Sugestões para oferecer ou para ler...


quarta-feira, 29 de Fevereiro de 2012

ALMÔNDEGAS DE PERÚ

O tempo continua com uma cara primaveril, o que faz com que muita gente ande constipada (eu inclusive), pois a falta de chuva faz com que a atmosfera ande carregada de vírus e bactérias. Parece que a chuva não tarda em chegar... enquanto chega e não chega, vamos preparar umas almôndegas de perú na minha ajudante de cozinha Mycook, pois desta forma a confecção é mais rápida e sobra-me tempo para apreciar esta temperatura maravilhosa!
1 cebola
2 dentes de alho
50gr de azeite
4 cenouras
1 lata pequena de tomate pelado
sal, pimenta, noz moscada e oregãos q.b.
1 folha de louro
2 colheres de sopa de vinho branco
500gr de almôndegas de perú
1 lata de cogumelos laminados

Começar por colocar no jarro a cebola cortada em 4 partes, os dentes de alho e o azeite e programar 5 minutos, 120º, velocidade 1.
Acrescentar 2 cenouras em pedaços, o tomate pelado, temperar de sal, pimenta, noz moscada e oregãos e programar 5 minutos, 100º, velocidade 2. A seguir premir por 3 vezes o botão "Turbo" para triturar, mas de modo a que fique um molho grosso.
Acrescentar ao molho a folha de louro, o vinho branco, as almôndegas, os cogumelos e as restantes cenouras em rodelas. Programar 5 minutos, 110º, velocidade 2.
Envolver com a espátula, mexendo bem, e programar mais 4 minutos, 110º velocidade 2.
Colocar numa travessa e servir com acompanhamento a gosto.
O molho fica grossinho e com um agradável sabor a cenoura. O jeitão que a Mycook me faz na cozinha... eh eh eh!
Mais uma das minhas invenções: tinha em casa uma caixinha pequenina, sem cor, que me tinha vindo nem sei de onde, e que andava dentro de uma gaveta sem serventia nenhuma...
Na época do Natal foi pintada e decorada e serviu para oferecer a alguém, com uns brincos lá dentro... em tempos de crise e contenção de despesas, nada com aproveitar tudo o que se tem em casa...

sábado, 25 de Fevereiro de 2012

"A MELODIA DO AMOR"

Este foi um dos muitos livros que recebi de oferta de Natal, pois quem me conhece sabe que das coisas que mais gosto de receber são livros.
Depois de já ter lido todos os livros desta autora editados em Portugal, uma vez mais esta história não me desiludiu - está muito bem escrita e consegue prender-nos o interesse de tal forma que, enquanto não chegarmos ao final não descansamos.
É uma boa compra, quem gostar de ler tem neste livro um bom companheiro...
Liverpool, 1893. Os sonhos de Beth são desfeitos quando ela, o irmão Sam e a irmã mais nova, Molly, ficam orfãos. As suas vidas, até então tranquilas e seguras, sofrem uma dramática reviravolta. Para escapar a um futuro de miséria e servidão, Sam e Beth decidem arriscar tudo, atravessar o Atlântico e partir à conquista do sonho americano. Mas Molly é demasiado pequena para os acompanhar e os irmãos vêem-se obrigados a tomar uma decisão que os marcará para sempre: deixá-la em Inglaterra, a cargo de uma família adoptiva.
A bordo do navio para Nova Iorque não faltam vigaristas e trapaceiros, mas o talento de Beth com o violino conquista-lhe a alcunha de Cigana, a amizade de Theo, um carismático jogador de cartas, e do perspicaz Jack. Juntos, os jovens vão começar de novo num país onde todos os sonhos são possíveis.
Para a romântica Beth, esta será a maior aventura da sua vida. Conseguirá a Cigana voltar a encontrar um verdadeiro lar?
Uma história de amor incondicional e coragem sem limites.
Notas sobre a autora:
Lesley Pearse é uma da escritoras preferidas do público português. É autora de uma vasta obra já traduzida para mais de trinta línguas, tendo vendido cerca de três milhões de exemplares. A própria vida da escritora é uma grande fonte de material para os seus romances, quer esteja a escrever sobre a dor do primeiro amor, crianças indesejadas e maltratadas, adopção, rejeição, pobreza ou vingança, uma vez que conheceu tudo isto em primeira mão. Ela é uma lutadora, e a estabilidade e sucesso que atingiu na sua vida deve-os à escrita. Com o apoio da editora Penguin, criou o Women of Courage Award para distinguir mulheres comuns dotadas de uma coragem extraordinária. Para além de "A Melodia do Amor", estão já publicado em Portugal com grande sucesso os seus romances "Nunca Me Esqueças", "Procuro-te" e "Segue o Coração".
Para mais informações sobre a autora pode consultar o site www.lesleypearse.com.

sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2012

EMPADÃO DE PEIXE COM CENOURAS

Há certos dias em que me falta a imaginação na cozinha e vejo-me sem saber o que fazer para o jantar. É nesses dias que recorro às centenas de revistas de culinária que tenho em casa. Desta vez encontrei esta receita na revista "Saúde à Mesa" de Outubro de 2011. 
Fica um prato com sabor muito agradável e é sempre uma boa solução para quem tem em casa crianças que não gostem de comer peixe.
500gr de peixe a gosto (usei lombos de pescada)
sal e pimenta q.b.
800gr de batatas
sumo de limão q.b.
1dl de leite
noz moscada q.b.
2 cenouras grandes
1 cebola
2 dentes de alho
0,5dl de azeite
salsa picada q.b.
pão ralado q.b.
50gr de queijo ralado (acrescentei eu)

Coza o peixe em água com sal, escorra, deixe amornar, elimine as espinhas e a pele e lasque finamente. Reserve.
Coza as batatas com casca em água com sal, escorra, deixe amornar, retire-lhes a pele e passe-as pelo passe-vite. Junte ao puré um pouco de sumo de limão, o leite e noz moscada e misture tudo muito bem.
Descasque as cenouras, rale-as, coza-as apenas durante 3 minutos, escorra-as e junte-as ao puré de batata. Pique a cebola e os dentes de alho, aloure-os no azeite e junte o peixe e salsa picada, mexa e reserve.
Disponha metade do puré num pirex polvilhando com o queijo ralado, coloque depois o peixe e de seguida o restante puré. Alise, polvilhe com pão ralado e leve ao forno, a 200º, até que fique douradinho. Retire do forno e sirva.
O sabor e aroma da cenoura junto ao puré dá um toque diferente a este empadão.

Informação Nutricional da revista "Saúde à Mesa":
Ingredientes para 5 pessoas
Calorias por dose: 344 Kcal
Interesse Nutricional: rica em ferro e fósforo
Há um ano atrás falei-vos de: Codornizes com Vinho do Porto

quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2012

CREME DE CHOCOLATE PARA BARRAR

Espero que todos tenham tido um Carnaval divertido e alegre. O meu foi mais que bom, foi uma maravilha - um grupo espectacular, muito divertido e com muita alegria e gargalhadas.
Para retemperar forças para a Quaresma, que tem hoje o seu início, nada como uma coisinha doce para nos confortar. Esta receita é do livro de receitas da Mycook e é nada mais do que um creme delicioso para barrar o pão ou as bolachas. É como se fosse Nutella, só que em versão caseira - muito mais económico e muito mais saudável que o creme de chocolate de compra. E ainda por cima feita em três tempos... Fiz apenas metade da receita que está abaixo descrita.
300gr de chocolate para culinária
300gr de avelãs
300gr de leite
200gr de açucar

Derreta o chocolate durante 3 minutos, 40º, velocidade 3.
Deite os restantes ingredientes no jarro e programe 4 minutos, velocidade 7-10 progressivamente.
Retire, coloque numa taça ou num frasco, sirva e... lambuze-se com esta explosão de sabor que pode preparar em apenas 7 minutos. Melhor que isto é impossível!!!
Há um ano atrás falei-vos de: Muffins de Chocolate com Pepitas

sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2012

"UM CRIME NO EXPRESSO DO ORIENTE"

