Sugestões para oferecer ou para ler...


sábado, 27 de Fevereiro de 2010

PÊRAS EM VINHO MOSCATEL

Assim que vi esta receita no blog da STA tive a certeza que ia gostar, pois adoro sobremesas com fruta e sou doida por pêras bêbedas.
Ora se as pêras bêbedas são feitas com vinho tinto e ficam deliciosas, estas com vinho moscatel deviam ficar melhor ainda.
Não me enganei - é uma sobremesa muito simples de confeccionar e de certeza que agrada a toda a gente.
Servi num dia em que tive os meus padrinhos a jantar em minha casa e garanto-lhes que nunca tinha visto o meu padrinho comer uma sobremesa com tanta gula...
7 pêras
4dl de vinho moscatel
200gr de açucar
2dl de água
2 paus de canela
2 estrelas de anis
5 cravinhos

Descasque as pêras, deixando-lhes o pé, lave-as e coloque-as num tacho.
Junte o moscatel, a água, o açucar, os paus de canela, o anis e os cravinhos e leve ao lume.
Deixe cozer até as pêras ficarem macias.
Retire do lume e deixe arrefecer dentro do molho.
Quando as pêras estiverem frias coloque-as numa taça, regue-as com a calda e sirva.
Mais simples não pode haver...

Há um ano atrás falei-vos de: Sopa de Feijão com couve

quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010

COOKIES AMERICANOS

A minha filha é uma fã incondicional da Hello Kitty e, como é normal da idade ,"crava" sempre a mãe Risonha para lhe comprar o que encontra com a dita gatinha.
Há pouco tempo começaram a sair no mercado umas revistas mensais da Hello Kitty em que cada volume é dedicado a um determinado país.
Na revista há sempre uma receita típica do país em causa... no volume dedicado aos Estados Unidos da América vinha esta receita de cookies que nós, como boas "fãs kittynas" não quisemos deixar de experimentar.

110gr de manteiga amolecida
125gr de açucar de cana (usei açucar amarelo)
60gr de açucar branco
1 ovo
230gr de farinha
60gr de noz moída (usei 100gr de amêndoa moída)
150gr de pepitas de chocolate (usei apenas 100gr)
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de açucar baunilhado
uma pitada de sal

Misturar a manteiga com o açucar branco e o açucar amarelo, usando a batedeira eléctrica, até obter um preparado homogéneo.
Juntar o ovo, a pitada de sal e o açucar baunilhado e misturar.
Acrescentar a farinha e o fermento, pouco a pouco, até obter uma massa uniforme.
Juntar as pepitas de chocolate e a amêndoa moída e misturar.
Embrulhar a massa com película aderente e deixar repousar no frigorífico durante meia hora.
Pré-aquecer o forno a 180º.
Desembrulhar a massa e, com as mãos, formar pequenos montinhos esmagados, colocando-os num tabuleiro (previamente untado com margarina), separados entre si á distância de um dedo.
Levar ao forno por 10 a 20 minutos, até ficarem dourados por fora e moles por dentro.
Só vos posso dizer que a receita rende imensos cookies... mas que não duraram muito tempo cá em casa... rsrsrs.
Nota da revista.
Embora os cookies originais sejam os que têm pepitas de chocolate preto e nozes, pode variar estes ingredientes a seu gosto, usando outros frutos secos, chocolate branco, etc... continuam a ser óptimos.

terça-feira, 23 de Fevereiro de 2010

FRANGO EMBRULHADO EM PRESUNTO

O blog/Bistrot da nossa querida Elvira, para mim, é sempre uma grande fonte de inspiração e, cada vez que o visito, fico cheia de fome e com uma vontade enorme de correr para a cozinha, pois as suas receitas, além de fáceis de confeccionar, são de facto deliciosas.
Foi por lá que encontrei uma receita de frango embrulhado em bacon, e que eu resolvi adulterar usando presunto (acho mais saudável que o bacon e o sabor agrada-me mais) e troquei o tomilho por hortelã.
O que eu sei dizer foi que consegui uma refeição fantástica...
4 sobrecoxas de frango
sal e pimenta moída no momento
1 colher de sopa de vinagre de vinho branco
3 dentes de alho espremidos
2 hastes de hortelã fresca
4 fatias finas de presunto

