Sugestões para oferecer ou para ler...


segunda-feira, 26 de Abril de 2010

"ABRINDO CAMINHOS"

Não sei como está o tempo pela vossa zona, mas por cá o calor já aperta, o que me tem proporcionado umas belas tardes de praia.
E tardes de praia são sempre significado de tardes de leitura (eu bem vos dizia que nestas férias ia dar um empurrão às dezenas de livros que tenho na estante para ler), pois uma das coisas que mais gosto no mundo é estar deitada na areia, com um bom livro por companhia e o som do mar como música de fundo.
Um grande amigo falou-me deste livro e fiquei curiosa... curiosa de tal maneira que o encomendei no dia seguinte e passados dois dias já o tinha em casa. É um livro muito interessante, com parábolas que nos fazem reflectir sobre as decisões e rumos da nossa vida. Tem um preço bastante acessível (6,90€) e é uma boa sugestão de oferta para o Dia da Mãe que vem a caminho.
Consultem o site das Paulinas e vejam como encomendar o livro. Aqui fica mais uma sugestão da minha parte para a Academia dos Livros.
Jesus foi o pregador dos caminhos.
Ele aproveitava a natureza e os factos do dia-a-dia para anunciar a Boa-Nova.
Usava a pedagogia das parábolas, falando dos lírios do campo, das aves do céu, dos trigais e dos rebanhos, e de muitos outros factos do quotidiano.
Em Abrindo Caminhos, os autores usam histórias do povo como um meio de proclamar os valores do Reino, hoje, e tentam mostrar-nos as mensagens positivas existentes em acontecimentos rotineiros; isto significa ler os factos de cada dia, tendo sempre como horizonte a Boa-Nova vivida e anunciada por Jesus.
Notas sobre os autores:
Itamar Vian foi educador na Província dos Frades Capuchinhos do Rio Grande do Sul - Brasil, durante quinze anos. Nomeado bispo pelo papa João Paulo II, a 11 de Janeiro de 1994, em 28 de Maio de 195, assumiu a diocese de Feira de Santana, onde foi noemado arcebispo. É membro permanente da CNBB e autor e co-autor de diversas obras.
Aldo Colombo é formado em Filosofia, Teologia e Jornalismo. Exerceu a função de director do Correio Riograndense e colaborou na Rádio Difusora de Porto Alegre. Foi provncial da Província Capuchinha por três anos, e coordenou o CERNE - Centro de Renovação Espiritual - da Conferência dos Religiosos do Brasil. É autor de diversas obras.

quinta-feira, 22 de Abril de 2010

"A PAIXÃO DE CRISTO"

Tal como vos tinha dito, voltaria aqui durante as férias para sugerir algum livro que tivesse lido e é o que venho hoje fazer.
Para quem, como eu, é cristão, e acredita verdadeiramente em Deus, o facto de Jesus ter morrido numa cruz, é a maior prova de amor que a Humanidade poderia alguma vez ter tido.
Numa época em que é cada vez mais difícil acreditar nos outros, pois as pessoas cada vez nos desiludem mais, passemos a acreditar mais em Deus do que nos homens. Depois de ler este livro ninguém ficará indiferente à mensagem que Deus nos quer transmitir.
Mais uma sugestão que deixo para a
Academia dos Livros.

Em Jesus Cristo, Deus enviou à humanidade o melhor dom que o Céu tinha para responder aos nossos problemas existenciais e ontológicos.
A vinda de Jesus a esta Terra é a Boa Nova de Deus aos homens.
É a certeza de que não estamos sós, perdidos neste imenso Universo.
Há uma solução vinda do exterior que é a que nos tem sido anunciada ao longo dos séculos pelos profetas de Deus.
Os capítulos deste livro apresentam-nos um Deus que nos criou, nos ama profundamente e que, por isso, na pessoa do Seu Filho, Jesus Cristo, vem ao encontro da humanidade - individual e colectivamente - para lhe garantir uma existência eterna.
Notas sobre a autora:
Ellen Gold White nasceu a 26 de Novembro de 1827. Foi uma religiosa, missionária e escritora americana. Ellen White foi uma das mais importantes líderes do movimento adventista, e actuou na definição das doutrinas fundamentais do grupo. A Igreja Adventista do Sétimo Dia considera sua obra inspirada por Deus e tem-na como profetisa e principal líder.

sábado, 17 de Abril de 2010

FÉRIAS.......

Pois é... depois de muita gente já ter gozado as merecidas férias, chegou a minha vez de ter uns dias de descanso, por isso o blog vai fazer uma paragem durante algum tempo.
Poderei voltar entretanto para apresentar algumas sugestões de leitura, já que quero aproveitar as férias para, entre outras coisas, "despachar" alguns dos mais de 50 livros que tenho na estante à minha espera.
Para todos quantos me visitam e para aqueles amigos muito especiais (eles sabem quem são) despeço-me com muitos beijinhos e muitas saudades.... e deixo-vos com o vídeo de uma das minhas músicas preferidas.
Ouçam até ao fim e batam o pé.... a música é linda e tem uma batida excelente.
Até ao meu regresso.........