Agatha Christie é sem dúvida uma grande senhora da escrita. As suas obras são clássicos da literatura a nível mundial e, embora para muita gente possa parecer uma leitura algo "antiquada" e fora de moda, são obras que me conseguem prender a atenção. Ninguém consegue ficar indiferente a este estilo de escrita. E toda a gente se lembra do clássico "Mr. Poirot", personagem principal nesta história, e do seu jeito peculiar para avaliar todas as pistas e desvendar todo e qualquer mistério com que se deparasse.
Só vos digo uma coisa: apenas no último capítulo, e graças à ajuda preciosa do Mr. Poirot, consegui saber quem era o assassino... e não era mesmo quem eu estava à espera... lol!!!
Pouco depois das doze batidas da meia-noite, um nevão obriga o Expresso do Oriente a parar. Para aquela época do ano, o luxuoso comboio estava surpreendentemente cheio de passageiros. Só que pela manhã havia, vivo, um passageiro a menos. Um homem de negócios americano jazia no seu compartimento, apunhalado até à morte.
Poirot aceita o caso, aparentemente fácil, que acaba por se revelar um dos mais surpreendentes de toda a sua carreira. É que existem pistas (muitas!), existem suspeitos (muitos!), sendo que todos eles estão circunscritos ao universo dos passageiros da carruagem. Para ajudar às investigações, o morto é reconhecido como sendo o autor de um dos crimes mais hediondos do século. Com a tensão a aumentar perigosamente, Poirot acaba por esclarecer o caso…de uma maneira a todos os títulos surpreendente!
Notas sobre a autora:
Agatha Christie nasceu Agatha May Clarissa Miller, em Torquay, na Grã-Bretanha, em 1890. Durante a I Guerra Mundial, prestou serviço voluntário num hospital, primeiro como enfermeira e depois como funcionária da farmácia e do dispensário. Esta experiência revelar-se-ia fundamental, não só para o conhecimento dos venenos e preparados que figurariam em muitos dos seus livros, mas também para a própria concepção da sua carreira na escrita. Com o seu segundo marido, o arqueólogo Max Mallowan, Agatha viajaria um pouco por todo o mundo, participando activamente nas suas escavações arqueológicas, nunca abandonando contudo a escrita, nem deixando passar em claro a magnífica fonte de conhecimentos e inspiração que estas representavam.
Autora de cerca de 300 obras (entre romances de mistério, poesia, peças para rádio e teatro, contos, documentários, uma autobiografia e seis romances publicados sob o pseudónimo de Mary Westmacott), viu o seu talento e o seu papel na literatura e nas artes oficialmente reconhecidos em 1956, ano em que foi distinguida com o título de Commander of the British Empire. Em 1971, a Rainha Isabel II consagrou-a com o título de Dame of the British Empire. Deixando para trás um legado universal celebrado em mais de cem línguas, a Rainha do Crime, ou Duquesa da Morte (como ela preferia ser apelidada), morreu em 12 de Janeiro de 1976.

quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2012

HAMBURGUERS DE FRANGO PANADOS

Estes hamburguers são muito fáceis de confeccionar e são ao mesmo tempo deliciosos e muito saudáveis, ideal para quem está em regime alimentar. A receita é da revista "Saúde à Mesa" de Dezembro de 2011 e já há bastante tempo que eu e a minha filhota andávamos com ela debaixo de olho.
Renderam-me 8 hamburguers de tamanho médio e garanto que não haverá míudo e/ou graúdo que não aprecie esta refeição.
600gr de carne de frango picada
4 colheres de sopa de corn flakes
1 cebola
2 dentes de alho
salsa q.b.
1 ovo
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

Numa taça misture muito bem o frango com os corn flakes bem triturados, a cebola, os dentes de alho e a salsa picados, o ovo, sal e pimenta. Molde hamburguers com este preparado.
Triture mais um pouco de corn flakes e passe os hamburguers por eles. Coloque-os num tabuleiro de forno untado com azeite e regue com mais um fio de azeite.
Leve os hamburguers ao forno pré-aquecido a 180º, durante 25 minutos ou até que fiquem assados mas não muito secos. Retire do forno e sirva com acompanhamento a gosto.
Informação Nutricional da revista Saúde à Mesa:
Ingredientes para 6 pessoas
Calorias por dose: 153 Kcal
Interesse nutricional: pobre em gorduras

terça-feira, 14 de Fevereiro de 2012

BOLO DE CLARAS, CHOCOLATE E CÔCO

Embora no dia de S. Valentim tenha sempre o costume de ir jantar fora com a minha cara-metade, gosto sempre de preparar qualquer coisa especial para comemorarmos em casa.
Desta feita escolhi uma receita do Fórum Bimby, que adaptei à Mycook e que serviu na perfeição para gastar umas claras congeladas que tinha em casa. A última foto, da fatia do bolo, ficou com uma tonalidade estranha, não me perguntem porquê...
8 claras
200gr de açucar
60gr de maizena
50gr de farinha
1 colher de chá de fermento
80gr de margarina derretida
20gr de chocolate em pó
30gr de côco

