho dos avós e as dificuldades de quem viveu em tempos de guerra.
É sempre bom conhecer as origens e histórias dos autores que gostamos de ler, sendo que este livro tem a particularidade de, na parte final, nos presentear com as receitas das iguarias descritas ao longo da obra.
Em 1943, Milão está sob as bombas dos Aliados, e nas proximidades da via Padova, uma criança extraordinariamente curiosa, inicia a sua aprendizagem de vida. Chama-se Sveva e tem 5 anos. É este o contexto de O Diabo e a Gemada, um relato autobiográfico em que a autora percorre os anos da Segunda Guerra Mundial, que se desenrolam entre a casa de família em Milão e uma quinta, nos arrozais de Trezzano sul Naviglio, na Lombardia. A comida é o fio condutor que atravessa os episódios deste relato, em que se entrelaçam memórias e emoções, sabores e receitas e cujos acontecimentos estão sempre ligados à elaboração de um prato ou a uma refeição partilhada.
Com uma descrição cuidada e rigorosa de pessoas, sabores e costumes, Sveva Casati Modignani devolve-nos um mundo, não tão longínquo, mas do qual estamos a perder a memória.
Notas sobre a autora:
Sveva Casati Modignani é um dos nomes mais reconhecidos da narrativa contemporânea italiana: os seus romances estão traduzidos em vinte países e venderam mais de 11 milhões de exemplares. A autora vive desde sempre em Milão, na casa onde nasceu e que pertencia à sua avó.
No catálogo da Porto Editora figuram já os seus seguintes romances: Feminino SingularBaunilha e ChocolateO Jogo da VerdadeDesesperadamente GiuliaO Esplendor da VidaA SicilianaMister GregoryA Viela da DuquesaUm Dia Naquele InvernoO BarãoA Família Sogliano6 de Abril’96A Vinha do Anjo, Como Vento SelvagemO Regresso da Primavera e Lição de Tango. A sua obra autobiográfica, O Diabo e a Gemada também já se encontra publicada no catálogo da Porto Editora.
Visite a página da autora no Facebook em:
www.facebook.com/SvevaCasatiModignani