Well you done done me and you bet I felt it
I tried to be chill but you're so hot that I melted
I fell right through the cracks, now I'm trying to get back

Before the cool done run out, I'll be giving it my bestest
And nothing's going to stop me but divine intervention
I reckon it's again my turn to win some or learn some

But I won't hesitate no more, no more
It cannot wait, I'm yours

Well open up your mind and see like me
Open up your plans and damn you're free
Look into your heart and you'll find love love love

Listen to the music of the moment people dance and sing
We just one big family and
It's your God-forsaken right to be loved love loved love
loved

So I won't hesitate no more, no more
It cannot wait, I'm sure
There's no need to complicate, our time is short
This is our fate, I'm yours

I've been spending way too long checking my tongue in the mirror
And bending over backwards just to try to see it clearer
My breath fogged up the glass
And so I drew a new face and I laughed

I guess what I be saying is there ain't no better reason
To rid yourself of vanity and just go with the seasons
It's what we aim to do, our name is our virtue

I won't hesitate no more, no more
It cannot wait, I'm sure
There's no need to complicate, our time is short
It cannot wait, I'm yours
I won't hesitate no more, no more
It cannot wait, I'm sure
There's no need to complicate, our time is short
This is our fate, I'm yours

Well open up your mind and see like me
Open up your plans and damn you're free
Look into your heart and you'll find that the sky is yours

Please don't, please don't, please don't
There's no need to complicate
Cause our time is short
This oh this this is out fate, I'm yours!

quinta-feira, 15 de Abril de 2010

COGUMELOS RECHEADOS

Ora aqui está uma coisa que eu gosto muito, poucas vezes como e nunca tinha feito em casa: cogumelos recheados.
As poucas vezes que comi este petisco foram cogumelos recheados com carne, maravilhosamente confeccionados pela minha cunhada S.
Aliás, eu sou fã de cogumelos (frescos de preferência, mas os enlatados também marcham... eh eh eh) e para mim vão bem de qualquer maneira, sózinhos ou acompanhados.
Como encontrei uns cogumelos grandes arrisquei-me a recheá-los com atum. Eis o resultado:
400gr de cogumelos grandes
4 dentes de alho
1 lata de atum ao natural
2 fatias de presunto
1 triângulo de queijo (usei da marca "La Vache qui Rit)
azeite
sal

Lavar os cogumelos e separar os troncos das cabeças com cuidado.
Colocar as cabeças dos cogumelos num tabuleiro de ir ao forno (untado com azeite) com a abertura para cima.
Picar os troncos dos cogumelos e refogá-los no azeite, juntamente com o alho laminado, o atum desfeito e o presunto picado.
Depois da mistura bem apurada, rectificar o sal e rechear os cogumelos, colocando por cima um pedacito do triângulo de queijo.
Levar ao forno, previamente aquecido a 180º, durante 30 minutos.
Depois.. deliciem-se....
Sugestão: caso vos sobre algum recheio, experimentem usá-lo em tostinhas ou fatias de pão torrado, servindo como entrada. É uma maravilha!
Há um ano atrás falei-vos de: Tomates Recheados com Atum

terça-feira, 13 de Abril de 2010

STROGONOFF DE VITELA

Strogonoff é daquelas coisas que toda a gente sabe fazer pois, quanto a mim, não tem grandes segredos.
Tem a benesse de ser um prato que normalmente todas as crianças gostam: não tem espinhas, não tem osso, tem molho, etc.
Para nós, cozinheiras, também é um prato muito rentável, pois não tem desperdício - aproveita-se tudo.
Cá em casa o strogonoff é apreciado por todos... desta vez foi confeccionado com vitela. É um prato calórico, eu sei... mas é só de vez em quando.
500gr de bife de vitela em tirinhas
2 dentes de alho
sal e pimenta
2 colheres de sopa de margarina
1 pacote de natas
3 colheres de sopa de ketchup
1 colher de chá de whisky

Na frigideira colocar os dentes de alho picados, sal, pimenta e a margarina. Deixar o alho alourar e deitar as tiras de carne de vitela.
Deixar cozinhar mexendo sempre, para que a carne vá ficando passada.
Quando a carne estiver meio cozinhada juntar à frigideira as natas, o ketchup e o whisky, baixando o lume e mexendo sempre, até apurar o molho.
Servir de imediato acompanhado com esparguete ou batatas fritas.

quinta-feira, 8 de Abril de 2010

"NÓMADA"