Colocar as claras congeladas no copo e dar uns toques de Turbo.
Colocar a borboleta e programar 7 minutos, 40º, velocidade 4. Quando terminar programar 1 minuto, 40º, velocidade 4, e vá adicionando o açucar previamente pesado.
Deite a farinha, a maizena e o fermento e envolva 3 segundos, velocidade 4.
Junte o chocolate, o côco e a margarina derretida no microondas, e programe 30 segundos, velocidade 4.
No fim, se for necessário, misture melhor com a espátula.
Coloque numa forma untada e enfarinhada e leve ao forno, pré-aquecido a 180º, durante 40 minutos.
Desenforme e decore a gosto... o meu foi decorado com açucar em pó e topping de morango.
Feliz Dia de S. Valentim para todos.

sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012

"QUALQUER COISA DE BOM"

Se me pedissem para descrever esta obra apenas com uma palavra diria: doce... É uma leitura tão agradável que, quando damos por nós, já devoramos o livro todo.
Escrita fácil e fluída, fazendo um paralelismo entre o presente e o passado, para que se possa compreender todo o desenrolar da história e as decisões das suas personagens.
Uma vez mais esta excelente autora não desilude os seus leitores...
A leitura do testamento de Alessandra Pluda Cavalli vai provocar um tremendo choque ao seu marido, Franco, e aos seus três filhos. A parte mais substancial do seu património tem um único herdeiro: Ludovica Magnasco, porteira do prédio em que vive a família Cavalli.
Ludovica, a quem todos chamam Lula, sente-se igualmente perturbada por este legado, cujo significado não consegue alcançar. Lula, que tem tido a sua conta de adversidades, é amada e respeitada por todos os moradores do prédio graças à sua inteligência e bom carácter. Mas tal não é suficiente para explicar o que terá levado Alessandra a deixar-lhe aquela fortuna.
Certamente que não foram as pequenas delicadezas com que por vezes Lula a agraciava, nem tão-pouco as confidências que trocavam. A explicação, que tem as suas raízes num segredo de família desde sempre guardado com zelo, afecta-a e perturba-a, mas não altera as suas convicções: o dinheiro só nos ajuda a viver melhor se o usarmos também para nos tornarmos úteis ao próximo.
A indicar-lhe o caminho certo está agora o acaso, que cruza o seu destino com o do fascinante Guido Montini, um reputado veterinário dedicado a acções de voluntariado. Juntos formam um casal magnífico e têm a possibilidade de fazer algo de verdadeiramente bom...
Notas sobre a autora:
Sveva Casati Modignani é um dos nomes mais populares da ficção italiana. Em Portugal já foram publicados, com enorme sucesso, os seus romances Baunilha e Chocolate, A Viela da Duquesa, Desesperadamente Giulia, 6 de Abril '96, A Siciliana e Mister Gregory.
Quem quiser consultar o site da autora pode fazê-lo em www.sveva.ws.

quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2012

PATÊ DE ATUM

Se fazer patês é uma coisa que até nem dá muito trabalho, com a ajuda da Mycook a coisa fica ainda muito mais simples, os patês fazem-se em três tempos.
A receita foi retirada do blog da Lúcia, que está recheado de verdadeiras delícias - O Barriguinhas.
É tão simples e rápido de confeccionar que, mesmo não tendo uma Mycook em casa, ninguém tem desculpa para não fazer...
1 cenoura
50gr de pickles
2 latas de atum em azeite
2 ovos cozidos
sal e pimenta
maionese q.b.