Remover a pele das sobrecoxas de frango. Secar a carne com papel absorvente. Temperar com sal (pouco, pois o presunto já é salgado), pimenta, o vinagre, o alho e a hortelã. Deixar repousar por 20 a 30 minutos.
Entretanto, pré-aquecer o forno a 190º. Forrar uma assadeira com papel vegetal e reservar.
Eliminar a gordura das fatias de presunto. Enrolar uma fatia em cada sobrecoxa de frango, com as pontas viradas para baixo.
Colocar as sobrecoxas de frango na assadeira e levar ao forno por aproximadamente 35 minutos, ou até dourar.
Retirar a assadeira do forno e servir de seguida com acompanhamento a gosto.
No meu caso acompanhei apenas com uma coisa que eu adoro: cogumelos salteados.
Mostro-vos agora mais uma das minhas manualidades, que ao mesmo tempo foi uma reciclagem e um "desenrasca" para o quarto da minha filha.
De uma lata mealheiro (daquelas altas) fiz um recipiente para que a Risonha Júnior pudesse colocar as suas (dezenas de) pulseiras.
A lata foi esponjada com tinta branca para ficar com este aspecto de pintura irregular, depois apliquei guardanapo com a técnica de decoupage e fiz algumas pintinhas para enfeitar.
Agora a rapariga já não tem desculpa para não ter as pulseiras bem arrumadas....

sábado, 20 de Fevereiro de 2010

"A IRMANDADE DO SANTO SUDÁRIO"

Aqui está mais um livro acabadinho de ler e uma óptima sugestão de leitura para estes dias frios, em que apetece mesmo ficar no quentinho das nossas casas, enroscadinhas no sofá, com uma chávena de chá quente e um bom livro por companhia.
Penso que a maioria das pessoas, sendo católicas ou não, já deve ter ouvido falar no Santo Sudário (também chamado de Sudário de Turim), mas nesta página da Wikipédia podem encontrar algumas informações preciosas.
Este livro aborda várias épocas históricas e todo o percurso que o Santo Sudário fez até aos dias de hoje.
Uma história envolvente que adorei ler... mais uma sugestão para a Academia dos Livros.
Um incêndio na catedral de Turim, onde se venera o Santo Sudário, e a resultante morte de um homem ao qual tinham cortado a língua são os detonantes de uma trepidante investigação policial do Departamento de Arte, capitaneado pelo detective Marco Valoni.
Juntamente com a perspicaz e atractiva historiadora Sofia Galloni e com uma jornalista ávida de respostas, o grupo de Valoni deverá resolver um enigma que começa com os templários e chega até à actualidade.
Uma trama que tem como nexo de união uma elite de homens de negócios, cultos, refinados e muito poderosos. Os investigadores não fraquejarão no seu empenho de demonstrar que os acontecimentos da catedral estão relacionados com o Santo Sudário e com as vicissitudes que viveu ao longo da história, desde Jesus Cristo até ao antigo império bizantino, à Turquia, à França de Felipe o Formoso, à Espanha, a Portugal e à Escócia.

Com a história e a imaginação como ponto de partida, este romance consegue surpreender o leitor em cada página e deixá-lo sem fôlego, abrindo-lhe as portas a uma fascinante viagem pelo passado, pelo presente e pelas insuspeitáveis relações entre ambos.
Notas sobre a autora:
Julia Navarro nasceu em Madrid, em 1953, é jornalista e trabalhou ao longo da sua carreira na imprensa escrita, na rádio e na televisão.
Autora das obras de actualidade política Nosotros, la transición; Entre Felipe y Aznar; La izquierda que viene e Señora presidenta, obteve um enorme sucesso com o seu primeiro romance, A Irmandade do Santo Sudário, e alcançou os primeiros lugares de vendas um pouco por todo o mundo. Com o seu segundo romance, A Bíblia de Barro, confirmou o seu êxito junto do público e da crítica.
Estes dois títulos venderam até à data mais de dois milhões de exemplares em todo o mundo, e foram publicados em mais de vinte e cinco países, entre eles, Itália, Alemanha, Portugal, Rússia, Coreia, Japão, China, Reino Unido ou os Estados Unidos. Os seus romances mereceram os mais conceituados galardões: Premio Qué Leer para o melhor romance espanhol de 2004, VIII Premio dos Lectores de Crisol, Premio Ciudad de Cartagena 2004, Premio Pluma de Plata de la Feria del Libro de Bilbao 2005, Premio Protagonistas de Literatura e Premio Más Que Música de los Libros 2006.
Os direitos de adaptação cinematográfica de A Irmandade do Santo Sudário já foram vendidos e, neste momento, a sua adaptação ao cinema encontra-se em fase de produção.

quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2010

ARROZ DOCE NA MFP

Esta eu tinha mesmo de experimentar... depois de ter visto em vários blogs, copiei esta receita do blog da StraberryCandy.
Apreciação: come-se, mas o arroz doce da minha mãe, feito do modo tradicional, é muito melhor.
Desculpem-me mas para mim o arroz doce da minha mãe é de longe o melhor do mundo, já tenho comido arroz doce em muitos sítios mas nenhum me sabe tão bem como o dela.
Por isso digamos que este, numa escala de 0 a 10, fica avaliado por um 7... enquanto que o da minha mãe é avaliado com um 12.... rsrsrs.
Esta foi a sobremesa feita para celebrar o dia dos namorados.
1l de leite
200gr de arroz carolino
100gr de açucar
2 colheres de sobremesa de farinha Custard
1 casca de limão (acrescentei eu)
canela em pó

Colocar todos os ingredientes na cuba da máquina (excepto a canela) pela ordem indicada.
Seleccionar o programa "Doces e Compotas" (na minha máquina demora 1h05m por isso quando o programa terminou seleccionei mais 10 minutos de cozedura).
Depois do programa terminar aguardar uns minutos. Retirar a casca do limão e colocar em travessa ou tacinhas, polvilhando com canela em pó.
Há um ano atrás falei-vos de: Lulas Endiabradas

terça-feira, 16 de Fevereiro de 2010

CARNAVAL SAGRES 2010

E pronto... já se passou mais um Carnaval.
Há quem diga que o Carnaval são 3 dias, mas para mim parece-me sempre que são apenas 3 minutos, pois levamos tanto tempo a preparar e planear as coisas, temos trabalho a preparar os fatos e o carro e depois... o tempo que levamos a desfilar passa num instante, quando damos por isso já acabou...
Este ano escolhemos ir vestidos de pinguins, com uma faixa que alertava para o facto da poluição e do aquecimento global estar a provocar o desgelo e a destruição do "habitat" dos pinguins-
Aqui ficam algumas imagens do nosso grupo.

E agora é esperar pelo próximo Carnaval, para o ano há mais....

sábado, 13 de Fevereiro de 2010

FILHÓS DE LEITE ENROLADAS

Cada vez que mexia nas pastas onde tenho arquivados os antigos fascículos de receitas da "TV 7Dias," dava de caras com estas filhós de leite enroladas e ficava curiosa por provar, por ver que eram tão simples de fazer, levando apenas 2 ingredientes.
Tanto a curiosidade se aguçou que tive mesmo que experimentar - não é nada do outro mundo, confesso que pensei que fossem melhores, mas tendo em conta os ingredientes que levam não se pode exigir muito mais.
Eu gostei de comê-las apenas simples, com açucar e canela, mas os outros gulosos cá de casa preferiram recheá-las com compota...
A receita que abaixo descrevo é o que vem na revista, mas eu fiz apenas meia receita e usando apenas metade das quantidades ainda me rendeu 6 filhós grandes...
500gr de farinha
1l de leite
manteiga para fritar
açucar e canela para polvilhar

Dissolva a farinha com o leite, mexa bem e passe por um passador de rede.
Aqueça um pouco de manteiga numa frigideira anti-aderente. Deite de uma só vez a quantidade suficiente de massa, até cobrir o fundo da frigideira e de forma a obter uma espessura fina.
Se a massa não se espalhar com facilidade, acrescente um pouco de leite.
Depois de fritas enrole as filhós individualmente e polvilhe com açucar e canela enquanto quentes.
Repita a operação até terminar a massa, sem esquecer de, sempre que se justificar, colocar mais gordura na frigideira.
Querem provar? Preferem simples ou recheadas com compota?

quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2010

CHOCO FRITO À MODA DA CASA

Este Inverno está mesmo "molhado", há anos que não chovia tanto... e graças à chuva há muitos escorregões e consequentemente alguns tombos.
Foi o que me aconteceu um destes dias à hora do almoço: graças à chuva o chão da cozinha estava molhado (porque eu me tinha esquecido da porta da rua aberta) e eu, armada em artista, tinha calçado umas botas com uma sola escorregadia... já estão a adivinhar o resultado, certo?
Foi isso mesmo: escorregaram-me os dois pés e caí um "bate-cú" de todo o tamanho.
Entre muitas dores, algumas asneiras (ditas entredentes para ninguém ouvir) e um comprimido Voltaren para aliviar o sofrimento, o que sei dizer é que quando cheguei a casa mal me conseguia mexer.
Por isso o prato que hoje aqui deixo foi inteiramente preparado pelo Sr. Risonho, que se inspirou no choco que costumamos comer em Setúbal... e ainda bem que ele fez o jantar, porque eu tive que ir direitinha para a cama, a ver se as dores atenuavam.
Aqui está uma prova que os homens, quando querem, desenrascam-se muito bem na cozinha... (fazendo muita bagunça, é verdade).... rsrsrs
1 choco grande
1 cebola
1 dente de alho
farinha
ovo batido

Tirar a pele ao choco e levá-lo a cozer, coberto com água, juntamente com a cebola e o alho.
Depois de cozido retirar da água, deixar arrefecer e cortar em tiras (aproveitar os tentáculos para fazer uma salada).
Passar as tiras de choco por farinha e por ovo batido e levar a fritar em óleo bem quente.
Escorrer sobre papel absorvente e servir com rodelas de limão.
Nota: não faço ideia de como se faz o tradicional choco frito à moda de Setúbal, mas cheira-me que deve ser de uma forma mais elaborada que esta.
O meu marido fez da maneira que achou que ficaria melhor... e não é que ficou mesmo bom?
Há um ano atrás falei-vos de: Bulgur com Alho Francês

terça-feira, 9 de Fevereiro de 2010

FILETES DE PESCADA ESCONDIDOS

Há coisa que nunca deixo faltar no congelador: filetes de pescada. São algo muito prático para cozinhar, não têm espinhas, dão para fazer de variadíssimas maneiras e toda a gente gosta.
É verdade que a maneira mais prática de cozinhar os filetes de pescada é fazê-los panados, mas eu gosto de "cuscar" as revistas e procurar novas receitas.
Esta encontrei numa das revistas que tenho em casa - a receita original era feita com a pescada em postas, mas eu adaptei com os filetes e resultou muito bem.
Um prato com um ar "chique" e muito simples de confeccionar...
800gr de filetes de pescada
1 limão (sumo)
0,5dl de vinho branco
1 fio de azeite
3 ovos
70gr de queijo parmesão ralado
sal e pimenta

Temperar os filetes de pescada com sal, pimenta e sumo de limão e deixar tomar gosto por 2 horas.
Colocar os filetes numa assadeira e regar com o vinho branco e o azeite.
Levar a assar no forno, a 180º, durante 25 minutos.
Bater as gemas e à parte bater as claras em castelo. Envolver as duas, adicionar o queijo ralado e cobrir o peixe.
Levar novamente ao forno para gratinar.
Servir com acompanhamento a gosto (nós escolhemos puré de batata).
Agora digam lá que não fica um prato todo catita?

sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2010

QUEIJADINHAS DE LEITE II

Estes são, sem dúvida, os bolos preferidos do meu marido. Ainda me lembro do tempo em que ainda namorávamos, ir a casa da minha sogra e vê-la, armada de toda a paciência, untar e a polvilhar forminhas de alumínio para fazer queijadinhas.
O que nos vale é que com a invenção das formas de silicone, temos a vida muito mais facilitada e já não nos custa tanto fazer bolinhos deste género.
Já tinha publicado umas queijadinhas aqui, esta receita é basicamente igual mas leva um pouco mais de açucar. E se ficarem tostadinhas nos bordos... hummmm.... ficam mesmo ao gosto cá de casa. 2 ovos
400gr de açucar
50gr de manteiga amolecida
100gr de farinha
0,5l de leite

Bata os ovos com o açucar até obter uma gemada bem ligada.
Junte-lhe depois a manteiga, mexendo sempre.
Acrescente a farinha aos poucos, para não ficar com grumos, e mexa bem.
Quando estiver tudo bem ligado, vá juntando o leite pouco a pouco, até obter uma massa bastante líquida.
Verta a massa em forminhas de silicone (previamente untadas com um pouco de óleo) e leve a cozer no forno (pré-aquecido a 180º) durante 20 a 25 minutos (como podem ver pelas fotos, usei dois tamanhos diferentes de formas).
Retire, deixe arrefecer e sirva. Se preferir pode polvilhar com açucar em pó ou canela.
Se quiserem fazer uma pausa para tomar café, sirvam-se de uma queijadinha...
Há um ano atrás falei-vos de: Sopa de Lombarda e Cenoura