Finalmente consegui acabar de ler o livro que tinha inciado há mais de um mês... o facto de o ter levado tanto tempo a ler não foi por o livro não ser interessante, nada disso! É que tenho andado cansada e com a cabeça cheia e quando chega à noite sou vencida pelo sono e não consigo pôr a leitura em dia.
Mas ontem finalmente consegui... é um livro com um enredo bastante interessante. Não é muito o género de literatura que eu aprecie, é um tanto ou quanto fantasioso, mas a história, embora no início seja um pouco maçadora, passados os primeiros capítulos consegue prender a nossa atenção.
Aqui fica mais uma sugestão para a Academia dos Livros.
Melanie Stryder recusa-se a desaparecer.
O nosso mundo foi invadido por um inimigo invisível. Os Humanos estão a ser transformados em hospedeiros destes invasores, com as suas mentes expurgadas, enquanto o corpo permanece igual e a vida prossegue sem qualquer mudança aparente. A maior parte da Humanidade não consegue resistir.
Quando Melanie, um dos poucos Humanos "indomáveis", é capturada, ela tem a certeza de que chegou o fim. Nómada, a Alma invasora a quem o corpo de Melanie é entregue, foi avisada sobre o desafio de viver no interior de um humano: emoções avassaladoras, excesso de sentidos, recordações demasiado presentes.
Mas existe uma dificuldade com que Nómada não conta: o anterior dono do corpo combate a posse da sua mente.
Nómada, esquadrinha os pensamentos de Melanie, na esperança de descobrir o paradeiro da resistência humana. Melanie inunda-lhe a mente com visões do homem por quem está apaixonada - Jared, um sobrevivente humano que vive na clandestinidade.
Incapaz de se libertar dos desejos do seu corpo, Nómada começa a sentir-se atraída pelo homem que tem por missão delatar.
No momento em que um inimigo comum transforma Nómada e Melanie em aliadas involuntárias, as duas lançam-se numa busca perigosa e desconhecida do homem que amam.
Notas sobre a autora:
Stephenie Meyer nasceu na véspera de Natal, em Hartford, Connecticut, mas vive em Phoenix, no estado do Arizona desde os quatro anos de idade.
É lá que vive com o seu marido e os seus três filhos.
Licenciou-se em Literatura Inglesa, pela Brigham Young University.

terça-feira, 6 de Abril de 2010

BOLO DE PUDIM DE CHOCOLATE

Já passou mais uma Páscoa... como o tempo voa. Não tarda nada temos o Verão à porta e com ele os dias quentes e ensolarados de praia, passados ao sol e à beira mar.
Estes dias foram uma verdadeira correria, nem tive tempo para fazer uns folares como nos anos anteriores.
Mas houve tempo para fazer um bolo aproveitando um pacote de pudim de chocolate que tinha em casa.
E só vos digo que ficou um "senhor bolo" - como podem ver pelas fotos esta receita rende um bolo enorme e muito fofinho, ideal para aqueles dias em que esperamos visitas em casa.
A receita é simples e pode ser confeccionada com um pudim de sabor à escolha.
3 chávenas de farinha
3 chávenas de açucar
7 ovos
1 chávena de óleo
1 chávena de leite
1 pacote de pudim de chocolate
1 colher de chá de fermento
* a chávena utilizada tem a capacidade de 200ml

Bater as gemas com o açucar e o pó do pudim até ficar cremoso.
Juntar a farinha, o óleo, o leite e o fermento e bater bem.
Adicionar as claras, previamente batidas em castelo.
Levar ao forno, pré-aquecido a 180º, em forma untada e polvilhada, durante 1h15m.
É fácil não é? Nota: os "piquinhos" escuros que se vêm na fatia do bolo foi o pó do pudim de chocolate que não ficou bem desfeito na massa... eh eh eh.

quinta-feira, 1 de Abril de 2010

FILETES DE PEIXE COM CROSTA DE PÃO

Estamos na Semana Santa, a semana maior e mais importante para os cristãos.
Como manda a tradição (pelo menos na minha casa) Sexta-Feira Santa nunca se come carne.
Por isso, para o caso de algum dos leitores e/ou seguidores do meu blog também respeitar esta tradição, aqui deixo uma receita muito simples de preparar e que pode ser confeccionada com qualquer tipo de filetes: pescada, peixe-gato, tamboril, etc, sendo óptima também para aproveitar os restos de pão duro que se tem em casa.
E, apesar de hoje ser dia 01 de Abril - o chamado dia das mentiras - garanto que o que digo é verdade: esta refeição é deveras deliciosa.
1 cebola
2 dentes de alho
2 colheres de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de polpa de tomate
500gr de filetes de peixe
sal e pimenta
1dl de vinho branco
6 fatias de pão duro
1 raminho de coentros
0,5dl de azeite

Corte a cebola às rodelas finas e aloure-as na manteiga. Junte a polpa de tomate e os filetes de peixe. Tempere com sal e pimenta e regue com o vinho branco.
Aguarde que cozinhe, tapado, por cerca de 10 minutos.
Entretanto triture o pão, juntamente com os coentros e os dentes de alho.
Transfira os filetes e o molho para uma assadeira e cubra com o preparado de pão.
Regue com o azeite e leve ao forno, a 200º, durante cerca de 15 minutos.
E depois... bom apetite!!!
Há um ano atrás falei-vos de: Pão Fruta & Fibra