No jarro pôr a cenoura descascada e em pedaços e os pickles. Ligar na velocidade 7/8 cerca de 10 segundos.
Junte o atum e os ovos cozidos e tempere de sal e pimenta. Ligue na velocidade 4 e através do buraco da tampa vá adicionando a maionese até estar na consistência que deseja.
Sirva fresco. Se quiser, na altura de servir, pode decorar com salsa ou cebolinho picado.
Querem juntar-se a mim para provar?
Mais um pequeno trabalho das manualidades que faço de vez em quando - um simples tabuleiro de madeira...
... pintado e decorado com a técnica de decoupage. Fica uma peça bonita para qualquer mesa de Natal, não vos parece

terça-feira, 7 de Fevereiro de 2012

DOCE DE KIWI

Está de novo aberta a temporada de doces e compotas na minha cozinha. Por vezes junta-se tanta fruta na fruteira que a melhor maneira de aproveitá-la é fazendo doces.
Nunca tinha feito doce de kiwi mas com a ajuda da máquina do pão não dá trabalho nenhum e é um doce muito apreciado ao pequeno almoço e/ou lanche.
1kg de kiwis maduros
500gr de açucar
2 paus de canela
1 colher de sopa de alga agar-agar

Descascar os kiwis e cortar em pedaços. Colocá-los na cuba da máquina do pão juntamente com o açucar e o pau de canela.
Seleccionar o programa "Doces e Compotas". No final do programa retirar o pau de canela, deitar o doce para um tacho e triturar com a varinha mágica.
Levar ao lume, juntando a alga agar-agar e deixar ferver por 5 minutos, mexendo sempre.
Apagar o lume, deixar arrefecer um pouco e colocar em frascos.
Se me quiserem acompanhar à hora do lanche, é só bater à porta... a mesa já está preparada...

sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2012

"AQUELE VERÃO NA TOSCANA"

Sabem aqueles livros que nos transportam para o sítio onde decorre a acção? Este é um desses casos... embora estejamos em pleno Inverno, ao ler este livro senti-me transportada para o Verão italiano e para as belas paisagens da Toscana.
A história é simples, contudo envolvente. É daquelas obras que não nos apetece largar e que estamos ansiosas para ver como vai terminar. Leitura recomendada para os dias frios que se fazem sentir...
Todos os anos, Patricia O'Hara abre as portas do seu magnífico castello do século XIII e organiza um curso de escrita criativa na deslumbrante região da Toscana.
Mas este ano, algo paira no ar quando os sete aspirantes a escritores se juntam à beira da piscina para trocar mexericos, namoriscar e escrever o livro das suas vida. Em pouco tempo, Mary, a solteira convicta, descobre os encantos de partilhar uma Vespa; o sedutor Jeremy rende-se a talentos que não apenas os seus e até a pragmática Patricia vai arranjar tempo para uma paixão acidental.
Graças a esta mistura explosiva de egos e criatividade, segredos obscuros e visitantes inesperados, uma coisa é certa: nunca se assistiu a um Verão como este.
Quando o curso chegar ao fim, as suas vidas terão mudado para sempre. E um deles chegará mesmo a escrever um livro...
Notas sobre a autora:
Domenica de Rosa começou a sua carreira na revista Bookseller, tendo trabalhado na edição infantil, tanto em comunicação como em edição. Vive em Brighton com o marido e os filhos.
Para mais informações sobre a autora consulte o site oficial www.domenicaderosa.co.uk

quinta-feira, 2 de Fevereiro de 2012

AMÊIJOAS COM MOLHO DE MOSTARDA

Normalmente os petiscos à base de marisco trazem-me à lembrança o Verão e os dias quentes. Mas como cá em casa tudo serve de desculpa para estes petiscos, façamos de conta que é Verão e que o calor está aí... pode ser que sempre se consiga enganar o frio e vento que hoje estão insuportáveis.
Esta entrada foi confeccionada com a minha ajudante Mycook e a receita veio do blog Templo de Sabores. É uma receita confeccionada na Bimby mas que facilmente se adapta à Mycook.
1kg de amêijoas
30gr de azeite
6 dentes de alho
25gr de mostarda
15gr de vinho branco
300gr de água
sal e coentros picados q.b.

Colocam-se as amêijoas de molho, em água e sal, durante 2 horas.
No copo da Mycook coloca-se o azeite e programa-se 3 minutos, 120º velocidade 2. Juntam-se os alhos e pica-se 5 segundos na velocidade 6. Programa-se 5 minutos, temperatura 120º, velocidade 3.
Adiciona-se a mostarda, a água e o vinho, coloca-se o tabuleiro de vapor com as amêijoas e programa-se 20 minutos, temperatura 120º, velocidade 2.
Rectificam-se os temperos, colocam-se as amêijoas numa travessa de servir, rega-se com o molho que restou no copo e polvilha-se com os coentros picados.
O molho fica divinal, não há quem resista em molhar o pão...